Resenha: Fernão Capelo Gaivota - Richard Bach

em 26 de dezembro de 2015





O clássico de Richard Bach, Fernão Capelo Gaivota, ganhou roupa nova. A Editora Record incorporou o único título do autor que faltava à sua coleção e vai dar um novo e especial tratamento gráfico ao livro. Fernão Capelo Gaivota conquistou fãs em todo mundo e transformou Richard Bach numa espécie de guru para milhares de pessoas. O segredo de tanto sucesso é simples: o livro é uma alegoria sobre a importância de se buscar propósitos mais nobres para a vida. O autor usa uma gaivota como personagem principal. Um pássaro que, diferente dos outros de sua espécie, não se preocupa apenas em conseguir comida. Este está preocupado com a beleza de seu próprio vôo, em aperfeiçoar sua técnica e executar o mais belo dos vôos. Uma metáfora sobre acreditar nos próprios sonhos e buscar o que se quer, mesmo quando tudo parece conspirar contra isso. Os trabalhos visionários de Richard Bach estabeleceram uma nova perspectiva na divisão tradicional de mente, matéria e espírito, despertando inúmeros indivíduos para a alegria que existe em nós mesmos - no mundo e no que quer que se esconda além disso tudo. Fernão Capelo Gaivota é um convite a descobrir este universo de possibilidades incríveis. Um livro para as pessoas que inventaram as suas próprias leis quando sabem ter razão, que acreditam na justiça e num mundo melhor. Para os que gostam de ver as coisas bem feitas pelo simples prazer de fazer o correto. Uma oferta de Richard Bach aos que crêem que a vida é mais do que os olhos conseguem enxergar. Um convite para um vôo além dos limites do tempo e espaço. Pai de seis filhos, ex-professor de filosofia de vôo na Embry-Riddle Aeronautical University e expert em disputas de xadrez ao computador, Richard Bach enveredou pela prática jornalística ao lançar um jornal sobre aviação. Das notas de sua coluna saíram os fragmentos para o livro Ilusões, outro famoso best-seller. Sua experiência na literatura infantil também foi marcante - Longe é um lugar que não existe, publicado no ano de 1979, freqüentou as listas de mais vendidos do mundo inteiro. No Brasil, foram publicados O Dom de voar, Fugindo do ninho, Ilusões, Longe é um lugar que não existe, O paraíso é uma questão pessoal, A ponte para o sempre, Um e Fora de mim.








Fernão Capelo Gaivota
Autor: Richard Bach
Tradução: Ruy Jungmann
Parte 4 Traduzida por: Márcia Alves
Gênero: Romance estrangeiro
Páginas: 84
Editora: Record


Há muito tempo li este livro, e quando o Grupo Editorial Record enviou para resenha aqui no blog, nem titubeei, li novamente com maior prazer do mundo.


Este é um livro no estilo de A Cabana, O Pequeno Príncipe e O Alquimista, ou seja, livro cheio de metáforas e reflexões sobre a vida. Uma leitura que agrega valores, na época em que li, era adolescente e ele me ajudou a pensar no futuro, acrescentando muita positividade em minha vida, até assisti ao filme homônimo, tão belo quanto o livro.


“Para as pessoas que inventaram as suas próprias leis quando sabem ter razão;Para as que têm um prazer especial em fazer coisas bem feitas, nem que seja só para elas;Para as que sabem que a vida é algo mais do que aquilo que nossos olhos vêemFernão Capelo Gaivota é uma história com sentido.Para todas as outras, ela será na mesma uma aventura sobre a liberdade e o vôo para além dos limites provisórios.”


A história é sobre uma gaivota, o Fernão, que descobre o prazer da liberdade, ele poderia ser mais um no seu bando, porém queria ser diferente, fazer a diferença.


Cheio de frases filosóficas e poéticas, este é um grande clássico da literatura mundial, a editora nos presenteia com uma edição linda em capa dura e a quarta parte, inédita.


Cada pessoa que ler esta história dependerá de seu estado de espírito para que tenha sua mensagem final sobre ele. Li quando era bem jovem e hoje mais de vinte anos depois, confesso que esta leitura flui diferente, vejo as mensagens de maneira mais madura.


Contém mensagens de superação e perseverança, ainda muito útil para os dias turbulentos de hoje em dia.


Recomendo a todos, e nesta época de festividades tem um sabor mais que especial, podemos presentear as pessoas queridas com esta grande obra!




O filme, vocês encontram dublado no Youtube:






Espero que tenham gostado da dica,






10 comentários

  1. não curto qualquer leitura que possa lembrar o gênero autoajuda, mas Richard conseguiu, me fez ler este livro, e apesar da narrativa poética não é algo que torne a leitura chata. Só não sabia do filme.

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante desse gênero , tenho vários na estante, incluindo O Pequeno Príncipe <3 .
    Mas desse livro ainda não tinha ouvido falar , entretanto, depois dessa resenha acredito que " vou me dar de presente " Fernão Capelo Gaivota , rsrs.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Nanda. Consegui me identificar com a leitura quando vi comparações com O Pequeno Príncipe. Pelo o que li da sua resenha Fernão Capelo Gaivota parece um livro ótimo, cheio de reflexões para a vida. Gostei muito da proposta de liberdade do livro.

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha ouvido falar deste livro Fer, mas gosto de livros assim que nos faz pensar diferente a cada vez que relemos. Como ele é curtinho vou dar uma chance pra ele e ler e depois te conto minha experiência.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Que mensagem linda o Richard Bach consegue passar em Fernão Capelo Gaivota. Gostei bastante de como o autor trata a liberdade e as diferenças de cada ser na história. Gostei!

    ResponderExcluir
  6. Ai Nanda!
    Que saudades me deu da infância.
    O livro permeou toda minha infância e ainda fui assistir o filme que tem uma fotografia excepcional.
    Vele a pena a leitura.
    “Feliz Ano Novo, que este ano seja superado pelo velho em felicidades, amor, esperança, fé, paz e que o ano seguinte seja em dobro, tenha um feliz e prospero ano novo.” (Chium)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  7. Acho que nunca li nada do autor e apesar de ser raro que eu faça a leitura de livros assim, fiquei interessada, até porque a mensagem que o autor passa é muito bela e livros que nos façam refletir sempre merecem ao menos uma chance.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Oi Nanda, eu tenho este livro, e o li na adolescência. Aliás, minha edição é tão velha...
    Não sabia que tinha filme.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Sua resenha está muito boa!
    Bom, não conhecia esse livro, mas achei bem interessante, gosto de histórias que fazem o leitor refletir e por esse motivo me interessei por Fernão Capelo Gaivota, parece ser bom.

    ResponderExcluir
  10. Não costumo ler livros parecidos com esse mas gostei de conhecer esse, também pelo fato de ser bem reflexivo.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!