Novidades Lilian Comunica

em 18 de julho de 2016

Ola meus amores, vamos conhecer algumas novidades do mês de Julho?




Jogos Olímpicos: Canoagem olímpica ou canoagem na lama?

A Ilustranet abusa da linguagem cartum para mostrar indignação e humor em relação aos Jogos e a situação que vivemos no país hoje

Todo ano, a Ilustranet, estúdio on-line de ilustração e desenho, promove seu já tradicional projeto especial sempre com um tema específico (já produziram ações ilustradas sobre Copa do Mundo, cinema nacional,  clássicos do rock, entre outros). Para 2016, os ilustradores do estúdio resolveram misturar o principal evento do ano, as Olimpíadas, com os fatos que fazem o país viver um de seus momentos mais críticos dos últimos tempos.

As ilustrações do projeto "Olimpíadas Ilustradas" (http://ilustranet.com.br/olimpiadas2016) retratam de forma bem humorada os problemas do país nas áreas de saúde, segurança, educação e política até a divisão do país em dois grupos antagônicos. Os ilustradores chegaram até a criar novas modalidades "olímpicas" como "Assalto com vara" e "Lançamento de provas e arquivos". No hotsite do projeto, os internautas poderão votar na ilustração que melhor representa o momento do Brasil de hoje.

“Este tipo de projeto é muito interessante, pois no dia a dia trabalhamos muito traduzindo em desenho as ideias e textos de nossos clientes. Esta é a oportunidade de expressarmos, através dessas ilustrações, nossas próprias opiniões, ou seja, como nos sentimos diante de tanta coisa que está acontecendo no Brasil hoje"

Explica o ilustrador e designer Rubens Lima, que dirige o estúdio desde sua criação em 2006.



Uma viagem com Heródoto pelas histórias do Egito faraônico

Segundo livro da série Histórias de Heródoto, o Pai da História, leva aos leitores uma síntese geográfica e histórica sobre a região conhecida como Dádiva do Nilo

A Editora Edipro lança o segundo livro da clássica série Histórias de Heródoto: Livro II – Euterpe, traduzido por Maria Aparecida de Oliveira Silva. Cada obra da coleção, composta por nove volumes, tem o nome de uma das nove musas da mitologia grega que inspiraram os artistas mortais.

A estrutura narrativa é composta por duas grandes temáticas centrais, com subdivisões bastante conhecidas pelos especialistas em historiografia antiga. A primeira parte trata da descrição geográfica do Egito, enquanto a segunda é destinada à descrição histórica do país.

Na primeira metade há uma breve introdução ao tema; com descrição da geografia física; dados etnográficos; relatos sobre os costumes religiosos; a zoologia dos antigos sagrados; e a vida cotidiana e técnica dos egípcios. Já a segunda parte é reservada às crônicas e histórias, aonde contém episódios e anedotas dos reis antigos e recentes.

 Em Livro II – Euterpe, Heródoto não traça um relato descritivo de toda a região do Egito. Ele realiza um detalhamento geográfico, que proporciona ao leitor conhecer a geografia e compreender muitos hábitos e costumes dos egípcios.

Com estilo leve e agradável, a obra também contém notas explicativas que colaboram para o entendimento de todos, sendo acessível aos que se interessam pelas maravilhas e pelos mistérios do antigo Egito.



Humanidade: com ou sem fé?

Livro do filósofo e teólogo Tomás de Aquino investiga e questiona a natureza da fé e como ela pode ser considerada como virtude

A editora Edipro, em parceria com o Instituto Aquinate, continua a empreitada de publicar uma série de textos inéditos, editados em vernáculo, acessível com breve introdução descritiva e notas à tradução no intuito de pouco ou quase nada interferir nas obras. A partir desse propósito é que chega às livrarias de todo o país o livro A fé, escrito por Tomás de Aquino, traduzido por Paulo Faitanin e Bernardo Veiga.

A obra – que é uma tradução inédita em português da questão 14 das Quaestiones disputatae De Veritate, composta de 12 artigos – expõe com excelência a distinção entre a fé formada e a fé informe. Este material vem para auxiliar o leitor de noções básicas da visão do autor sobre a fé, natureza, definição, ato, objeto, unidade, efeitos, dons e relação com a razão e com a ciência.

