Resenha Alice no País das Armadilhas

em 24 de novembro de 2015



O planeta Terra foi devastado por um ataque nuclear, e boa parte de sua população se transformou em Mordedores, mortos-vivos que se alimentam de sangue e, com sua mordida, fazem dos humanos seres como eles.

Alice é uma jovem humana de 15 anos que mora no País das Armadilhas, nos arredores da cidade que um dia foi Nova Déli, na Índia. Ela nasceu nessa nova realidade aterrorizante e teve de aprender a se defender sozinha desde cedo.

As coisas mudam quando Alice decide seguir um Mordedor por um buraco no chão: ela descobre a estarrecedora verdade por trás da origem das criaturas e se dá conta da profecia que ela mesma está destinada a consumar — uma profecia que se baseia nos restos chamuscados do último livro encontrado no País das Armadilhas, uma obra chamada Alice no País das Maravilhas .

Uma mistura incomum de mitos, teorias conspiratórias e Lewis Caroll, Alice no País das Armadilhas pode parecer mais uma história de zumbi, mas é uma metáfora instigante de como tendemos a demonizar aquilo que não compreendemos.

Fantasia





Alice no país das armadilhas # 1
Mainak Dhar
ISBN-13: 9788567028781
ISBN-10: 8567028787
Ano: 2015 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Única


Mainak Dhar conseguiu me surpreender de uma forma inusitada, visto que não sou chegada em livros com zumbis e nunca li nada relativo ao mundo de Alice, o que sei até hoje foi graças aos filmes que já vi sobre a tão aclamada Alice no País das Maravilhas.

Como a história que conheço, Alice cai na toca do coelho e de lá é transportada para um mundo novo, cheio de fantasias e criaturas peculiares, mas Alice de Mainak é diferente. Está Alice não conheceu uma infância feliz, ao contrário, seus brinquedos são armas letais e sua casa é um assentamento.

Alice vive no País das Armadilhas que é situada em Nova Déli, Índia, ela não conheceu o que um dia foi Nova Déli, agora Alice e seus pais vivem num assentamento, lutam para viver da melhor maneira, se protegem dos Mordedores e tentam a todo custo a não se renderem a proteção do Comitê Central e Zeus.

Nesta guerra entre humanos e mortos-vivos, Alice se encontra em campo com um rifle na mão, mas nenhum mordedor aparece para contar história, ela já estava saturada de ficar ali, cansada de ficar ao lado da irmã, Alice foi rastejando procurando um novo lugar para visualizar possíveis Mordedores, com o visor do rifle Alice viu um mordedor com orelhas de coelho cair em um buraco, ansiosa para saber mais e tentar descobrir onde os Mordedores se escondem, Alice nem pensou em avisar a irmã, saiu em disparada para o tal buraco, diferente da história de Lewis Carroll, Alice não caiu em um mundo novo, o buraco tinha muitos túneis e aparentemente os Mordedores conheciam muito bem cada um deles. Claro que sua posição não ficaria imperceptível para os Mordedores, situação que desencadeou uma verdadeira fuga, sua vantagem era que corria bem e os mordedores andavam como zumbis, mas a sorte de Alice durou pouco.

Um encontro com a rainha dos mordedores expõe uma nova perspectiva para Alice, novas descobertas sobre esse mundo devastado por mortos-vivos não é o que parece, a percepção de Alice ao constatar que os vilões não são quem ela pensava e uma nova luta para tirar do poder o comitê central, lidar com a Guarda Vermelha não será fácil, mas Alice possui aliados.

A escrita de Mainak é fluida e rápida, já nas primeiras páginas o autor me ganhou. O enredo foi muito bem construído e amarrado, me encantei com Alice e outros personagens como o Mordedor Coelho e o chapeleiro.

A Única Editora fez um trabalho excelente com a capa que ficou mais bonita do que a original, já a diagramação está simples e linda, páginas amarelas e confortáveis.

Foi uma leitura gostosa, rápida, indico a leitura para os fãs de Alice no país das maravilhas e para os fãs de zumbis também, foi uma mistura genial.

Beijos



12 comentários

  1. Mila!
    Nossa1 Adoro histórias de zumbis e se inserida em uma releitura e conto de fadas fica ainda mais bizarras e quero logo ler.
    ”Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida.”(Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Tá muitooooo na moda escrever sobre zumbis, eu particularmente gosto.
    Desde quando você mostrou esse livro como lançamento eu já me apaixonei, pretendo tê-lo *...*


    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Não curto muito zumbis, mas adoro a história de Alice no País das Maravilhas e é por isso que tenho interesse no livro.
    O enredo é uma mistura bem peculiar de elementos, só por isso me deixa curiosa e ver que o autor parece ter conseguido criar uma trama com sentido e com uma bela narrativa apenas aumenta minhas expectativas.
    Acho a capa do livro bem bonita, de uma forma que, ao menos, nunca iria conseguir imaginar se a descrevessem para mim. Parece captar muito bem a essência da obra.
    A minha única preocupação com esse livro é por se tratar de uma série e até agora, não sei se há enredo para outros volumes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila, tudo bem?
    Eu não curto muito histórias com zumbis, mas esta é a segunda resenha que leio deste livro e acabei ficando curiosa. Vou colocá-lo na minha lista de desejados.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Eu sou fã de Alice mas não gosto nada de zumbis mas a forma como o escritor junta e retrata esses dois temas me chamou bastante atenção então estou bem curiosa com o livro.E até imagino o quanto eles vão suar pra conseguir retirar o poder daqueles que nem deveriam o ter.Como já falei no outro post eu achava que o livro traria ilustrações mas também gostei dessa edição simples.Espero conhecer mais dessa história em breve.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Camila. Sem palavras para definir esta capa que, assim como a história, não pode ser conceituada como decepcionante, nunca. Alice no País das Armadilhas me envolveu desde o começo com sua proposta distópica, um mondo, o nosso atual, dizimado há 15 anos e conhecido como um conto de fadas foi encantador para mim. Os zumbis me deixaram com um pé atrás, mas logo me acostumei e embarquei de vez na leitura da resenha, encantadora.
    Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Camila, não sou fã da Alice, mas estou super interessada neste livro. Que bom que gostou, foi a primeira resenha que li e fiquei empolgada.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  8. Oi Mila,
    já vi este livro por ai, mas Alice não nem do longe meu conto preferido. Não gosto muito da história, então vou passar a dica.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  9. Adorei o plot de Alice no País das Armadilhas e o jogo de palavras com o título, apesar de eu preferir filmes e seriados a livros qdo o tema são zumbis. Mas curti mto sua resenha e achei o enredo novo.

    ResponderExcluir
  10. finalmente uma resenha desse livro! rs
    to bem curiosa para ler essa nova versão de Alice já que nunca li nada de zumbis.

    ResponderExcluir
  11. Eu passo este livro...não gosto de zumbis rs.
    Boa leitura pra quem gosta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Desde que vi esse livro entre os lançamentos fiquei bem interessada, pois tanto a capa quanto a sinopse desse livro me chamaram a atenção e em seguida comecei a ler diversas resenhas super positivas em relação a história desse livro, como gosto de zumbis e fantasia, acredito que irei gostar muito de Alice No País das Armadilhas, sua resenha está muito boa e pretendo ler o livro em breve.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!