Resenha Muito Amor, Por Favor

em 13 de outubro de 2016


Muito Amor, Por Favor
Um Sentimento Em Quatro Elementos
Frederico Elboni

ISBN-13: 9788543104065
ISBN-10: 8543104068
Ano: 2016 / Páginas: 240
Idioma: português
Editora: Sextante

Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.
- O Amor É Água
Arthur Aguiar escreve sobre o amor quando ele é como a água: pode ser agradavelmente quente ou ferir se ficar gelado e rígido. Por vezes é tempestade, por vezes, calmaria. Mas quando é fluido, torna-se profundo e amolda-se a tudo.
- O Amor É Ar
Frederico Elboni fala sobre o amor ar, aquele que é leve, que eleva, faz flutuar. Mostra como é amar sem peso, sem amarras. Mesmo quando vem um vendaval, logo volta a ser a brisa, envolvendo os apaixonados com carinho e cuidado.
- O Amor É Fogo
Ique Carvalho escreve sobre o amor quando ele é fogo, que arde, arrebata, aquece a alma, mas às vezes incendeia até doer. Pode se manter como brasa por muito tempo, aguardando a chance de ser chama de novo, ou até renascer das cinzas
- O Amor É Terra
Matheus Rocha fala sobre do amor do tipo terra, aquele estável, certo, que traz segurança, mas que pode, de vez em quando, provocar terremotos que abalam estruturas, tiram tudo do lugar e viram a rotina de ponta-cabeça.


Resenha


É impressionante em como distinguimos a narrativa de cada autor, ler este livro foi prova disso, cada um com sua personalidade e seus sentimentos.

Muito Amor, por favor reúne vários contos de quatro autores, que até então eu só conhecia um, Ique Carvalho.

O livro é dividido em partes, onde cada autor reflete sobre o amor representado pelos elementos, ar, fogo, água e terra.



O Amor é fogo, por Ique Carvalho

O que falar dos textos de Ique Carvalho, sou completamente apaixonada pela forma que o autor se expressa, é tão real todo esse sentimento, sua narrativa chega a tocar a minha alma, gosto do seu ponto de vista em relação ao amor, gosto como ele trata a mulher que ele está apaixonado, gosto de como ele se relaciona com a família, seus valores e sua personalidade.


"Eu gosto de gente que chega de repente e que diz logo o que sente. Mas, ao contrário de outras pessoas, não gosto de dormir com estranhos. Gosto daquele tipo de relação em que um conhece o outro. Prefiro pessoas de verdade. Que cometem erros, fazem bobagens e seguem adiante. Se você quer se expressar, então use o olhar. Porque as palavras não podem dizer o que o amor pode fazer. Além disso, o que hoje é fácil de falar amanhã pode ser difícil de esquecer."



O Amor é terra, por Matheus Rocha

Matheus Rocha tem uma escrita diferente de Ique Carvalho, é como se fosse um desabafo em forma de livro, como se fosse um diário de bordo que ele tem o prazer de compartilhar com seus leitores, são pensamentos cheios de sentimentos e por vezes melancólicos.

"Depois de um passado em que a dor do amor me mostrou sua pior face, prometi que não me entregaria de bandeja a mais ninguém. Prometi que não emprestaria mais minhas músicas favoritas a qualquer pessoa que cruzasse meu caminho. Aceitei, de uma vez por todas, que seguiria uma vida inteira no singular, sem conseguir achar meu plural. Sem conseguir conjugar os verbos no tempo de outro alguém. Sem entender, de novo, o que era estar apaixonado em primeira pessoa por alguém de segunda."

É interessante em como o autor se expressa, mas a impressão que ele me dá é de ser aquele apaixonado melancólico e esse não é meu tipo de amor, porque a meu ver tudo que é demais é exagerado e também prezo muito a minha liberdade. Porém, Matheus Rocha é aquele cara que quando se entrega, se entrega de corpo e alma com tudo o que tem.

"Nossos encontros não deveriam ter fim. Juro que poderia ser julgado, condenado, destinado a passar todos os meus dias, de hoje em diante, algemado a você. Acorrentados. Nós dois. Enclausurados dentro do nosso amor. Dentro de um eterno reencontro. Dentro de um dos nossos passeios. Das casquinhas de sorvete, das pizzas, do cinema, dos filmes agarradinhos no sofá da casa, que adoro fingir que estou assistindo, quando na verdade tudo que me importa é estar ali, juntinho de você, sem pensar em mais nada. Sem preocupação alguma com a chuva que está para cair."



O Amor é água, por Arthur Aguiar

Arthur escreve de maneira despojada, leve e alto astral, é gostoso de ler, em algumas passagens li com um sorriso no rosto porque em algumas partes relembrei minha infância.

"Ainda não foi nessas férias que aprendi a surfar, mas foi nessas férias que aprendi que não devemos deixar de ser quem somos pra que a pessoa de que a gente gosta se interesse ou se apaixone por nós. Se for para gostar da gente, que goste exatamente da forma que a gente é!"

O Amor é ar, por Frederico Elboni

Frederico tem palavras envolventes, tem sentimento e é verdadeiro. Fiquei muito admirada com a narrativa do autor, a maneira que ele enxerga o amor.



