Resenha: Pequena Guerreira - Giuseppe Catozzella

em 25 de agosto de 2016
Pequena Guerreira
Autor(a): Giuseppe Catozzella
Tradutor(a): Aline Leal
Gênero: Romance estrangeiro
Págs: 224
Editora: Record


Sinopse
A pequena guerreira é um romance baseado na vida de Samia Omar, a menina determinada a ser uma atleta de sucesso que cresceu numa Somália devastada pela guerra. Samia dormia com a foto do campeão olímpico Mo Farah ao seu lado, treinava arduamente apesar da violência e do preconceito que a rodeavam, e conseguiu, contra todas as expectativas, integrar a seleção somali de atletismo, além de participar das Olimpíadas de 2008 em Pequim. Um dia, com a família sob risco de ser irremediavelmente afetada pela guerra, sua irmã se vê forçada a fazer a perigosa viagem de barco para a Europa, como refugiada. Pouco tempo depois, Samia, temendo por sua segurança e por seus sonhos, resolve seguir os passos da irmã, e com isso coloca a própria vida nas mãos de traficantes de pessoas, demonstrando até onde alguém é capaz de ir por um sonho. A pequena guerreira é uma história inspiradora e tocante de guerra, família e esperança.



Resenha


Uma garota destemida, uma jornada perigosa, uma história inesquecível



Eu nunca tinha lido algo sobre esportes ou sobre a vida de esportistas, mas tinha muita vontade, e quando vi este lançamento do Grupo Editorial Record não titubeei em solicitar para resenhá-lo.

A abertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, despertaram até nas pessoas mais descrentes e desanimadas uma vontade de que tudo desse super certo e fosse lindo, e como nosso país é uma festa linda e colorida não nos decepcionou, os jogos realmente foram muito legais e tanto a abertura quanto o encerramento foram colírios aos nossos olhos.

Claro que a leitura deste livro teve esse gostinho especial, de estar dentro do espírito olímpico, realmente foi uma honra lê-lo nesta época.

Esta é a história de Samia Omar, maratonista que como num diário, conhecemos sua vida desde a infância que sonhava em ser atleta juntamente com seu amigo Ali, num país devastado pela guerra e principalmente com muito preconceito envolvendo as mulheres. Quando o grupo Al Shabaab, ligado à Al - Qaeda tomou o poder, as coisas ficaram bem mais difíceis, as mulheres eram obrigadas a usar burcas cobrindo todo o corpo, e não tem diversão alguma como antes, cinemas e teatros.







"Quem sabe um dia poderíamos descobrir as leis que levavam os homens a fazer guerra, e, nesse dia, nós a eliminaríamos para sempre. Seria o dia mais bonito da história da humanidade."




Mais do que nunca ansiamos em conhecer estas histórias de pessoas que superaram seus limites e no caso em particular desta atleta, é uma das milhares que fugiram de seus países de origem e se tornaram refugiados, em busca de uma vida melhor em outros países, muitos sem sucesso, mesmo sabendo que seus destinos possam ter fins trágicos, ousam sonhar, e Samia sonhou, conseguiu chegar a uma Olimpíada, mesmo sem patrocínio e sem apoio.

Li comentários que o livro lembra O caçador de pipas e eu concordo, todos os livros sobre guerras na verdade são parecidos, e em particular o de Khaled Hosseini além de tratar de amizade, se passam em países muçulmanos onde existem as restrições voltadas principalmente ao tratamento dado as mulheres, que segundo os mais radicais, são seres inferiores e que devem viver para servir aos homens, infelizmente essas coisas ainda existem, e é lamentável em pleno século XXI lermos sobre tamanhos absurdos.

Este é um livro triste mas necessário, nos dias de hoje precisamos nos solidarizar mais com as pessoas, pois estamos todos mais frios, devido ao trabalho excessivo e vidas turbulentas, enxergar a dura realidade dos que tem bem menos do que nós, é importante, precisamos praticar a empatia.


Fica a dica aos que gostam de um bom drama de guerra..







18 comentários

  1. Uau ! Que livro tocante, não é ? Só pela sinopse ficamos imaginando o que acontece com ela em sua viagem e toda a tristeza que ela passa com a guerra. Com certeza é um livro bem construído !
    Uma pena que ainda exista tantas guerras, e pessoas que destroem os sonhos de outras. Eu achei o livro lindo e quero ler quando tiver oportunidade.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Tem um tempo que quero ler esse livro, não só porque ele retrata sobre a guerra, e sobre os muitos refugiados que fogem de seus países, mas também por trazer uma história de uma mulher guerreira, que enfrentou todos os obstáculos, e conseguiu realizar seus sonhos. Essa personagem me cativou muito a leitura, por ela ser forte e decidida, e por não se abalar mesmo quando a situação fica mais difícil, espero ter a oportunidade de ler esse livro logo.

