Resenha A Química Que Há Entre Nós

em 8 de agosto de 2017

A Química Que Há Entre Nós
Krystal Sutherland

ISBN-13: 9788525062406
ISBN-10: 8525062405
Ano: 2017 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Globo Alt

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.
Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.


Resenha


Krystal Sutherlang é uma ótima escritora, estava bem ansiosa e com muitas expectativas para ler A Química que há entre nós, primeiro porque li algumas resenhas elogiando muito e até uma em especial que dizia que os fãs de A Culpa é das Estrelas iriam adorar, claro que depois disso eu simplesmente precisava ler este livro, e foi o que eu fiz.

Fazer comparações é muito complicado, mas até que concordo com a amiga blogueira, a narrativa e alguns elementos se assemelha muito aos livros de Jonh Green e ainda tem aquele senso de humor gostoso, o livro possui várias referências que deixam o livro irresistível, mas o que mais gostei mesmo, foi do clima de mistério.

"Sempre pensei que o momento em que você conhece o grande amor da sua vida fosse mais parecido com os filmes. Não idêntico a momentos cinematográficos, é óbvio, com câmera lenta, cabelo esvoaçando na brisa e uma trilha sonora instrumental bombástica. Mas eu imaginava que ao menos haveria algo, sabe? O coração saindo pela boca. Um puxão na alma onde algo de dentro diz: 'Puta merda. Lá está ela. Até que enfim, depois de todo esse tempo, lá está ela.'"

Afinal, quem não lembrou de Jonh Green e A Culpa é das Estrelas com este trecho abaixo..


"-Se sentir insignificante não é exatamente uma ótima cura para infelicidade.
-Claro que é. Quando olho para o céu de noite, eu me lembro de que não sou nada além das cinzas de estrelas mortas há muito tempo. Um ser humano é um conjunto de átomos que se junta em um padrão ordenado por um breve período de tempo e então se desmorona outra vez. Encontro conforto na minha pequenez.
- Não acho que você está na mesma página que o resto da humanidade, Town. Você deveria estar apavorada com o esquecimento, como o resto de nós."



Em A Química Que Há Entre Nós, vamos conhecer Henry Page e Grace Town, Henry é um amorzinho, tem amigos preciosos, leva a vida numa boa sem se preocupar muito, já Grace Town é uma incógnita, ela se veste como um garoto, quase sempre está com o cabelo meio oleoso, daqueles que parece que não vê banho um tempinho, ela também precisa da ajuda de uma bengala para andar e mesmo assim anda mancando, é uma garota fechada que não se aproxima de ninguém, quase não participa das aulas, isso tudo deveria deixar as pessoas ao seu redor se afastarem, mas não para Henry, algo nela o chama atenção, ele se aproxima aos poucos e é aos poucos que ele vai vencendo aquela barreira, Grace Tonw é um mistério e ele está doido para desvendar.


Os diálogos são muito inteligentes e eu adoro isso, a diagramação é linda, a capa condiz com o enredo, o livro não é só mais um romance, constantemente fui pega de surpresa com a história de Grace, isso porque tem sempre aquele clima de suspense com o que aconteceu com ela, o leitor irá descobrindo junto com Henry Page e você entende porque ela é tão ferida, mas ela se permite, na medida do possível, porém ela tem muitas cicatrizes.


"Em geral, eu era bastante bom lendo pessoas, mas Grace Town era uma anomalia, um ponto cego no meu radar. Odeio ficar todo Crepúsculo, mas eu conseguia de súbito entender como Edward achava interessante uma pessoa tão besta (não que Grace fosse besta - ela era astuta e espirituosa, com um senso de humor tão negro que poderia ter atuado como Batman). Mas eu enfim entendi a atração do Cara Brilhante por Bella. Quanto menos eu conseguia ler Grace - quanto menos eu a entendia -, mais extasiado eu me tornava. Eu precisava, desesperadamente, entender o que estava acontecendo dentro dos salões sombrios, retorcidos e hilários de sua mente."


"O ataque insano de endorfinas que inundaram meu sistema no momento que meu telefone vibrou e o nome dela surgiu na tela era preocupante. Eu nunca tinha sido viciado em nada, mas pensei que talvez fosse assim que um viciado desesperado por um pouco de droga se sentia. - Edward Cullen, seu pobre desgraçado miserável - eu disse enquanto travava a tela do celular e encarava o teto. - Eu não deveria tê-lo julgado com tanta dureza."


