Resenha: Loney - Andrew Michael Hurley

em 27 de outubro de 2016
Loney

Autor(a): Andrew Michael Hurley
Tradutor(a): Renato Marques de Oliveira
Gênero: Ficção
Págs: 304
Editora: Intrínseca


Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.
À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera havia pouco tempo. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem.
O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.
Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.


Resenha


“Loney não é apenas bom, é sensacional. Uma extraordinária obra de ficção.”
Stephen King


Quando vi o lançamento deste livro nas livrarias, logo me interessei, achei a capa linda, ainda mais por ser capa dura, e de uma qualidade ímpar. Não tinha lido a sinopse até agora ao fazer esta resenha, em que a encontrei no site da editora, e então tudo faz sentido.

Uma narrativa empolgante e cheia de mistérios cerca a localidade intitulada de Loney, o autor nos transporta para um lugar sombrio, onde sentimos como se estivéssemos mesmo lá, e isso não é comum acontecer com livros lançados atualmente, pelo menos eu acho bem difícil.

“Era impossível conhecer de verdade o Loney. O lugar mudava a cada afluxo e recuo das águas, e as marés revelavam os esqueletos daqueles que pensaram que poderiam escapar das suas traiçoeiras correntes. Ninguém jamais chegava perto da água. Isto é, ninguém exceto nós”.

O autor é bem descritivo, então parece que a leitura não anda, mas não, é a lógica por trás dos fatos, é para realmente sentirmos o que os personagens em questão estão sentindo, e não para montarmos um quebra-cabeça, foi o que realmente entendi da história, e lendo outras resenhas, vejo que o pessoal não curtiu muito. Como falei, como é um livro descritivo, o autor se preocupou em nos fazer ter sensações e não nos dar uma história mirabolante e com reviravoltas, é um livro que lembra muito os clássicos de Allan Poe, na minha humilde opinião.

O fanatismo religioso, de uma comunidade católica é o início desta trama envolta em mistérios, a partir do momento que os restos mortais de uma criança são encontrados, Tonto, se vê confrontado com lembranças de sua infância há cerca de 40 anos, onde sua família costumava visitar um santuário em busca de um milagre.



A história se passa em lembranças vivenciadas nos anos 70, mas achei que era bem anterior a isso devido a temática católica fervorosa e beirando o fanatismo que a leitura me proporcionou, lembrei do filme A Bruxa, que também era sobre essa temática e ambientação. Um drama sobre duas crianças em crescimento, onde esbarram com a fé e o amadurecimento numa família dominada pelo medo, foi o que encontrei em Loney.

Não me decepcionei com a leitura, aliás achei sim um bom suspense gótico, compreendi a proposta do autor em nos trazer para dentro da história e ser mais sensorial do que imaginativa, então recomendo aos que gostam de histórias assim, sem esperar monstros nem aparições e sim, que o maior horror se encontra dentro de nós mesmos, a realidade nua e crua!





Até a próxima,


13 comentários

  1. Oi, Nanda!
    Acho que a sua foi uma das poucas resenhas positivas que li sobre esse livro.
    Eu fico meio com pé atrás porque muita descrição acaba me desanimando.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  2. Oi Nanda, eu já tinha visto outras resenhas desse livro e apesar de ainda não ter lido tenho curiosidade de conhecer a história, a capa é muito bonita e em capa dura deve ter um charme a mais. Sobre a história, acho que daria um bom filme de suspense e apesar de não estar entre os livros que quero comprar por agora, se tiver a oportunidade no futuro vou querer conferir :)
    O nome do personagem principal é bem engraçado Tonto?! rsr...

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nanda! Tudo bem?
    Desde o lançamento estou doido para ler o livro. Tudo nele chama muito a atenção, a capa, o suspense, o tema gótico, o mistério por trás...
    Adorei sua resenha, achei muito boa para abrir meus olhos quando for ler e não ter surpresas desagradáveis quanto a escrita (que na verdade não me incomoda muito)
    Bjs!

    -Ricardo, http://lapsodeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nanda, pelo que percebi essa é uma leitura bem diferente das habituais. Por mais que seja de terror, tem uma característica marcante de não se prender a uma história e contá-lá em si, mas de trazer reflexões sobre nossos próprios medos. Gostei da sua resenha, traz realmente o que acontece. Já tinha visto resenhas desse livro, mas nada que demonstrasse o ponto principal da obra.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Nanda
    Pelas resenhas que li deste livro, as pessoas amam ou odeiam. Pelo jeito tem que estar no clima certo para a leitura. Não gosto de livros muito descritivos, prefiro a ação. A temática religiosa é muito interessante. A capa é realmente linda.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nanda!
    A maioria das resenhas que eu vi sobre esse livro realmente foram negativas, e eu, que também tinha adorado a capa e o trabalho da editora, acabei perdendo o interesse por todo esse fanatismo religioso e exagero em descrições. Nunca li nada do Poe, então não posso opinar sobre a semelhança ou não...

    ResponderExcluir
  7. Loney me ganhou logo de cara com essa capa linda e esse detalhe do y que é uma extensão do galho. Adorei!
    Olha, se prestar bem atenção, o tema não difere muito dos dias atuais. O fanatismo religioso ainda vive, pessoas se acham no direito de julgar qualquer um em nome da religião.

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Quero muito ler esse livro, não gosto muito de suspensões psicológicos não, mas tenho um sentimento muito bom em.relação a esse livro, então ele não poderia ficar de fora da minha lista, tenho certeza que irei amar desfrutar dessa leitura.
    Fiquei feliz que o livro funcionou para você, espero gostar também.
    Boa Tarde

    ResponderExcluir
  9. Nanda!
    Como gosto de suspenses góticos e direcionados ao religioso, como também gosto de muita descrição, porque os detalhes sempre fazem a diferença, fiquei bem interessada pela leitura desse livro.
    "O conhecimento chega, mas a sabedoria demora."(Alfred Tennyson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Vi muita resenha falando que ele era lento e que por isso até perdia um pouco a graça. Que o autor descreve demais e enrola. Mas pelo jeito da história isso até que é legal. Acho que cria um mistério, uma tensão, e fica um livro cheio de sentidos. A gente passa a pensar e se sentir como os personagens, talvez. Acho que iria adorar essa leitura e preciso ler logo porque o meu está aqui e ainda não li.
    É lindo de edição mesmo né? Essa capa dura, ahh, amo livros de capa dura. Só por isso já vale a pena ter em mãos o bendito xD

    ResponderExcluir
  11. Nanda, achei a capa perfeita também, mas comecei a ler um pouco no kindle e não curti não, achei difícil de me concentrar kkkk
    talvez volte a ler algum dia.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Esta é a primeira resenha que vejo que diz que este livro é bom. Todas que li sempre falavam ao contrário.

    ResponderExcluir
  13. Vi várias resenhas negativas, mas acho que isso é decorrente da expectativa e da divulgação da editora, em compararem ele com Garota Exemplar, sendo que o livro é mais calmo. A edição está linda e quero saber como ele aborda a religião, vou esperar a editora enviar para ler.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!