23 de Abril: Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais

em 21 de abril de 2016




A Unesco escolheu a data do Dia Mundial do Livro em 1995, em Paris. O dia 23 de abril foi escolhido por ser a data da morte de três grandes escritores da história: William Shakespeare, Miguel de Cervantes, e Inca Garcilaso de la Vega.


23 de abril é também a data de nascimento ou morte de outros autores famosos, como Maurice Druon, Haldor K.Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.


Uma tradição catalã ligada aos livros já existia no dia 23 de abril, e parece ter influenciado a escolha da Unesco. Na tradição catalã, no dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição em outros países também.


No Brasil, a escritora Samanta Holtz nasceu neste dia.


Darei algumas dicas de leitura para comemorarmos esta data especial:




Dom Quixote de La Mancha - Miguel de Cervantes

Tradução: Ferreira Gullar

Editora: Revan




Considerado por uma Comissão Internacional de Escritores como o melhor livro de todos os tempos.
Claro que não poderia deixar de indicar o livro preferido do meu pai, que tanto ele comentava para meu filho quando era adolescente, Miguel de Cervantes é um dos homenageados nesta data, então, nada mais justo do que lermos suas obras.
O poeta Ferreira Gullar extrai todo o conteúdo poético e humanista dos cinco volumes da edição original de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. Por meio de uma linguagem moderna e fluida, Gullar consegue tornar o livro mais acessível aos leitores de nosso tempo. As ilustrações de Gustave Doré fazem jus à importância e qualidade da obra.

A história mostra um ingênuo senhor rural, cujo passatempo favorito é a leitura de livros de cavalaria. O senhor acaba acreditando literalmente nas aventuras escritas e, por isso, decide tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria. Pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros armados, damas em apuros, gigantes e monstros. Até moinhos de vento eram seres vivos na sua imaginação. Combatendo as injustiças, o personagem enfrenta situações penosas e ridículas, mantendo, porém, uma figura nobre e patética. Ao final, Dom Quixote volta à razão, renuncia aos romances de cavalaria e morre como piedoso cristão.




Hamlet - William Shakespeare

Tradução: Millôr Fernandes

Editora: LPM


Hamlet, de William Shakespeare, é uma obra clássica permanentemente atual pela força com que trata de problemas fundamentais da condição humana. A obsessão de uma vingança onde a dúvida e o desespero concentrados nos monólogos do príncipe Hamlet adquirem uma impressionante dimensão trágica.
Nesta versão, Millôr Fernandes, crítico contumaz dos “eruditos” e das “eruditices” que – nas traduções – acabam por comprometer o sentido dramático e poético de Shakespeare, demonstra como o “Bardo” pode ser lido em português com a poderosa dramaticidade do texto original. Aqui, Millôr resgata o prazer de ler Shakespeare, o maior dramaturgo da literatura universal, em uma das suas obras mais famosas.









Lolita - Vladmir Nabokov
Tradução: Sergio Flaksman

Editora: Alfaguara

A única história de amor convincente de nosso século."- Vanity Fair




Lolita é um dos mais importantes romances do século XX. Polêmico, irônico, tocante, narra o amor obsessivo de Humbert Humbert, um cínico intelectual de meia-idade, por Dolores Haze, Lolita, 12 anos, uma ninfeta que inflama suas loucuras e seus desejos mais agudos.

A obra-prima de Nabokov, agora em nova tradução, não é apenas uma assombrosa história de paixão e ruína. É também uma viagem de redescoberta pela América; é a exploração da linguagem e de seus matizes; é uma mostra da arte narrativa em seu auge. Através da voz de Humbert Humbert, o leitor nunca sabe ao certo quem é a caça, quem é o caçador.


