Resenha: Bela Gratidão - Corey Ann Haydu

em 12 de janeiro de 2018
Bela Gratidão

Autor(a): Corey Ann Haydu

Gênero: Romance Estrangeiro
Editora: Galera
Págs: 430


Um romance sobre amadurecimento e a dureza de crescer em uma cultura que exige das mulheres nada menos que a perfeição.
Corey Ann Haydu explora as complexidades da família, os limites do amor e quão duro é crescer em uma cultura que premia a beleza acima de qualquer outra coisa e cobra das mulheres nada menos que a perfeição. Uma leitura atual que dialoga direta e honestamente com a multiplicidade de questões enfrentadas por adolescentes e jovens no mundo todo – a confusão do primeiro amor, os dramas familiares e a construção da própria identidade no meio de toda essa loucura. O livro está cheio de personagens realistas, que tropeçam nos próprios medos e cometem erros com alguns dos quais é impossível não se identificar. Montana e sua irmã Arizona têm um pacto desde que a mãe as deixou: São elas duas contra todo o mundo. Com o pai sempre imerso em relacionamentos tóxicos e uma sucessão de madrastas essa foi a maneira que encontraram de seguir em frente. Mas agora que Arizona foi para a faculdade Montana se sente deixada pra trás e perdida, mergulhando em uma amizade vertiginosa e empolgante com a ousada Karissa. No meio disso tudo, Montana encontra uma distração em Bernardo. Resta saber se Montana têm a confiança necessária no que sentem um pelo outro para encaixar Bernardo na sua vida imperfeita.




Resenha






Neste lançamento da Galera Record, já começa pela capa super bonita e dentro do livro, muitas mensagens positivas num romance de formação.

Montana e sua irmã estão habituadas a muitas pessoas entrarem e saírem de suas vidas desde que a mãe foi embora enquanto elas eram crianças. Perdeu a conta de quantas namoradas seu pai teve desde então, mas adora quando ele fica sozinho e um tempo pode desfrutar de sua companhia e cuidados.

O incrível neste livro são as datas marcadas e mensagens no diário de gratidão de Montana, a ex-namorada de seu pai, a Natasha que ensinou a ela o que era ser grata, então ela diariamente anota as pessoas de quem ela deve gratidão fazendo disso um exercício lindo. Amei do fundo do coração essa ideia e já quero copiar!


"Esse é o único lugar onde já morei. A estrutura da minha família está sempre mudando, mas o prédio de tijolos vermelhos, a varanda da entrada caindo aos pedaços, a tinta amarela do meu quarto, a vista do restaurante italiano do outro lado da rua continuam iguais."


O pai delas é cirurgião plástico e encontra defeitos em todas as suas namoradas, querendo consertá-las e também faz isso com suas filhas, aí a gente já imagina o quanto neurótico era viver nessa casa.

Com muitas reflexões sobre amadurecimento, já que elas ainda são adolescentes, é um livro muito bonito e inspirador, só o fato dela ter esse sentimento de gratidão pelas pessoas demonstra que não foi corrompida pelo padrão de perfeição que seu pai tanto busca, isso poderia ser nefasto em sua vida.


"Eu sou um território. Eu sou uma coisa na qual as pessoas colocam bandeiras. Querem declarar que pertenço a elas. Isso é uma coisa totalmente nova. Eu estou acostumada a ser uma coisa abandonada. Uma meia esquecida ou um brinquedo que já não se quer mais, uma lembrança vaga e simbólica de uma época da sua vida".


Gostei muito deste romance e indico a pessoas de todas as idades.


Boa leitura!

18 comentários

  1. Eu amo essa capa!
    Gostei da mensagem, e parece ser um livro que tem muito a nos ensinar.
    Também gostei da listinha da gratidão; agradecer nos proporciona uma boa sensação.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não foi um livro que me chamou tanta atenção, mas gostei do que vi dele. E esse negócio do pai querendo buscar a perfeição em tudo desse jeito já me deixou encucada. Acho que iria odiar esse daí. Ahh gente, perfeição quase não existe nessa vida, é um trem tão raro e ver gente que busca isso desse jeito aí me desanima viu...
    Achei legal por todas as coisas pode fazer a gente parar pra pensar. Mas não sei se leio nem tão cedo =/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nanda!
    Toda vez que vejo esse livro sempre acho que é algum de autoajuda hahahah
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nanda.

