Resenha: Um tigre para Malgudi - R.K.Narayan

em 14 de março de 2017
Um tigre para Malgudi
Autor(a): R.K.Narayan

Tradução: Léa Nachbin
Gênero: Romance Indiano
Págs: 236
Editora: Guarda-Chuva



Um tigre rememora o passado desde a juventude selvagem, como implacável soberano da floresta, até tornar-se discípulo de um asceta nas montanhas.
Raja, um magnífico exemplar do Jardim Zoológico de Malgudi – a “efervescente cidade pequena no Sul da Índia”, apresentada ao leitor brasileiro em O pintor de letreiros – reconstrói o percurso de uma existência que, entre a liberdade física e a espiritual, conduziu-o ao cativeiro e à injustiça, confrontando-o com a sua própria maldade e a perfídia dos homens. Com ferocidade insaciável, o tigre assalta as noites de pacatos vilarejos, sofre privações atrozes ao ser capturado, transforma-se em atração de circo e participa de um set cinematográfico.
Subjugado à ambição humana por riqueza e poder, descobre que o passaporte para a fama não passa de mais uma escravidão. Qual terá sido a identidade de Raja numa encarnação anterior? A resposta não é clara; os indícios para decifrá-la encontram-se nas vicissitudes do presente.

Na plenitude de sua maturidade literária, numa de suas mais belas e prazerosas histórias, o escritor indiano alterna páginas de reflexão profunda com humor perspicaz e cria uma voz narradora tanto inédita como inesquecível – um tributo à amizade, de um profundo conhecedor da arte do desprendimento. (L.N.)




Resenha


Conheço outros autores indianos, e já fiz algumas resenhas de seus livros, Um tigre para Malgudi chegou de nossa parceria com a editora Guarda-Chuva.

Gosto bastante de livros filosóficos, ainda mais com animais, uma leitura interessante foi Fernão Capelo Gaivota, onde a gaivota Fernão, em meio as suas aventuras e sobrevoos nos conta sua vida, ambições e relacionamentos. Impossível ler este livro sobre o tigre Raja e não fazer comparações, animais pensantes não é tão fácil achar no mundo literário, ainda mais voltado para o público adulto.






A história é sobre o tigre indiano Raja, cheio de soberba e majestade, onde acompanhamos suas caçadas e aventuras, em que ele sempre se coloca no papel principal, além de predador, também é o rei da floresta, subestimando o temido leão africano em suas divagações.

Raja nos conta sua existência desde o nascimento, juventude, até sua chegada a cidade fictícia Malgudi. Onde começa sua interação não bem sucedida com humanos, na verdade, a floresta aos poucos diminui com a civilização, o fato é que os animais selvagens estão buscando alimentos que agora só encontram junto as pessoas, como ovelhas, galinhas etc. Os tigres acabam atacando as pessoas, se alimentando delas, na Índia há inúmeros casos assim, e tem filmes contando suas histórias como Roar - Tigres Assassinos ou uma aventura mais leve como As aventuras de PI por exemplo.



" Não sei porque Deus optou por nos conceder este aspecto feroz, o mesmo Deus que  criou o papagaio, o pavão e o cervo, que inspira poetas e escritores. "

Um tigre para Malgudi foi publicado em 1983 e lançado há alguns anos pela editora Guarda-Chuva.



Num determinado momento, Raja é apreendido por caçadores e viverá como atração num circo, após muitos anos de shows, entrará no mundo do cinema, e após muito furor, fugiu e por fim, veio a encontrar-se com seu mestre swamiji, um asceta que vive em retiro espiritual. Com personagens por vezes caricatos a história nos tira boas risadas e vários ensinamentos. A convivência do tigre com a civilização humana nos traz várias divagações, desde a sedenta busca por dinheiro até a burocracia dos governos.

