Resenha: Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington

em 12 de maio de 2015



Sinopse

Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.











Claros Sinais de Loucura
Autor(a): Karen Harrington
Tradução: Edmundo Barreiros
Editora: Intrínseca.
Páginas: 254
Ano: 2013
ISBN: 9788580575071
Literatura Jovem Adulto



Loucura s. f. perturbação mental; demência, insanidade


Este livro foi escolhido para o Desafio A Elite 2015 num dos gêneros do mês: Jovem Adulto. Faz algum tempo que me interesso por este livro desde o lançamento, acho a capa uma fofura e a sinopse bem convincente, mas ainda não tinha tempo hábil para sua leitura e finalmente agora consegui.



“As pessoas nunca deviam ter parado de escrever cartas, mesmo aquelas que não têm a intenção de enviar. Deviam escrever principalmente essas.”



Bom, a história é sobre uma menina de doze anos chamada Sarah Nelson, que sofreu tentativa de assassinato pela sua mãe louca aos dois anos de idade, isso já é motivo suficiente para os traumas que ela carregaria, mas a mídia ter exposto o caso e fazer virar referência no assunto sobre abusos parentais tornou sua infância muito sofrida, fazendo seu pai virar um alcoólatra e nossa protagonista amadurecer bem antes do previsto.


“ Eu, por outro lado, não tenho nada assim. Não tenho mãe. Não tenho irmão.Não tenho Calpúrnia. E tenho um pai que está presente, mas é ausente.”


Ela tem como confidente sua amiga Lisa, onde desabafa sobre seu medo de ficar como sua mãe e o que se passa na escola e em sua casa.


Gostei muito dela por fazer listas de palavras que acha aprende e acha interessante, passa a usá-las como palavras do momento e isso torna a leitura muito especial para nós, amantes dos livros.



“ É isso que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas tem medo de voar.”



Ela tem dois grandes desejos: ao terminar o 6º ano, passar as férias em casa no lugar de ir para a casa dos avós e se livrar finalmente de ter de entregar a árvore genealógica de sua família, devido a ter de escrever e expor sobre seus pais, coisa que ela fugiu a vida toda.


Toda vez que descobrem sobre seu passado, sua vida vira um “inferno” e ela e seu pai precisam se mudar, e ela quer finalmente se livrar disso e ter uma vida comum como seus colegas.


“Não posso garantir, mas acho que o amor é alguém que entende você.”


Este livro tem várias citações que queria compartilhar mas são tantas legais e que me tocaram que fica impossível postar tudo.


Adoro livros que trazem reflexões familiares, este é um livro gostoso de ler, com fácil escrita e fluidez, recomendo aos fãs do gênero.


Estas são algumas das capas deste livro, gosto mais da primeira e vocês?





Espero que tenham gostado, até à próxima,




12 comentários

  1. Oi Nanda! ^^
    Bom, o gênero não faz muito meu estilo, mas não posso dizer que não fiquei curiosa pra conhecer a história da Sarah. Talvez um dia quando quiser sair da minha zona de conforto lerei!

    Das capas eu gostei mais da segunda. Acho que é a que mais me atrairia em uma livraria.

    Beijussss;
    https://facebook.com/BlogMenteHipercriativa
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa fer... tá bom você me convenceu... eu vou ter que ler... principalmente porque vc me falou que a menininha ama o "Sol é para todos" e aquele livro... é amor....
    beijos GG
    :e tudo de bom e boas leituras http://cantodadomino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. achei o livro interessante, pelos quotes ja da pra ter uma ideia de como o livro é, eu particularmente gostei apesar de nao ser o meu tipo de livro favorito mais sinto que vale a pena.

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha lido nada a respeito do livro, e fiquei curiosa.
    Parece ser um livro bom, uma situação muito dificil para uma protagonista tão jovem narrando. Eu achei a primeira capa muito linda, mas todas elas são simples e linda ao mesmo tempo,
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia o livro. Me parece bem interessante abordar temas tão delicados e ao mesmo tempo tão reais no ponto de vista de uma criança. Nos da uma outra visão de uma realidade que querendo ou não, está presente na sociedade.
    Gostei da resenha

    ResponderExcluir
  6. Nanda!
    Gosto dos livros que abordam temas que mexem com o lado psicológico.
    O que me deixou mais intrigada foi a curiosidade em saber se fala mais sobre o que a protagonista tem e se faz algum tipo de tratamento.
    “Tudo na vida acontece em função do melhor!Acredite, a sua amargura de hoje é, com certeza, a sementinha da sua alegria de amanhã!”(Mariluci Carvalho)
    Semaninha cheia de luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi Nanda, tudo bem?
    Adorei a resenha, espero poder lê-lo em breve!
    Beijos.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi!!!Gostei da resenha mais não sei se o leria, eu meio que estou correndo de livros sobre problemas familiares e tal, rsrsrs.
    Gostei mais da 2ª capa, :i
    Bjos!!!

    naoeaterradonunca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. A premissa do livro é bem interessante mesmo. Acho que você me convenceu, se tiver a oportunidade de ler com certeza lerei.
    Sobre as capas, também prefiro a primeira.

    Beijos
    http://ventoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Esse livro tá sendo super comentado, mas eu não curto. Sou uma pessoa fácil de ser impressionada e quer algo que traumatize mais que uma criança sem infância? Abusos em geral e doenças são coisas que me perturbam, não consigo fazer uma leitura legal.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nanda, este não me chamou atenção, quem sabe mais para frente.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Acho que se tentasse ler não ia gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!