Resenha Me Chame Pelo Seu Nome

em 9 de outubro de 2018

Me Chame Pelo Seu Nome
André Aciman 

ISBN-13: 9788551002735
ISBN-10: 8551002732
Ano: 2018 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Intrínseca


Livro que inspirou o filme dirigido por Luca Guadagnino, aclamado nos festivais de Berlim, Toronto, do Rio, no Sundance e um dos principais candidatos ao Oscar de 2018.
A casa onde Elio passa os verões é um verdadeiro paraíso na costa italiana, parada certa de amigos, vizinhos, artistas e intelectuais de todos os lugares. Filho de um importante professor universitário, o jovem está bastante acostumado à rotina de, a cada verão, hospedar por seis semanas na villa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e papeladas. Uma cobiçada residência literária que já atraiu muitos nomes, mas nenhum deles como Oliver.
Elio imediatamente, e sem perceber, se encanta pelo americano de vinte e quatro anos, espontâneo e atraente, que aproveita a temporada para trabalhar em seu manuscrito sobre Heráclito e, sobretudo, desfrutar do verão mediterrâneo. Da antipatia impaciente que parece atravessar o convívio inicial dos dois surge uma paixão que só aumenta à medida que o instável e desconhecido terreno que os separa vai sendo vencido. Uma experiência inesquecível, que os marcará para o resto da vida.
Com rara sensibilidade, André Aciman constrói uma viva e sincera elegia à paixão, em um romance no qual se reconhecem as mais delicadas e brutais emoções da juventude. Uma narrativa magnética, inquieta e profundamente tocante.


Resenha



Nunca pensei que iria cair nas graças deste livro, porém eu caí e não me arrependi de maneira nenhuma, foi uma leitura única e prazerosa e sem preconceito aqui pois a maneira que André Aciman narra este livro me fez adentrar suas páginas de um jeito que não era uma história de amor qualquer, era o desejo que transcende, que reflete, que acolhe.

Me Chame pelo seu Nome inspirou o filme de mesmo nome, foi aclamado e muito bem dirigido por Luca Guadagnino, acho até que é um ótimo complemento para quem leu o livro, perfeito para tornar real tudo que se imaginou lendo o livro, pois, a fotografia é linda e quem não sonha em conhecer a Itália depois de assistir ao filme?!




Aqui conhecemos Elio, ele tem uma família acolhedora que em todo verão recebe um hóspede, um escritor, em troca de ficar naquela casa por todo o verão, nosso escritor apenas precisa ajudar o pai de Elio com as papeladas de seu trabalho, nesta casa todos são muito bem recebidos, o clima familiar e as conversas são maravilhosos, a família é muito receptiva mesmo, é gostoso de ler.


Só que neste verão, Elio fica encantado com Oliver, à principio ele apenas não entende a maneira de ser de Oliver, interpreta errado suas intensões, mas ao mesmo tempo está fascinado por aquele cara e o que ele representa, nasce uma bela amizade para depois se tornar algo mais especial, que talvez mude Elio para sempre, esse crescimento do personagem é bem perceptível a cada capítulo e a maneira que André Aciman nos conta sua história é tão bonita e é tão real, que eu devo dizer apenas que amei este livro, li no meu Kindle, e adoraria ter uma versão impressa também.



"Que mundo era aquele. Ela tinha mais que o dobro da minha idade, mas eu poderia ter feito amor com ela naquele minuto e chorado com ela."

O que eu mais gostei neste livro é que além de falar sobre o romance de um casal gay, ele não se prendeu só a isso, aqui lemos sobre o amor, tem encontros e desencontros, a descoberta de um novo sentimento, tem a virtude da entrega, de estar realmente vivendo aquilo em sua máxima, sem medo. E isso transborda as páginas, nós sentimos todo o sentimento de Elio, suas vontades e suas incertezas.

"Eu seria capaz de viver sem sua mão na minha barriga? Sem o pêssego? Sem beijar e lamber uma ferida em sua cintura que ainda levaria semanas para sarar, mas longe de mim? A quem mais eu poderia chamar pelo meu nome?"


Outra coisa que me chamou muito a atenção foram os diálogos entre a família de Elio, no final quando o pai dele o chama para uma conversa, é tão emocionante que desejamos do fundo do coração que todas as famílias sejam assim, cabeça aberta, sem preconceitos.