O autor escreve super bem, infelizmente faleceu em 2001, é um dos maiores romancistas indianos de língua inglesa do século XX. Dono de uma escrita simples, porém de muito conteúdo, suas obras são ricas em detalhes que nos fazem conhecer melhor a Índia, ele é comparado com nosso Jorge Amado, que escrevia apaixonadamente sobre o Brasil e sua cultura. Talvez por isso eu também me apaixonei pelas obras de Narayan, Jorge Amado é meu escritor nacional favorito!






O Pintor de Letreiros (1977) foi o primeiro trabalho do escritor publicado pela editora. O segundo, Um Tigre para Malgudi (1983), chegou às livrarias em 2012. A escolha dos romances não segue uma linha cronológica da publicação na Índia. A tradutora das obras é a médica carioca Lea Nachbin, que morou na Itália muitos anos e fazia viagens esporádicas pela Índia ode conheceu a obra do escritor. Como era apaixonada pelas histórias, encontrou na parceria com a editora Guarda-Chuva um meio de nos trazer suas histórias fabulosas. Ela também traduziu a obra O Guia de 1958, também disponível pela editora no Brasil.

São obras riquíssimas, de conteúdo ímpar, adorei conhecer o autor, livros que inspiram e trazem divagações sempre são garantia de boa leitura e nos trazem paz. Eu, particularmente, leio livros assim entre uma obra mais pesada e outra, para conseguir digeri-las melhor.


Sobre o autor



R. K. Narayan (1906-2001), abreviação de Rasipuram Krishnaswami Narayan, é um dos maiores romancistas indianos de língua inglesa do século XX. Nascido em Madras, atual Chennai, viveu grande parte da sua vida em Mysore, cidade histórica do Karnataka, estado do Sul da Índia. Inspirado nesses cenários construiu Malgudi, cidade imaginária onde é ambientada quase a totalidade de suas histórias. Seu gênio narrativo, que recebeu a alcunha de “Tchekov indiano”, admirado por escritores como Henry Miller e John Updike, foi descoberto por Graham Greene que, entusiasmado com seu primeiro romance, Swami e Seus Amigos, promoveu sua publicação, tornando-se seu mentor e grande amigo. Traduzidos em dezenas de idiomas, seus livros ganharam leitores no mundo inteiro e foram adaptados para filmes e seriados televisivos de sucesso.



Espero que tenham gostado, até a próxima!


21 comentários

  1. Oi, Nanda!
    Nossa! Que bad que o autor morreu já :(
    Achei bem interessante a história do livro e com certeza daria uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
  2. Que legal, gostei do livro. Nunca li nada sobre a índia e nenhum livro escrito por um indiano, esta pode ser a minha primeira leitura. Acho legal ler livros escritos por autores de países que não conhecemos ou que sabemos pouco, é bom diversificar a cultura.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu confesso que ao contrário de você não curto livros filosóficos não, essas frases poéticas e tudo mais não entram, na minha cabeça, mas vamos ao que interessa, fiquei bastante interessada na hist´pria, esse me parece ser um livro bem interessante, apesar e passar longe do meu gênero.
    Achei interessante a hist´poria ser sobre um animal, e tudo mais.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nanda! Não conhecia o autor nem o livro. Parece ser uma obra interessante, com reflexões e questionamentos q nos levam a afirmar cada vez mais o qto o homem, movido por sua cruel ambição, se torna a criatura mais detestável de todas. Anotarei a dica.