O objetivo do autor não foi trazer uma única verdade sobre a fé. Neste compilado de artigos ele traz as indagações mais importantes que foram descritas em 12 capítulos: O que é crer?; O que é a fé?; A fé é virtude?; Qual é o sujeito da fé?; A caridade é a forma da fé?; A fé informe é virtude?; É o mesmo hábito da é informe e o da fé formada?; O objeto próprio da fé é a verdade primeira?; Pode haver fé sobre as coisas sabidas?; É necessário que o homem tenha fé?; É necessário crer de modo explícito?; É a mesma fé a dos modernos e a dos antigos?

Os tradutores, Paulo Faitanin e Bernardo Veiga, realizaram diversas pesquisas a respeito dos textos dos Padres citados pelo autor no livro. As referências foram seguras, de modo a ajudar o leitor a entender melhor o contexto e acompanhar claramente a leitura.

Tomás define a fé como uma virtude infusa por Deus no intelecto, que traz uma verdade a que o intelecto assente e um bem que a vontade consente. É o dom que ilumina o intelecto do homem com as sementes da verdade primeira, projetando-o para ver com mais clareza as verdades segundas. Por esse mesmo motivo, a razão e fé não se opõem, mas se completam na atual vida do homem. P. 28




11 comentários

  1. Achei bem interessante a critica que as ilustrações do projeto "Olimpíadas Ilustradas" trazem, refletindo bem esse momento e os problemas do nosso país ;)

    ResponderExcluir
  2. Gostei das novidades deste mês! São livros bem reflexivos e o que mais gostei e fiquei bem curiosa pra ler, é "Uma viagem com Heródoto pelas histórias do Egito faraônico", adoro história! ♥

    ResponderExcluir
  3. Amei a sinopse de Jogos Olímpicos: Canoagem olímpica ou canoagem na lama?
    e quero ler para saber mais sobre a crítica contida nele, Uma viagem com Heródoto pelas histórias do Egito faraônico aparenta ser um livro cheio de conhecimento

    ResponderExcluir
  4. Oi Mila, não preciso nem falar nada né, o cartum fala por si só. Eles sempre arrasam nas criações e com essa não foi diferente.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  5. Essa tira de canoagem na lama foi demais xD
    Que tristeza! Mas é a realidade. E tô achando que esses jogos vão fazer passar vergonha. Talvez não na hora que tudo começar, o pessoal vai ficar lá torcendo pelos daqui, mas de infraestrutura e problemas? Não parece que vai ser bonito...

    ResponderExcluir
  6. Olá, Mila.
    Achei bem interessante o primeiro livro. Ainda não conhecia o trabalho deles. Infelizmente tanto dinheiro jogado fora quando precisamos tanto em outros setores como a saúde por exemplo. Estou a um ano esperando uma cirurgia pelo SUS.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Como não se sentir extremamente envergonhado com essas Olimpíadas? Mas foi o único que me interessou.

    ResponderExcluir
  8. Gosto quando criticas sociais são feitas através de desenhos. Já gostei desta ilustração. Tomás de Aquino traz questões interessantes para serem discutidas, é um livro que leria apesar de não ser meu gênero de literatura favorito.

    ResponderExcluir
  9. Interessante, fiquei curiosa por esse de são TOmás de Aquino, parece ser bem reflexivo e forte.
    Nem falo nada das olimpíadas, porque senão, só falarei mal kkkk
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Gostei do projeto das ilustrações das olimpíadas, parece ser bem interessante. Quanto aos outros livros, eles não são do meu interesse.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  11. A ideia das ilustrações tratando os problemas com bom humor é ótima, mas as vezes acho q o brasileiro tem bom humor demais e acaba relevando problemas importantes :/
    E o livro sobre Heródoto me chamou a atenção, pois sempre gostei de histórias sobre o Egito, mas me preocupa um pouco a linguagem empregada, que as vezes acaba deixando os textos muito complicados e demorados de serem lidos.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!