"Quando menos esperamos, a Natureza tem maneiras inesperadas de localizar nosso ponto mais fraco. Lembre-se de uma coisa: estou aqui. Neste exato momento você talvez não esteja querendo sentir nada. Talvez você nunca quisesse ter sentido nada. E talvez não seja a mim que você vai querer falar dessas coisas um dia. Mas é óbvio que você sentiu alguma coisa, sim.
Vocês tiveram uma amizade linda. Talvez mais que uma amizade. E eu invejo você. A maioria dos pais, se estivesse em meu lugar, torceria para isso tudo acabar, rezaria para seu filho acabar se endireitando. Mas eu não sou um pai assim. Em seu lugar, eu diria: se há uma dor, cuide dela com carinho. E, se há uma chama, não a apague. Não seja brutal com ela. Arrancamos tanta coisa de nós mesmos para nos curarmos mais rapidamente das coisas que aos 30 anos já estamos falidos e temos menos a oferecer cada vez que começamos com uma pessoa nova. Mas insensibilizar-se para evitar qualquer dor – que desperdício!"




Enfim, realmente é uma narrativa magnética, inquieta e profundamente tocante, eu amei! E vou levar este livro para a vida.


"as coisas vão melhorar"


Beijos




10 comentários

  1. Esse livro é lindo mesmo. O legal é não ser só a história de amor. Achei maravilhosa a forma como o autor deu vida a esses personagens e a escrita cheia de arte e reflexão. É bonito você ter essa ideia do amor, da entrega e das descobertas. O negócio dos encontros e desencontros foi bem legal e o rumo dos personagens foge do que esperaria. Vale muito a pena mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Que resenha linda!
    Não li o livro e nem assisti ao filme, e se eu tinha algum interesse, perdi quando uma amiga disse que os capítulos eram bem extensos. Mas preciso rever isso...
    Durante a leitura da resenha, entendi porque os livros com a temática lgbt são tão encantadores; apesar de ter lido poucos livros nesse estilo, eles começam desenvolvendo uma amizade para depois chegar na relação física, e isso é bonito.
    Conseguiu me deixar com vontade de ler esse livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, o interessante da narrativa do autor é que em nenhum momento as descrições soam apelativas ou exageradas, de modo que o leitor vai criando empatia pelo casal gradualmente. A trama em si parece deixar o leitor com um sentimento de pura felicidade, sendo perfeita para quem está passando por ressaca literária. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Mila.
    Não li o livro nem vi o filme, mas quero muito ler o livro.
    Vi várias resenhas sobre o livro e achei bem interessante a história não focar apenas no romance do Elio, e sim na jornada, no crescimento pessoal dele.
    Com certeza pretendo ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mila!!
    Gostei muito da proposta do livro, infelizmente ainda não li e nem assisti o filme, pois não queria pegar spoiler sobre a história, mas ainda estou muito interessada em adquirir esse livro e conhecer esses personagens tão apaixonantes.
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Não há duvida que a quimica entre os personagens seja bem interessante, mas de fato você transcende isso através das suas palavras, gosto de ler suas resenhas.

    obrigado por compartilhar,

    ResponderExcluir
  7. Não é o tipo de leitura que leio com frequência, mesmo com uma òtima narrativa. Mas quero muito assisti ao filme para conhecer um pouco mais dos personagens.

    ResponderExcluir
  8. Mila!
    Que legal ter apreciado tanto a leitura pelo fato do livro se passar dentro da cabeça do protagonista e não ser uma história contada, como estamos acostumados.
    Parece um livro sensível, cheio de descobertas e sem rótulos e o melhor, tem apoio familiar que para mim é tudo.
    Parabéns pela análise!
    Desejo um ótimo final de semana!
    “O passado é uma cortina de vidro. Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro.”(Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. O que sempre leio em resenha ou críticas é a sensibilidade que há na história. É uma história de descobertas, numa época em que as pessoas tinha uma mente fechada... mas eu falando assim até parece que algo mudou na atualidade.

    ResponderExcluir
  10. Parece ser um livro muito legal e emocionante.
    Que fala sobre amor, lutas, preconceitos, vida...
    Quero demais ler em breve.
    Só não gostei da capa, achei bem feinha kkkkk
    bjs

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!