"Seu nome é doce de dizer. Poucas sílabas, tantos refrãos... Poucos planos, tantos sonhos... Eu prefiro levá-la para o meu interior, ela prefere me tirar do seu toda vez que nos envolvemos mais e mais. Ela diz ser do mundo, mas até hoje não sei se faço parte do mundo dela. É difícil gostar de alguém que se for como o ar, fluido, solto, leve, desprendido, enquanto a gente se faz tão fogo, tão terra, sólido, forte, vibrante, certo do que quer, com um calor em que muito bem caberiam dois."

Muito Amor, por favor possui uma linda capa e uma diagramação caprichada, a leitura é rápida, a narrativa flui de tal forma que é gostoso de ler e além disso tudo tive a oportunidade de conhecer a narrativa dos outros autores.




Dos quatro autores, Ique Carvalho foi o que mais gostei, não sei bem explicar, mas desde que li seu livro Faça Amor, não faça jogo, eu me encantei pelo autor.

Recomendo a leitura para aqueles que gostam de contos, de romance. O livro está classificado como auto-ajuda, mas não sei se eu classificaria assim.


Beijos



16 comentários

  1. Que linda a diagramação, amei que colocou as fotinhos. <3 Não tenho esse livros, ainda RSRSR
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser daqueles fofos, com muito amor em suas linhas pra ler :) Eu não conheço nenhum dos autores como escritores, mas achei os quotes lindos e gostei demais de conhecer um pouco sobre a escrita de cada autor através de sua resenha ;)

    ResponderExcluir
  3. Adorei a perspectiva da sinopse, em primeiro lugar. Isso de tratar o amor pelos.elementos foi muito interessante e me chamou a atenção. Fiquei bem curiosa pra ler sua resenha.
    Não sou muito fã de contos, mas percebi que nesse caso a junção foi bem legal. Não conheço nenhum dos autores, e se sim, não me lembro. Percebi que você gostou bastante da escrita do primeiro autor, e é bem diferente do segundo. Deve ser maravilhoso ler esse livro e se enxergar em varias partes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Você se encanta com os livros e eu com sua forma de analisar as coisas, suas resenhas me deixam devastadamente impressionado!

    ResponderExcluir
  5. Amei a sua resenha amiga! Eu só tenho lido coisas positivas sobre esse livro, a proposta é muito interessante e eu já conhecia o trabalho dos autores. Adoraria conhecer melhor essa obra.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2016/10/top-7-criancas-prodigio.html

    ResponderExcluir
  6. Achei esse livro muito fofo! Pelos trechos eu gostei mais do Ique e do Frederico, achei a do Arthur despojada até demais...
    Tenho muita vontade de ler "Faça amor, não faça jogo" também, acho a capa linda, ia ser livro e objeto de decoração na minha estante!

    ResponderExcluir
  7. Oi Mila!

    Eu tenho interesse em ler e conhecer a narrativa dos autores citados. E a capa é muito bonita e gostei dos trechos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Ai Mila!
    Tudo que fala sobre o amor é lindo e se vem comparado em contos que se misturam com os elementos, deve ser muito curioso.
    Não conheço nenhum dos autores, mas gostaria de ler.
    “Prefiro os erros do entusiasmo à indiferença da sabedoria.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Arthur Aguiar é o ator? Gosto muito do Ique Carvalho. Da coerência e gostaria muito que mais homens pensassem como ele. Falar de amor acho dificílimo, mas, ao mesmo tempo, há uma gama de opções pq, pra mim, é a partir do amor que se originam os outros vários sentimentos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Mila.
    Que diagramação mais perfeitas, enfim adorei a Premissa do livro principalmente a utilização dos quatros elementos nos títulos, imagino que no decorrer da narrativa também, gostei bastante irei ler com certeza.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  11. Antes de tudo: eu adorei a diagramação! Nunca tive a oportunidade de conferir, mas achei super fofa, principalmente pelos desenhos. A premissa do livro é interessante, embora eu corra de contos as vezes, pois sempre fico com vontade de mais. Adorei saber sua opinião.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Já estou apaixonada pelo livro lendo somente os quotes. Adorei o quote do O Amor é terra é exatamente o tom melancólico que me atrai. Achei interessante poder ler sobre amor do ponto de vista totalmente masculino. Lendo a resenha o livro não parece mesmo de auto-ajuda. Já esta em minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  13. Gosto de um livro de contos, então esse chamou atenção. E é legal ir identificando cada autor, a escrita e como cada um apresenta a história. Fica interessante de ler por isso, por ir mudando com cada trama. Está parecendo bom e são contos bem legais pelo jeito.

    ResponderExcluir
  14. Que lindo! Amei a premissa e a capa é lindíssima!
    Já li vários comentários positivos sobre o autor, e vou queerer conferir sua obra em breve!
    bjs

    ResponderExcluir
  15. Só autores lindos, principalmente o Fred, e a maneira como ele escreve, é tão lindo! Desde que vi que o Fred é um dos autores eu já tinha colocado na minha lista. Só quem já conheceu ele sabe como ele exala este amor que ele coloca em palavras!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Não sabia sobre a proposta do livro, é a primeira resenha dele que leio e posso dizer que estou impressionada, gostei da divisão do livro e quero conhecer a forma como Matheus Rocha narra, se entregando de corpo e alma e desabafando no livro. Não conheço nenhum autor, seria minha primeira experiência com a escrita deles.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!