Site: Editora Objetiva





O Menino do Dedo Verde - Maurice Druon

Tradução: D. Marcos Barbosa

Editora: José Olympio



Outro escritor nascido no dia Mundial do Livro é o francês Maurice Druon, autor da série de livros Os Reis Malditos, também escreveu O menino do dedo verde. Falecido em 14 de abril de 2009.
O menino do dedo verde, de Maurice Druon, tornou-se um clássico da literatura para crianças e jovens em todo o mundo e permanece atual há mais de três décadas, sendo adotado em escolas do Ensino Fundamental todos os anos, abordando o tema ecologia.
A versão brasileira, traduzida fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; prefaciada por Dom Marcos Barbosa, passou de dois milhões de exemplares vendidos. “O Pequeno Príncipe pertence à mitologia; O menino do dedo verde está preso às contingências sociológicas do mundo. O primeiro é intemporal, o segundo, filho da era da poluição, da agressividade e do desentendimento. Sua missão é justamente despoluir, humanizar.” Segundo Dom Marcos Barbosa, Maurice Druon pode ter prestado uma homenagem a um monge, quem sabe um antigo mestre, revivido no velho jardineiro com sua mensagem de paz.
Era uma vez Tistu... Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros, deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo.


Site: Grupo Editorial Record




Renascer de um Outono - Samanta Holtz

Editora: Novo Século



A vida aos dezoito anos está muito diferente do que Anna Hills havia sonhado. Sozinha em uma cidade estranha, reprovada no vestibular e demitida do emprego, ela enfrenta a difícil batalha para superar o desânimo e ir em busca de um lugar no mundo que possa chamar de seu. Determinada a deixar os fracassos para trás, Anna descobre nos classificados a vaga para baby sitter de uma garotinha que vive com o tio. No entanto, ela não imagina que aquele pequeno anúncio de jornal se tornará o passaporte para as maiores emoções da sua vida, colocando-a face a face com mudanças, escolhas e com John, o rapaz que amava em segredo desde a infância, em um encontro que os levará a desvendar o verdadeiro sentido do amor, da vida e da importância de fazer cada instante vivido valer a pena. Em uma tortuosa e apaixonante jornada, Anna descobrirá a força de uma grande amizade, a dificuldade de se conquistar o coração de uma criança e, acima de tudo, o poder transformador do amor, naquele que será o melhor e o pior outono da sua vida.


Site da Autora: Samanta Holtz




Os Tambores de Outono - Diana Gabaldon

Tradução: Carolina Caires Coelho

Editora: Arqueiro



Será possível alterar o passado?
Após tomar a difícil decisão de deixar a filha no século XX e viajar no tempo novamente para reencontrar seu grande amor, Claire Randall tem mais um desafio: criar raízes na América colonial do século XVIII ao lado de Jamie Fraser. Eles partem rumo à Carolina do Norte para encontrar um novo lar e contam com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma propriedade na região.
Enquanto isso, em 1969, Brianna Randall se une a Roger Wakefield, professor de história e descendente do clã dos MacKenzie, para encontrar as respostas sobre as próprias origens e sobre Jamie, o pai biológico que nunca conheceu.
Em meio às buscas, ambos encontram indícios de um incêndio fatal envolvendo os pais de Brianna. Mas Roger não pode lhe contar isso, porque sabe que a namorada tentaria voltar no tempo e salvá-los. Por outro lado, Brianna também não compartilha sua descoberta, pois tem certeza de que Roger tentaria impedi-la.





A Sombra da Figueira - Vaddey Ratner

Tradução: Sandra Martha Dolinsky

Editora: Geração Editorial




Para a menina Raami, de sete anos de idade, o fim abrupto e trágico da infância começa com os passos de seu pai voltando para casa na madrugada, trazendo detalhes da guerra civil que invadiu as ruas de Phnom Pehn, a capital do Cambódia. Logo o mundo privilegiado da família real é misturado ao caos da revolução e ao êxodus forçado. Nos quatro anos seguintes, enquanto o Khmer Rouge tenta tirar da população qualquer traço de sua identidade individual, Raami se apega aos únicos vestígios de sua infância — lendas míticas e poemas contados a ela pelo seu pai. Em um clima de violência sistemática em que a lembrança é uma doença e a justificativa para execução sumária, Raami luta pela sua sobrevivência improvável. Apoiada no dom extraordinário da autora pela linguagem, Sombras da Figueira é uma história brilhantemente intricada sobre a resiliência humana.

Finalista do Prêmio PEN Hemingway este livro vai levá-lo às profundezas do desespero e mostrar horrores abomináveis. Vai revelar uma cultura maravilhosamente rica, lutando para sobreviver através de pequenos gestos,. Vai fazer com que jamais sejam esquecidas as atrocidades cometidas pelo regime Khmer Rouge. Vai lhe encher de esperança e confirmar o poder que há ao se contar uma história de nos elevar e nos ajudar não somente a sobreviver, mas à transcendência do sofrimento, da crueldade e da perda.




