Resenha: O que os chineses não comem - Xinran

em 9 de julho de 2020

O que os chineses não comem
Autor(a): Xinran

Editora: Companhia das Letras
Págs: 192



Este é um livro surpreendente, quase tão surpreendente quanto a China que emerge de suas páginas. Sua trajetória começa em 1989, quando a autora se torna apresentadora de rádio na China da "abertura" de Deng Xiaoping. A novidade do programa, mais perto da realidade dos ouvintes que qualquer outro na China até então, faz com que muitos ouvintes liguem para contar suas histórias. A experiência rendeu o best-seller internacional As boas mulheres da China. Após concluir seu segundo livro, Enterro celestial, a autora muda-se para Londres e passa a escrever num grande jornal.
Quase todos os aspectos da vida são abordados nesta coletânea de crônicas para o jornal inglês The Guardian. Dos cumprimentos cotidianos - e do fato de para um chinês ser chocante receber um beijo no rosto - até as diferentes maneiras (e significados) de usar meias, passando pelo sexo, pelas mudanças contemporâneas e pelas grandes festas que definem uma cultura. É, assim, quase inacreditável descobrir, em nosso etnocentrismo, que poucos anos atrás os chineses, não-cristãos em sua vasta maioria, não tinham idéia do que fosse o Natal. Mais inacreditável, apenas descobrir como vivem as mulheres no campo chinês. O que transparece é um retrato vivo e atual do que continua a ser - para nós, mas também para eles - um dos países mais desconhecidos do planeta.





Resenha

A autora de As boas mulheres da China - que só no Brasil já vendeu mais de 40 mil exemplares -, lança nova luz à cultura e aos hábitos dos chineses, trazendo para o Ocidente uma visão única de seu país natal, feita por alguém que transita com desenvoltura entre esses dois mundos.



Eu adoro esse tipo de leitura, conhecer outras culturas e outros povos com essa grande diferença de gastronomia, religiosidade e tudo mais. Xinran é uma jornalista que escreveu vários livros denunciando várias mazelas sociais do seu povo, principalmente sobre a vida das mulheres, em As boas mulheres da China, ela relata sobre os maus tratos as mulheres e crianças em seu país.

Também li Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida, onde ela denuncia sobre os bebês meninas que nasciam em seu país e eram assassinadas assim que nasciam, simplesmente por serem meninas, muitas foram vendidas ou levadas para adoção em países no Ocidente.


Mulheres sofrem em todos os lugares, em países do mundo inteiro, não é exclusividade de países em desenvolvimento. Mas claro, que nesses países as mazelas são maiores, devido a falta de coisas básicas, como alimentação, saúde e educação.


'O que os chineses não comem' se trata de uma coletânea de crônicas escritas pela autora Xinran e publicadas em sua coluna para o jornal The Guardian entre os anos de 2004 e 2005.


Neste livro, O que os chineses não comem, ela faz um apanhado de histórias de seu país, contando sobre as curiosidades gastronômicas, que na maioria das vezes, nós ocidentais, não compreendemos, pois alimentar-se de animais tidos por nós como de estimação, para eles é comum, já em outros livros dela eu já tinha lido sobre isso, a China foi, como outros países, devastada pelas guerras e lutas de poder dentro do próprio país, eles passaram muita fome e aprenderam a sobreviver se alimentando de tudo, mas tudo mesmo. Eu não julgo, nem nunca julguei esses hábitos, só quem passou por necessidades assim deveria julgar...


Acredito que é um livro com muitas curiosidades interessantes e que agregará mais cultura em quem se embrenhar na leitura, fazendo diminuir não somente o preconceito com este povo como ganhar maior conhecimento de causa.

Acho um livro bem legal para ler durante a quarentena!

Espero que tenham gostado, boa leitura!