    ResponderExcluir
  5. Olá, essa é uma belíssima fábula e dela podemos tirar muitos ensinamentos, além de muita reflexão. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Nanda!
    Tigres são animais imponentes e lindos, embora de natureza feroz!
    Gosto muito de livros que se utilizam de animais pensantes para fazer comparativos com as personalidades humanas e a forma como vivem.
    Claro que quero ler, afinal, onde se tem aprendizado interior e filosófico, acontece revolução interna.
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Oi Nanda! Que interessante essa comparação com o Jorge Amado, não conhecia o autor, na verdade não conheço nenhum autor indiano, mas acho que sempre válido conhecer novos livros, novos autores, novas culturas. Adorei a indicação.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Confesso que nunca li um livro nesse estilo e não tenho muito interesse no mesmo.
    Mas por sua resenha, me parece ser uma leitura bastante envolvente, que traz inspirações e acredito que seja uma ótima pedida pra quem curte esse gênero literário.
    Quem sabe mais pra frente não acabe dando uma oportunidade pra esse tipo de história!?
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  9. Eu já li livros de autores indianos, porém este da resenha não me interessei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nunca li livros de autores indianos, confesso que não curto muito livros filosóficos, prefiro livros mais objetivos, mas esse parece ser muito bom e quem sabe não acabo lendo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nanda!
    Um fato um tanto chato é que não conheço e nem tenho muita oportunidade de ler autores de nacionalidades mais diversas como a de Narayan, mas essa obra em particular, de qualquer forma, apesar das comparações à Jorge Amado e o contexto curioso e visivelmente instigante da vida de um tigre (porque realmente não encontramos muitos enredos centralizados propriamente em animais), ainda assim não é uma leitura que me atraia muito, já que essa vibe mais reflexiva e filosófica não me agrade muito. Mas leitura interessante, sim, e valeu a dica mesmo.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  12. Não me lembro de já ter lido algo do gênero ou escrito por um autor indiano... na verdade, não conheço nenhum autor indiano. Confesso que não é um gênero que leio com certa frequência e, talvez, por isso eu não tenha me interessado, mas conhecimento sempre é válido. Acho tigres os animais mais lindos, fortes.

    ResponderExcluir
  13. Oi Nanda, eu gosto muito da cultura indiana, ela me fascina com suas histórias. E isso se aplica aos autores também. Achei bem interessante a história ser contada pela visão do tigre, e é bem difícil encontrar livros assim, com animais racionais.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  14. Acho legal quando um livro consegue passar um pouco da cultura de um lugar e coisas assim. É uma forma interessante pra se conhecer os aspetos locais. Achei interessante pela ambientação dele e como o animal é usado para narrar a história. Não acho que seria um livro que pegaria normalmente, mas acho que iria gostar se lesse. Ele parece trazer umas boas reflexões e falar de muitas questões interessantes. Seria uma leitura diferente pra mim.

    ResponderExcluir
  15. Nunca li o livro nem resenha de um livo indiano fiquei bem interessada.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Nanda!!
    Nunca li nenhum livro de autores indianos. Mas gostei do livro pois adoro tigres, acho animais maravilhosos e elegantes!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  17. Quando comecei a ler sua resenha me lembrei na hora de As Aventuras de Pi, e depois você citou a obra. Gostei da dica e o enredo parece realmente ser muito bom e reflexivo. Ótima resenha e dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  18. Oi Nanda!
    Nunca li uma obra de um autor indiano, e sua resenha me deu a impressão de ser um livro realmente lindo e inspirador. Assim como você, também gosto bastante de livros filosóficos, e com certeza irei procurar por esse.
    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  19. Oi Nanda (:
    Não conhecia o livro, mas achei a proposta dele bem diferente. Como você disse é bem difícil achar um livro na visão de um animal e o único que eu li até hoje foi um da Virginia Woolf, mas que comparado a esse é muito mais tranquilo.
    Não sabia desses casos que tigres comem humanos :O Fiquei realmente impressionada. Preciso assistir A Vida de Pi logo.
    Imagino que deva ser um livro bem triste olhando pelo lado da ambição do homem e dele não ter nenhum respeito pela natureza.

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi! Não conhecia o livro, mas conheço Fernão Capelo Gaivota. Na verdade tenho uma edição bem antiga dele, mas ainda não li. Legal saber que dá pra relacionar algumas reflexões de ambas as obras. Uma pena que o autor já tenha falecido :/

    ResponderExcluir
  21. Eu ainda não conhecia o livro, mas deu pra ver que é muito bem escrito e cheio de aventuras, reflexões, além de ser divertido.
    Achei bem diferente do que estou lendo atualmente, e claro, já quero conferir ;)
    bjs

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!