Resenha: Uma Praça em Antuérpia - Luize Valente

em 2 de junho de 2015


Sinopse

Uma Praça em Antuérpia - Após sua estreia literária com O segredo do oratório, sucesso de público e crítica, Luize Valente volta a mergulhar, de maneira ainda mais surpreendente, na história de uma família de migrantes em Uma praça em Antuérpia. Com domínio da narrativa, que vai e volta do ano-novo de 2000 em Copacabana para os anos da eclosão da Segunda Guerra na Europa, Luize reconstitui a desgraça imposta pelo nazismo aos judeus, razão pela qual muitos deles viriam fazer a vida no Brasil. Reunindo sensibilidade pelo drama humano e extensa pesquisa histórica, Luize retrata a chaga do nazismo na miudeza do cotidiano, na intimidade das famílias alemães e europeias, com bárbaros desdobramentos em Portugal, no lar de Clarice e Olivia, de onde a narrativa parte para ganhar o mundo e o Brasil. Acompanhamos a fuga de Clarice e seu marido, o pianista judeu Theodor, por grande parte da Europa, sempre um passo à frente da perseguição nazista, fuga que leva parte da família a cruzar o oceano. Como se não bastasse essa narrativa de tirar o fôlego, Luize presenteia o leitor com um final emocionante e totalmente inesperado.











Uma Praça em Antuérpia
Autora:Luize Valente
1ª edição
Editora: Record
Ano: 2015
364 páginas



Primeiro livro que recebi da nossa parceria com o Grupo Editorial Record e estou absolutamente encantada!

A qualidade da editora é inquestionável, neste livro em específico desde a capa até a diagramação estão impecáveis, se tratando de um romance histórico de uma escritora brasileira então, é um deleite aos fãs do gênero.

A história começa com nossa protagonista, Clarice, recordando sua trajetória como imigrante, no primeiro dia do ano 2000, na cidade do Rio de Janeiro. Em suas lembranças, viajamos para o norte de Portugal, em 1916, ano em que ela e sua irmã gêmea nasceram, a mãe morreu no parto e seu pai as culpou por esse ocorrido, tornando-o frio e deixando a criação das meninas com a avó.

Clarice conhece Theodor, um pianista judeu, seu grande amor, mas o advento da Segunda Guerra Mundial muda drasticamente a vida deles, devido a intolerância com os judeus, a vida deles praticamente é viver como fugitivos e o único período de felicidade foi quando ficaram um tempo em Antuérpia, na Bélgica, mas também fugindo devido ao nazismo.

“A Segunda Guerra, deixava de ser um capitulo da história do mundo para virar um capítulo de sua própria história.Seis milhões de judeus morreram no Holocausto. “Quando os mortos não tem rosto nem nome”, ela pensou, e a “ordem da grandeza dificilmente comove.”Agora era diferente.”

Podia ser mais uma das muitas histórias de guerra que lemos, se não fosse pela autora Luize Valente que nos entregou uma bela obra, impactante do começo ao fim, a história é surpreendente, sendo uma escritora nacional, fico imensamente feliz em dizer sem dúvidas que foi o melhor livro que li até agora em 2015.

Eu adoro romance histórico, e Uma Praça em Antúérpia já é um dos meus favoritos, na sinopse diz que o final é emocionante e inesperado, confirmo que realmente é de nos arrancar lágrimas e nos deixar sem fôlego. É uma história de sobreviventes, de esperança, fé e também de fraternidade, onde pessoas antes desconhecidas viram parte da família por compartilharem do mesmo sofrimento.

Muitos de nós somos descendentes de imigrantes, meus avós são filhos de imigrantes poloneses e italianos também fugindo de guerras e perseguições, então, este livro nos toca no fundo do peito, pois sentimos como eles, o que foi vivenciar um dos períodos mais negros da humanidade: a ascensão do nazismo.

Honestamente achei que nenhuma história de guerra me surpreenderia mais, porém com a agilidade e apreensão que esta história me trouxe, com este livro eu mudo minha opinião e recomendo a todos que leiam!

Luize Valente com certeza é uma das melhores escritoras brasileiras atuais.



Sobre a Autora.




