Resenha: Para Onde Vai o Amor? - Fabrício Carpinejar

em 13 de agosto de 2015



Sinopse

Para Onde Vai O Amor? - O amor não é uma propriedade de quem sente, é uma transferência total para quem é amado Você que está vendo este livro com dúvida se precisa dele, você não precisa dele, precisa de si, vive caçando uma palavra que confirme o que deseja, está atrás de um escritor que possa lhe recomendar de volta para quem brigou, com capacidade de explicar o que sente e traduzir seus tormentos. Mas já sabe o que deseja, não há como convencer do contrário, os amigos mostraram que seu relacionamento não tem futuro. Não acredita neles, acredita somente no milagre. E como justificar um milagre, ainda mais para quem não tem mais fé? Eu entendo o que está passando: sua raiva, sua amargura, seu cinismo, seu desencanto. Percebeu que a razão não conforta, que a vingança ou o perdão não ressuscita a tranquilidade, que o fundo do poço nunca se equivale ao nosso fundo. Você parece normal, mas todo mundo deixa de ser normal quando se apaixona e se separa. Se sua expectativa é por uma solução, eu guardo apenas uma certeza que trará alívio mais adiante: você não vai desistir. Quando diz que acabou a relação, é que está procurando um outro jeito de recomeçar. Em seu novo livro de crônicas, Carpinejar apresenta 42 textos que sobre amor, desilusão amorosa, casamento, divórcio, saudade e outros sentimentos que compõem os relacionamentos. 








Título:Para Onde Vai O Amor?
Autor : Fabrício Carpinejar
Ano: 2015 
Páginas: 176


Eu sempre tive curiosidade com o autor Fabrício Carpinejar, não tive oportunidade de ler seus livros anteriores e agora me chega as mãos: Para Onde Vai o Amor?, um lançamento da editora Bertrand do Grupo Editorial Record.

O livro é feito de crônicas e reflexões sobre este nosso sentimento que nos leva do sofrimento ao êxtase em segundos, das paixões adolescentes a maturidade, do talvez, o maior sentimento que os seres humanos compartilham: o amor.

Claro que, em cada crônica, nos encontramos ou enxergamos algum amigo ou ente querido que vive ou ainda vivencia daquelas situações, Carpinejar é mestre em nos colocar dentro das suas histórias.

São reflexões bem reais, que nos colocam frente a frente com nossos maiores medos, o egoísmo, egocentrismo e arrogância que tanto fingimos não ter, no jogo do amor, a culpa da separação é sempre da outra parte, e nunca nossa como gostamos de pensar.

Neste livro em cada conto nos vemos jogados nesses pensamentos, confrontando com a realidade de nossos próprios erros. Afinal, a maturidade é admitirmos nossa própria culpa sem mágoas, para assim nos tornarmos pessoas melhores, e é isso que atrai o verdadeiro amor.


"Quando deixo de amar, não fico aliviado, eu fico triste. Porque é se despedir de uma grande parte da própria vida, é se desapegar de um sentimento que julgava único.”


O autor me lembrou bastante outro autor de contos e crônicas bem famoso nas redes sociais, o saudoso Caio Fernando Abreu, este porém, bem mais dramático e até pessimista em suas histórias, diferente de Carpinejar que é bem esperançoso e mais frio na sua linguagem. Os dois super recomendados, eu sou suspeita para falar, pois adoro livros desses estilos.


Um livro muito bem escrito, que encantará os românticos e que gostem de crônicas!


Até a próxima,



12 comentários

  1. acho que nunca li nenhum livro de crônica mas gostei muito desse, me interessou bastante o tema e também porque nao li nada do autor ainda.

    ResponderExcluir
  2. Olá ...
    Adorei a sua resenha ! Principalmente por ser crônicas que falam sobre o amor .
    Essas são sempre as melhores :)

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nanda!
    O Carpinejar é realmente diversificado e fabuloso!
    Amo livro de crônicas e contos e se são de amor, ainda mais.
    “Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo.”(Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  4. O amor é uma coisa meio maluca mesmo e escrever sobre ele deve dar um trabalho. Gostei do que o livro propõe, sem falar que as crônicas nos devem fazer refletir ainda mais sobre esse sentimento, que nos leva do sofrimento ao êxtase em segundos, como é bem apontado na resenha.

    Beijo Nanda!!!
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
  5. Oi Nanda, sempre gosto de ter livros de crônica por perto, e este me parece uma boa opção. Não conhecia o livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Não sou muito fã de crônicas, mas essa capa.. hahahahaha
    Tão romântico falar de amor e colocar um miocárdio como capa haahahah

    Adorei :D

    http://coruujando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Opa!! Falou de romance e crônicas é comigo mesmo!!
    Sou uma apaixonada por livros assim, que mostram o amor de forma mais real e madura.
    Já tinha visto este livro antes, mas não imaginava que se tratava de crônicas =) Quero muito, muito lê-lo.
    Bjs Nanda!!

    ResponderExcluir
  8. Adoro Carpinejar e esse jeito simples que ele tem de falar sobre determinados assuntos nada fáceis. Casamento não é algo fácil, aguentar defeitos alheios não é algo fácil e pra outros aguentarem os seus tbm não é.

    ResponderExcluir
  9. Não conheço nada desse autor e lendo a sua resenha vi que gostou bastante do livro. É um pouco diferente do que estou acostumada mais eu leria sem problemas. Essa capa também tá bem bonita.

    ResponderExcluir
  10. Oi! Interessante o livro, gosto quando falam do amor e até mesmo quando ele já está no fim. Relacionamentos é algo complicado, é compartilhamento e muitas vezes temos que ceder, mas como ensinar isso para quem é egoísta e nem percebe? Esse livro parece nos confrontar, nos fazer enxergar nosso erros. Gostei bastante.

    ResponderExcluir
  11. Oie
    Não sou fã de livros contendo crônicas ou contos mas sempre dou uma lida em alguns assim.Eu não conhecia esse escritor e nem o outro que tu mencionou no final mas já vou dar um google neles.E histórias reflexivas sempre fazem um bem pra nossa vida.

    ResponderExcluir
  12. Ai Fer, eu estou gostando de ler crônicas, leio muito Martha Medeiros e estou lendo agora Prometo Falhar. Confesso que adoro, pois às vezes parece que já vivenciamos algumas situações.
    Beijos

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!