Espero que tenham curtido as minhas dicas, boas leituras!




15 comentários

  1. Melhor comemoração para leitores, espero passar lendo ''A grande rainha'' depois, me interessei bastante pela indicação ''Renascer de um Outono '' espero conferir, infelizmente também sera dia de luto, graças a morte de vários escritores...quanta ironia né?

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nanda.
    Não sabia essas curiosidades para a escolha dos dia. Dos seus indicados eu li O menino do dedo verde, Dom Quixote e Hamlet. Tenho muita vontade de ler A sombra da figueira e algum livro da Samanta. E vamos comemorar lendo hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Não sabia que tantos escritores haviam morrido ou nascido nesse dia, achei bem interessante os motivos da escolha dessa data.
    Adorei as indicações.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Estou louca pra ler a menina da figueira, só vejo boas recordações sobre ele.
    E feliz dia do livro para nós leitores que os amam.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nanda!
    Data que devemos mesmo comemorar.
    Adorei as dicas dos livros.
    O primeiro livro que me marcou na infância, depois de Monteiro Lobato, é claro, foi O menino do dedo verde.
    “A sabedoria começa na reflexão.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Eu não sabia dessas tradições todas. Realmente é uma data mais que especial, já que tantos autores consagrados resolveram deixar esse mundo. Achei linda a tradição da flor em troca de livro, deve ser um dia muito especial.
    Quanto aos livros têm alguns na minha lista e outros clássicos maravilhosos.
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  7. É clichê, mas ler é algo fantástico e quem lê realmente viaja ♥

    ResponderExcluir
  8. Eu não sabia que em 23 de abril era comemorado alguma coisa.
    Muito linda a tradição e a consideração, em ralação ao vários autores que já se foram, linda iniciativa.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  9. Bom saber quais autores influenciaram a escolha dessa data tão especial para nós leitores. Dos livros acima quero ler Hamlet, Lolita e Os tambores de Outono.

    ResponderExcluir
  10. Minha comemoração foi acabar um que estava lendo e chorar nas promoções que não pude me jogar xD
    Boas essas dicas e como estou com o Lolita aqui foi bom me lembrar dele, acho que vou ler só porque vi aqui agora ;)

    ResponderExcluir
  11. Eu não fazia ideia quais foram os requisitos utilizados para escolher o dia 23 como Dia Mundial do Livro e achei mto interessante. Nada melhor do que ficar por dentro do assunto...
    Amei as dicas de leitura, com certeza vou procurar várias delas para adquirir.
    Ah, gostei demais dessa tradição catalã : flores e livros è tudo de bom.
    Beijos.

    www.emcadapagina.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Eu não sabia por que o dia do livro é comemorado no dia 23 de abril!
    Gostei bastante das sinopses, tenho vontade de ler Dom Quixote e Hamlet.

    ResponderExcluir
  13. Nada melhor do que comemorar essa data lendo ♥
    Eu ainda não conhecia essa tradição catalã, mas achei uma gracinha! Adorei as suas sugestões de livros, e desses eu tenho uma enorme vontade de ler Renascer de um Outono, já que tenho muita curiosidade em relação a escrita da Samanta Holtz, e os livros da série Outlander. Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Quando eu era criança, adorava as histórias do Dom Quixote, e imagino que iria gostar do livro. Também sempre quis ler os livros de Shakespeare, pois só li histórias super reduzidas em livros mais infantis. Lolita é um livro que está entre os meus mais desejados no momento. Essa série Outlander também tenho curiosidade, pois muita gente diz que é boa. Os outros livros ainda não conhecia.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  15. Querida Fer,

    Que delícia ver meu aniversário e meu trabalho lembrados aqui! :)
    Sinto-me honrada por ter nascido em um dia tão especial para o mundo literário... é como se Deus tentasse me dar a dica do que eu devo fazer no mundo hahahaha (como se eu já não tivesse percebido!!!)

    Beijossssssss cheios de carinho!
    Sam

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!