    Acho que com o abandono da mãe e com o entra e sai de mulheres na vida do pai, a Montana deve ter se acostumado com a perda e mudança brusca frequente. Mas, é preciso lidar bem com ela, com o desapego.

    E é um livro que nos faz refletir sobre a perfeição e sua busca e a não satisfação excessiva no próximo.

    ResponderExcluir
  5. Olá Nanda! Gostei da temática do livro pois aborda os padrões de beleza e o quão negativos eles são. Imagino que nossa personagem principal deve passar por muitas situações complicadas com esse pai tão perfeccionista. As mensagens de gratidão são mesmo inspiradoras e a capa é muito linda. Fiquei com vontade de ler. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Além da capa linda, e notório que este e um romance inspirador, com palavras que irão fazer qualquer leitor se questionar e refletir, sobre o que devemos ser gratos, principalmente as pessoas que estão ao nosso lado. Poder acompanhar todo o amadurecimento dessas personagens adolescentes, e seu relacionamento familiar com seu pai, e o que deixa a leitura ainda mais agradável. Por esta razão já quero ler este livro.

    Venha participar do sorteio de um kit da caixinha da TAG Livros http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Nanda
    Dá para perceber que a leitura não é tão leve como imaginamos vendo a história que Montana e sua irmã passam com o pai, mas é mto bom acompanhar o amadurecimento desse relacionamento da família, melhor ainda sabendo que o livro traz tantas mensagens positivas..
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Achei muito bonita a capa deste livro, achei legal que no livro tem muitas mensagens positivas num romance de formação, gosto de livros com reflexões, que bom que este livro é muito bonito e inspirador, sem dúvidas pretendo ler Bela Gratidão.

    ResponderExcluir
  9. Olá, a obra passa a mensagem de que todos são perfeitos em suas imperfeições, fazendo com que o leitor se apegue aos personagens e torça por eles. Apesar da trama aparentemente simples, ela possui bastante significado. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Nanda!
    Gosto quando o livro traz a temática familiar, mesmo que aqui seja uma família bem desestruturada.
    A pobre da Montana tem que lidar com sentimentos profundos de rejeição e ainda uma série de outros sentimentos que devem torná-la uma pessoa um tanto triste...
    Fiquei bem curiosa para ler.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Parece ser um livro muito bom, mas com um toque de tristeza, pelo menos foi o que eu senti ao ler a resenha ejá fiquei com vontade de abraçar essas irmãs!
    Deve ter uma mensagem muito bonita, vou colocar na minha lista.
    Achei a capa simples, mas muito linda <3

    ResponderExcluir
  12. A capa é uma graça. As meninas precisaram crescer, amadurecer, depressa demais e vamos combinar que não graças a esse pai... Quer dizer, não esses pais.
    Não conhecia a autora e gostei do enredo.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Fernanda!
    Apesar de ter amado a ideia do diário de gratidão de Montana, não fiquei interessada na trama de Bela Gratidão, livros com muitas reflexões sobre amadurecimento não faz meu estilo de leitura, mas não tenho dúvidas de que essa é uma ótima dica para quem gosta do gênero... Bjos!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Gostei muito do livro, já tinha lido resenhas mas não me lembrava onde. A trama é bem envolvente, com uma história muito fofa e com ótimo ensinamento. Espero ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  15. Sinceramente eu não esperava que esse livro pudesse abusar de tanta delicadeza e sutileza gosto da história e do ensinamento que o livro passa e amo Definitivamente eu amo a protagonista e o amadurecimento dela

    ResponderExcluir
  16. Oi, Nanda!
    O livro parece ser bem interessante e gosto bastante da capa e do tema da estória. E sempre interessante ler como um personagem cresce na estória.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  17. É um livro com uma premissa diferente, mas que para mim é um pouco devagar, deveria ser mais dinâmico. Mas essa é minha opinião, posso ler futuramente.

    ResponderExcluir
  18. Que lindeza!
    Eu não conhecia, mas fiquei com muita vontade de ler, pois também amoooooo livros sobre gratidão e o poder que ela tem.
    bjsss

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!