Resenha: O que os chineses não comem - Xinran

em 9 de julho de 2020

O que os chineses não comem
Autor(a): Xinran

Editora: Companhia das Letras
Págs: 192



Este é um livro surpreendente, quase tão surpreendente quanto a China que emerge de suas páginas. Sua trajetória começa em 1989, quando a autora se torna apresentadora de rádio na China da "abertura" de Deng Xiaoping. A novidade do programa, mais perto da realidade dos ouvintes que qualquer outro na China até então, faz com que muitos ouvintes liguem para contar suas histórias. A experiência rendeu o best-seller internacional As boas mulheres da China. Após concluir seu segundo livro, Enterro celestial, a autora muda-se para Londres e passa a escrever num grande jornal.
Quase todos os aspectos da vida são abordados nesta coletânea de crônicas para o jornal inglês The Guardian. Dos cumprimentos cotidianos - e do fato de para um chinês ser chocante receber um beijo no rosto - até as diferentes maneiras (e significados) de usar meias, passando pelo sexo, pelas mudanças contemporâneas e pelas grandes festas que definem uma cultura. É, assim, quase inacreditável descobrir, em nosso etnocentrismo, que poucos anos atrás os chineses, não-cristãos em sua vasta maioria, não tinham idéia do que fosse o Natal. Mais inacreditável, apenas descobrir como vivem as mulheres no campo chinês. O que transparece é um retrato vivo e atual do que continua a ser - para nós, mas também para eles - um dos países mais desconhecidos do planeta.





Resenha

A autora de As boas mulheres da China - que só no Brasil já vendeu mais de 40 mil exemplares -, lança nova luz à cultura e aos hábitos dos chineses, trazendo para o Ocidente uma visão única de seu país natal, feita por alguém que transita com desenvoltura entre esses dois mundos.



Eu adoro esse tipo de leitura, conhecer outras culturas e outros povos com essa grande diferença de gastronomia, religiosidade e tudo mais. Xinran é uma jornalista que escreveu vários livros denunciando várias mazelas sociais do seu povo, principalmente sobre a vida das mulheres, em As boas mulheres da China, ela relata sobre os maus tratos as mulheres e crianças em seu país.

Também li Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida, onde ela denuncia sobre os bebês meninas que nasciam em seu país e eram assassinadas assim que nasciam, simplesmente por serem meninas, muitas foram vendidas ou levadas para adoção em países no Ocidente.


Mulheres sofrem em todos os lugares, em países do mundo inteiro, não é exclusividade de países em desenvolvimento. Mas claro, que nesses países as mazelas são maiores, devido a falta de coisas básicas, como alimentação, saúde e educação.


'O que os chineses não comem' se trata de uma coletânea de crônicas escritas pela autora Xinran e publicadas em sua coluna para o jornal The Guardian entre os anos de 2004 e 2005.


Neste livro, O que os chineses não comem, ela faz um apanhado de histórias de seu país, contando sobre as curiosidades gastronômicas, que na maioria das vezes, nós ocidentais, não compreendemos, pois alimentar-se de animais tidos por nós como de estimação, para eles é comum, já em outros livros dela eu já tinha lido sobre isso, a China foi, como outros países, devastada pelas guerras e lutas de poder dentro do próprio país, eles passaram muita fome e aprenderam a sobreviver se alimentando de tudo, mas tudo mesmo. Eu não julgo, nem nunca julguei esses hábitos, só quem passou por necessidades assim deveria julgar...


Acredito que é um livro com muitas curiosidades interessantes e que agregará mais cultura em quem se embrenhar na leitura, fazendo diminuir não somente o preconceito com este povo como ganhar maior conhecimento de causa.

Acho um livro bem legal para ler durante a quarentena!

Espero que tenham gostado, boa leitura!

Resenha Filhos da Lua: O Legado Sombrio

em 6 de maio de 2020

Filhos da Lua: O Legado Sombrio
Filhos da Lua # 2
Marcella Rossetti

ISBN: B086WVDVS5
Ano: 2020 / Páginas: 508
Idioma: português
Editora: AVEC Editora


No Refúgio dos trocadores de pele, Bianca parece ter encontrado seu lar. Entretanto, enquanto este mundo se revela ainda mais ameaçador, Julian e ela precisam encontrar os últimos traidores. E precisarão fazer isso antes que uma ameaça ainda maior se aproxime.
Em Filhos da Lua: o Legado Sombrio, segundo volume da série, Marcella Rossetti apresenta aos leitores um pouco do lado mais obscuro dos trocadores de pele. Além de revelações não apenas capazes de afetar o destino de Bianca, mas o de todo universo Karibaki.


Resenha


Atenção! Está resenha é livre de spoiler


Filhos da Lua: O Legado Sombrio faz parte de uma série, e este é o segundo volume, me sinto muito lisonjeada por ter tido a oportunidade de ler este livro, por ter principalmente a parceria com a autora, sobretudo por eu ter lido o primeiro volume já um tempinho e Marcella ter lembrado desta humilde blogueira.


Resenha: Corações Feridos - Louisa Raid

em 14 de abril de 2020




Título Brasileiro: Corações Feridos
Título Original: Black Heart Blue
Autor(a): Louisa Reid


Tradução: Thiago Mlaker
Editora: Novo Conceito
Gênero: Ficção Inglesa
Págs: 256
Ano: 2013


Sinopse

Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte... Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?



Resenha










Continuando as leituras neste período de isolamento social devido a pandemia do Covid19, escolhi um livro aleatoriamente no meu Kindle, quero ler os mais antigos para abrir espaço para novidades, então acredito que fiz uma boa escolha.

Corações Feridos foi uma leitura densa, eu não sabia do que se tratava até iniciar a leitura, já que no Kindle não tem como ler a sinopse, e eu não tinha lido nada sobre ele nas redes sociais, muito menos as resenhas no Skoob.

Resenha Em Busca de Zoe

em 8 de abril de 2020

Em Busca de Zoe
Alyson Noël

ISBN-13: 9788576796664
ISBN-10: 857679666X
Ano: 2012 / Páginas: 248
Idioma: português
Editora: Novo Século




Já se passou um ano desde o brutal assassinato de sua irmã mais velha, Zoe, e Eco, uma adolescente de quinze anos, ainda tem de lidar com os efeitos desta tragédia. Seus pais parecem anestesiados, seus amigos seguem a vida, e um estranho primeiro ano de escola prova que ela jamais estará à altura da memória da irmã.
Até que Marc, ex-namorado de Zoe, aparece com seu diário.
No início, Eco não fica muito interessada pelo assunto, duvidando que haja algo no diário que ela ainda não saiba. Mas quando finalmente a curiosidade prevalece, ela começa a ler. A imersão no mundo secreto de sua irmã é tão grande que suas vidas começam a se confundir, forçando Eco a descobrir a verdade que se esconde na vida de Zoe para que possa enfim reconstruir a sua própria vida.


Resenha


Vamos lá, há muitos anos que quero ler Em Busca de Zoe, a edição é de 2012 e comprei este livro em 2013, desde então ele entrou na lista dos livros desejados para ler, mas sempre entrava um outro livro na frente. Mas eis que surgiu a oportunidade com a quarentena eminente, e depois de ver o trailer da Netflix, a vontade de ler foi maior.


Gosto deste estilo literário, literatura estrangeira com uma dose sombria e crescimento pessoal, o livro gira em torno de Eco e sua redescoberta da real personalidade de sua irmã já falecida Zoe.