Resenha: O Filho de Mil Homens - Valter Hugo Mãe

em 11 de setembro de 2015


Sinopse

O filho de mil homens narra a história do pescador Crisóstomo, “um homem que chegou aos quarenta anos e assumiu a tristeza de não ter tido um filho”. Com vontade imensa de ser pai, o protagonista conhece o órfão Camilo, que um dia aparece em sua traineira. Ao redor dos dois, outros personagens testemunham a invenção e construção de uma família em vinte capítulos, escritos com rara delicadeza. Mãe, ao falar de uma aldeia rural e dos sonhos anulados de quem vive nela, atravessa temas como solidão, preconceitos, vontades reprimidas, amor e compaixão.







Título: O Filho de Mil Homens
Autor: Valter Hugo Mãe
Editora: Cosac Naify
256 pág
Idioma: Português


Acho os livros desta editora, a Cosac Naify magníficos, de uma qualidade que não vemos normalmente em outros livros por aqui, estava curiosa em ler algo deles e agora tive a chance.


A história é sobre Crisóstomo, um pescador que sonha em ser pai, pois já está com 40 anos e ainda solteiro, passa a procurar um filho pelo povoado até encontrar um menino de 14 anos que precisa de proteção e auxílio, Camilo. O pescador o adota e a partir daí outros personagens surgem para completar a sua família.


“Trouxe os peixes, usou para eles as louças que herdara e que se espantavam de novamente pousarem em mesa de grandes conversas, e disse que entre a Isaura ser dele e do Antonino era importante que fossem todos familiarmente unidos. Farto como estava de ser sozinho, aprendera que a família também se inventava. O Antonino sorriu iluminado. A Isaura deu-lhe a mão e riu muito. A Matilde, que talvez não soubesse que o seu filho era o melhor ser humano do mundo, sentiu que, por tolice ou novidade, ele cabia naquela casa. A Matilde não o saberia dizer, mas sentiu que uma casa onde o seu menino grande pudesse caber haveria de ser uma casa perfeita. Com tanto desespero, pensou subitamente que o mundo poderia ser mais justo para com o seu menino diferente. O mundo poderia ser melhor. Naquela casa, naquele instante, o mundo era também perfeito. O Camilo levantou-se e, não dizendo palavra, sorriu ao Antonino, que ficou tímido. O homem novo do cerco disse-lhe: coma, homem, que você ainda não tocou em nada. O Antonino comeu. O Camilo nunca mais poderia responsabilizar-se por entristecer o pai. O seu pai tão herói, que salvava e amava toda a gente.” Pág 210


Este livro tem muitas histórias dentro da história: Crisóstomo, um homem que quer ter um filho e faz um boneco de pano; Isaura, a enjeitada pelos homens; Camilo, filho de 15 homens e uma anã; Antonino, o homem maricas; Matilde, a mãe que acha que errou com o filho, e muitos outros que se encontram pela metade na vida.


Todos tem em comum a humanidade, o desejo de serem amados e compreendidos, e a vontade infinita de se encontrar e completar é o ponto de partida desta linda história.




“Quem tem menos medo de sofrer, tem maiores possibilidades de ser feliz.”




Espero que tenham gostado, até a próxima,






14 comentários

  1. Capa, no minimo, diferente mas gostei
    Nome diferente do protagonista. Eu conheço um Crisostomo.
    Beijos e seguindo
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Nanda!
    Duas coisas me chamaram logo atenção: o título e o nome do autor, ambos bem inusitados.
    E que bom que poderemos apreciar várias histórias dentro do livro, melhora a leitura, né?
    “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”(Antoine de Saint-Exupéry)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. Bem interessante o livro, a capa bem diferente.
    Achei a história diferenciada, no momento não me interessei muito pela história do livro, quem sabe futuramente.
    Sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nanda
    Eu não conhecia este livro e para falar a verdade nem a Editora, o que é uma vergonha para mim.
    Mas gostei, parece simples e cheio de humanidades. Gostei da dica e leria.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Nanda, não conhecia o livro, mas já pela sinopse parece ser um enredo tocante. Gostei e obrigada pela dica.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante dessa arte abstrata na capa.
    Não posso deixar de notar o amor que parece abordar grande parte da narrativa. Tenho a certeza de que vou gostar bastante se tiver a oportunidade de ler algum dia.
    Resenha maravilhosa!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia a editora e essa capa é no mínimo exótica, interessante.
    Bom, acho que a palavra chave da história é amor... que não quer amar e ser amado?
    Curti mto a resenha e espero lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  8. Oi girls
    Não conhecia essa editora nem o livro rs. Parece legal a história, vou dar uma olhada melhor depois.
    abs

    ResponderExcluir
  9. Olá Nanda, olhando pela capa já achei o livro bem diferente e lendo a sua resenha
    percebo que o mesmo é de uma sensibilidade maravilhosa. Acho que essa humanidade
    dos personagens deve dar histórias incríveis para o livro.

    ResponderExcluir
  10. Oiiii, pela sua descrição esse livro é muito diferente dos outros. Os personagens são bem exóticos e até agora to tentando imaginar uma criança que tem 15 pais hahaha


    Adorei sua resenha, beijihos :*

    ResponderExcluir
  11. Oie
    Um livro bem diferente esse né.A história não me chamou muita atenção,nem os dramas dos personagens.Mas ainda bem que pra você a leitura foi proveitosa.E essa capa parece uma obra de arte,se não for uma de verdade.

    ResponderExcluir
  12. achei o livro bem curioso, nunca li nada da editora ainda mas o livro parece ser bem interessante, gostei dessa capa, bem diferente ela.

    ResponderExcluir
  13. Acredito que esse livro é para ser lido com bastante atenção. Afinal, esse negocio de ter histórias dentro da história pode deixar um leitor menos atento meio confuso. E isso pode acabar fazendo com que o mesmo não goste da leitura. :m

    bju

    ResponderExcluir
  14. Não gostei da capa, mas a história me parece uma confusão, gostei desta confusão, acho que vou ler mais pra frente.

    Beijos

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!