    ResponderExcluir
  3. Você não poderia ter descrito melhor do que: "uma história triste mas necessária", é realmente triste como muitas mulheres são discriminadas e de como grupos tomam o poder e ainda por cima usam o nome de Deus para realizar barbáries, e é importante lermos sobre o tema sim, e criar empatia como bem foi dito, pois o tema guerra e seus horrores é tão recorrente, que muitas pessoas nem se sensibilizam mais com o sofrimento alheio e isso é preocupante.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei super interessada no livro. Gosto de histórias inspiradoras e de superação.
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nanda!
    Livros no estilo não me chamam atenção, mas ao mesmo tempo não resisto a um drama. Eita vida!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oii Nanda
    Adoro um pouco de drama,mas nem tanto para ler esse livro,mas muito obrigada pela dica :3

    Abraços;**
    http://febredelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Amigaaaaaaaa, que capa maravilhosa não é mesmo?! Estou encantada por ela. O enredo é muito interesse e conseguiu despertar o meu interesse, eu adoraria conhecer melhor essa história!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/2016/08/top-5-aberturas-das-minhas-series.html

    ResponderExcluir
  8. Oi Nanda!

    Nunca li tb nada do gênero, mas acho bacana ler algo diferente às vezes e realmente, precisamos praticar a empatia!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessada, gosto de dramas e de histórias de guerra. O melhor é saber que o livro narra um caso de superação (o fato da atleta ter conseguido disputar uma olimpíada) mesmo com toda a tristeza que a guerra trouxe. Imagino que a história deva ser bem triste mesmo.
    Adorei a resenha!
    Beijos... Samantha Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não conhecia esse livro, mas que capa MARAVILHOSA, e sem contar que essa sua resenha me deixou com uma vontade imensa de ler esse livro!

    Um Beijo
    Beco das Leitoras

    ResponderExcluir
  11. Realmente é lamentável ver como as mulheres são tratada em alguns países. E é triste ver países em guerra por causa de religião.
    São histórias como as de Samia que nos fazem acreditar que ainda pode haver esperança.
    Estou bastante curiosa pra ler esse livro, e saber que ele se equipara com O caçador de pipas me deixa ainda mais ansiosa em conhecer esta obra.

    ResponderExcluir
  12. Adorei as olimpíadas e estou esperando ansiosamente o inicio das paralimpíadas. Também nunca li livros relacionados a esportes e adorei a dica, principalmente por se tratar de uma mulher que vem de um lugar onde seus direitos são inexistente.

    ResponderExcluir
  13. É inacreditável saber que essas coisas acontecem há tanto tempo. Guerras sabemos existem, mas, não sei, era um assunto distante. Só passamos a ter a real noção do que é a vida dessas pessoas, os perigos diários, com aquelas migrações em massa de 2015.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito de livros sobre guerras e esses assuntos mais polêmicos, e apesar de triste ver tanta dor e preconceitos, é preciso, até para evitarmos, e claro, conseguirmos ajudar de alguma forma.
    Gostei da resenha, deu pra ver que é um livro bem impactante e já quero ler!!!
    bjão
    Ana,
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Não sou muito de ler livros baseados em coisas reais assim. Mas até que achei esse bem bonito. Ainda mais por falar de como ela se empenhou para realizar esse sonho do esporte. E por mostrar que a vida pode ser muito difícil também. Acho que ele pode abrir os olhos, seria interessante ler.

    ResponderExcluir
  16. Não sou muito de ler livros baseados em coisas reais assim. Mas até que achei esse bem bonito. Ainda mais por falar de como ela se empenhou para realizar esse sonho do esporte. E por mostrar que a vida pode ser muito difícil também. Acho que ele pode abrir os olhos, seria interessante ler.

    ResponderExcluir
  17. Nem sempre gosto de ler livros assim pois acabo me sentido mal e fico emocionada. Mas isso é necessário pra vermos a realidade de muitos lugares do mundo. A história parece ser interessantíssima e pretendo ler assim que puder. Já foi pra minha lista de desejados.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  18. A história dessa moça parece ser muito triste, infelizmente ainda há esse tipo de coisa hoje em dia :/

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!