Em suma, eu adorei este livro, a autora me surpreendeu muito com o enredo, gostei muito da personalidade de Henry e adorei seus amigos, o clima de mistério se mantem constante com relação a Grace, a leitura flui rapidamente, os diálogos foram muito bem elaborados, deixou um gostinho de quero mais e espero poder ler outros livros da autora.


Beijos


12 comentários

  1. Também gosto muito de livros com diálogos inteligentes, que nos surpreende a cada passar de páginas. Enfim, pelo visto irei me deparar com uma estória além do romance, já que teremos também um mistério em torno da personagem e o porque de ser tão ferida, espero que esta seja uma leitura bastante prazerosa.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Já tinha visto a capa deste livro por aí, mas não tinha tido o cuidado de dar uma olhada na sinopse e hoje com a tua resenha, fiquei bem curiosa por realizar a leitura, pq amo A Culpa é das Estrelas e esse trecho aí realmente nos lembra muito o livro...

    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu nunca tinha visto essa comparação com A culpa é das estrelas? Mas já vi sim muitas resenhas e todos falam muito bem!
    Adoro histórias com diálogos engraçados e que transformam a leitura em algo leve; esse quote que você mostrou realmente foi como estar lendo o livro do Jonh.
    É diferente pensar na mocinha como o lado obscuro da relação ne? Kkk geralmente é o menino que é todo bad, com roupas estranhas e tudo mais.
    Imagino que seu uma leitura super agradável! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mila!
    Eu gostei muito de A Culpa É das Estrelas e também senti a vibes do livro com a sinopse desse livro... Mas infelizmente não foi suficiente para me fazer ler. Acho que já passei dessa fase de sick-lits...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Estou de olho nesse livro e não vejo a hora de poder realizar a leitura dele! Já li tantas resenhas positivas que a ansiedade só aumenta! Tirando essa capa que é perfeita, com certeza gostarei da leitura quando a fizer!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Mila!
    Deve mesmo ser um livro bem emocionante para 'roubar' tanta emoção, ainda mais se comparado a A culpa é das estrelas.
    Geralmente gosto de livros do gênero, embora tenha parado um pouco de ler, porque acabaram se tornando repetitivo demais, porém esse, parece que traz todo ese segredo da protagonista que até eu fiquei com vontade de ler para saber o que é, além de descobrir que triste fim.
    Desejo uma ótima semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  7. Achei interessante falar que lembra dos livros do Green. Adoro a narrativa dele então se tem alguns elementos semelhantes acho que iria gostar. A trama parece bonita e a personagem da Grace chama atenção pelo mistério. Vi umas coisas dela que me deixaram meio pé atrás, mas acho que no fim das contas iria gostar. Só tenho que conhecê-la melhor. O Henry parece um fofo, então esse já me ganhou de cara xD
    Adoraria ler essa história ^^

    ResponderExcluir
  8. Estou louca para ler esse livro depois dessa indicação!
    Sou apaixonada por ACEDE e se for me fazer lembrar dele já vou ler amanhã!
    Gostei bastante da sinopse e que o romance é bem diferente e ainda tem um clima de mistério que deve deixar a leitura muito melhor!

    ResponderExcluir
  9. Esta é a segunda resenha que leio sobre o livro, e ambas são bem positivas em relação a historia. Amo romances e estes que envolvem personagens com personalidades diferentes e trazem uma " Bagagem" do passado, sempre nos traz lições de alguma forma. Com certeza irei incluir ele na lista de desejados!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia nada a respeito do livro e fiquei surpresa com essa resenha, pois despertou minha curiosidade. Mesmo tirando uma pausa desse gênero, é bom saber da qualidade da escrita e das características dos personagens.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mila!!
    Gostei muito da resenha e fiquei bem curiosa para conhecer mais sobre essa estória, e infelizmente não li ainda A Culpa É das Estrelas só assisti o filme mesmo.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  12. Oi Mila.
    Concordo com você essas coisas de comparação é bem difícil já que na maioria das vezes criamos uma certa expectativa que no final não é correspondida mas enfim eu adorei essa premissa e sei que irei amar o livro com toda a certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!