Nascida no Rio de Janeiro, Luize Valente é escritora, documentarista e jornalista, com mais de 25 anos de experiência em televisão. Formada em Jornalismo, com pós-graduação em Literatura Brasileira pela PUC/RJ, sempre foi apaixonada por História, com especial fascínio por temas ligados ao Judaísmo, às raízes judaicas do Brasil e à saga dos judeus de Portugal.

É autora, com Elaine Eiger, do livro Israel: rotas e raízes (1999) e dos documentários Caminhos da Memória: a Trajetória dos Judeus em Portugal (2002) e A Estrela Oculta do Sertão (2005), ambos exibidos em vários festivais no Brasil e no exterior e na televisão (Canal Brasil), constituindo importantes inventários do Judaísmo no Brasil e em Portugal. O último ganhou ainda o Prêmio de Melhor Documentário no Festival de Cinema Judaico de São Paulo e foi exibido na Mostra no Lincoln Center, em Nova York, e nos Festivais de San Diego, Jerusalém, entre outros.

É autora do livro O segredo do oratório (Record, 2012) e Uma praça em Antuérpia é seu segundo romance.

Página no Facebook
Canal no Youtube



Até a próxima,



13 comentários

  1. Oi Mila,
    Não conhecia o livro, mas confesso que nem a capa nem a sinopse me chamaram atenção.
    Gostei da sua resenha, parece ser interessante, mas infelizmente não faz muito meu estilo de leitura

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não tinha a ideia desse livro, mas acho que não vou ler e.e Tô com outros projetos de leitura, mas ótima resenha. A Record tem muitos lançamentos.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oiii, tudo bem??? Eu ainda não conhecia o livro, mas adorei conhecer. Acho que eu iria gostar bastante, ainda mais sendo nacional. Sucesso para a autora :)
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nanda!
    Gosto dos romances de época também e se ambientados nas guerras mais ainda porque podemos observar todo sofrimento pelo que passaram e buscar pistas dos refugiados. Como falou, todo somos descendentes deles de alguma foram.
    Parabéns pelo sucesso de mais uma autora nacional.
    Desejo uma ótima semana e um mês carregadinho de sucesso!
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.”(Sócrates)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro ainda. Não gostei muito da capa, mas o enredo parece ser interessante.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Oi Nanda, percebi que a leitura do livro te agradou de uma forma que o mesmo se tornou um de seus favoritos. Fiquei pensando pelo que os protagonistas devem ter passado e ainda mais, o final deve ser bem emocionante, daqueles da gente guardar na memoria.

    E sabe o que me deixa mais feliz? É saber que uma obra dessa qualidade foi criada por uma autora brasileira.

    beijão
    nathalia s.
    http://ventoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Pela capa, já dá pra imaginar que a diagramação está mesmo impecável!
    Fiquei imaginando como seria a reação de um pai ao perder a esposa no nascimento das filhas :S acho que é algo que nem dá pra imaginar, né?
    Esse não é meu gênero favorito, mas como ando dando chances para gêneros diferentes do que costumo ler, acho que gostaria muito dessa leitura!

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  8. tudo que é de época sempre me interessou, e o tema segunda guerra ainda mais,ador ler um romance, ainda mais nacional, a resenha ficou otima e quero muito ler o livro.

    ResponderExcluir
  9. A Record sempre surpreendendo com livros bons!
    Já vou adicionar este nos meus desejados, ainda mais que fala sobre o período que eu mais gosto de explorar em livros, o começo do século XX e a 2ª grande guerra.
    Muito boa a resenha Fer, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Livros ambientados em épocas de guerra sempre mexeram comigo mas se eu não tivesse lido a resenha nem me tocaria que esse livro é sobre isso o.o o nome não me passou essa ideia.

    ResponderExcluir
  11. Guerra não é um tema fácil, não qdo se trata do que conhecemos, como dor, mortes. Mas aí vem Luize que consegue transformar uma tema difícil numa história linda. Concordo com tudo o que vc disse e recomendo a todos.

    ResponderExcluir
  12. ;e :e :e estou impressionada já queria ler esse livro mas depois da sua resenha eu quero ler ele para ontem! Mô beijosss
    :m
    te cuida

    ResponderExcluir
  13. O livro parece bem diferente e impressionante.
    Os livros dessa editora são um amor mesmo. Todos muito lindos.
    Não é o tipo de leitura que eu gosto muito, mas é uma boa dica.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!