Filme Insurgente

em 28 de maio de 2015



Nome original: Insurgent
Gênero: Romance, Ação
Direção: Robert Schwentke
Roteiro: Akiva Goldsman, Brian Duffield
Duração:119 minutos
Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Octavia Spencer, Jai Courtney, Ray Stevenson, Miles Teller, Zoe Kravitz.




Sinopse



Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) agora são fugitivos e procurados por Jeanine Matthews (Kate Winslet), líder da Erudição. Em busca de respostas e assombrados por prévias escolhas, o casal enfrentará inimagináveis desafios enquanto tentam descobrir a verdade sobre o mundo em que vivem.







Para as pessoas que não assistiram Divergente (2014), um pequeno resumo didático acelerado apresenta a história, explicando as facções e as suas funções para o sistema. Caso, você tenha afinidade com mais de um grupo, você é diagnosticado como divergente e precisa ser eliminado em prol da comunidade. Esse é o ponto crucial do filme. Numa sequência de cenas sobre a nova “caça as bruxas”, ou melhor, divergentes, o combate de Tris, o símbolo dos divergentes, contra a metódica e fria  Jeanine. Este enredo expõe poucos personagens coadjuvantes, raras tramas secundárias e um roteiro repleto de cenas de ação e deficiência em diálogos lógicos convidativos.




A principal importância para o diretor é transformar o segundo filme num show de cenas rápidas de lutas, armas, simulações arrebatadoras e uma protagonista dividida sobre os seus sentimentos e ações, passando por todas as fases clichês do “escolhido”. Caso tenha sido este o objetivo, ele foi concluído com sucesso. Todavia, houve uma fragmentação de emoções e reflexos do livro.

Em minha opinião, o segundo livro Insurgente foi o melhor livro da trilogia, ele tinha aquela emoção impregnada nas páginas, os diálogos bem construídos e a reviravolta exprimida nas linhas de pura adrenalina. Eu senti falta de muitas coisas no filme, da facção encantadora da Amizade, da arvore que a Tris sempre mencionava e outras coisinhas. E ainda tive o desprazer de comprar o ultimo livro, eu deveria ter feito uma fogueira com ele, só assim ele teria servido para alguma coisa. Mas, isso é outra história.



A jovem atriz Shailene Woodley constrói uma personagem empolgante, como nos filmes corriqueiros de guerra, ela corta o cabelo curto e manuseia as armas de fogo como um soldado. A sequencia de cenas de lutas no trem, nos convida a conhecer uma Tris, mais feroz e quem sabe voraz, são cenas impactantes e bem feitas, para descrever a força da personagem, que assemelha-se a uma super-heroína, o que comprova ainda mais a sua divergência.

Para mim, o ator Miles Teller, o Peter é um coadjuvante admirável, com uma personalidade irônica e bem humorada, nas pequenas cenas em que aparece consegue conquistar a atenção de todos, com os diálogos de humor ácido e ações surpreendentes. Já o querido Quatro para um ajudante eficiente de Tris, uma versão de Peeta soldado em zona de guerra.



Insurgente mantém a linha de privilegiar as mulheres em posições de liderança. Tris não é uma mocinha recatada e puritana, como em certas adaptações literárias. Ela toma iniciativa, tem suas próprias opiniões, luta, salta, tem desejo sexual e cultiva o anseio de guerreiro para fazer justiça. A adaptação também inclui rápida discussão sobre as classes minoritárias, como são tratadas perante a sociedade e sendo levadas a ser a culpada por problemas sociais.

Enfim, Insurgente é o tipo de trama envolvente com cenas de ação, mocinha forte e um mocinho protetor. Tem algumas semelhanças entre Jogos Vorazes-A Esperança, o que me despertou a vontade de procurar o Tordo na espreita de alguma cena, principalmente na marcante cena de Katniss visitando o hospital, que é parecida com a chegada de Tris na comunidade dos Sem-Facções. Fora isso, são apenas detalhes. Bom filme para passar uma tarde de sábado do cinema comendo pipoca.


Beijos azuis!




6 comentários

  1. Não li os livros, então o que sei sobre a série foi o que li em resenhas e o que vi da adaptação de Divergente, que, por sinal, gostei bastante. To com Insurgente pra assistir e até gosto dessa coisa de não ter lido os livros e não ter que ficar me policiando procurando diferenças em livro e adaptação.

    ResponderExcluir
  2. Duas palavras: Preciso assistir!!!!!!!!!!!!

    Bjs
    eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. eu só li os livros da serie, nao tive tempo ainda de assistir os filmes, mais o jeito que tu falou do filme me despertou uma curiosidade sabe, que vou ver assim que possivel.

    ResponderExcluir
  4. Sílvia!
    Não li a trilogia ainda, mas pretendo, como também pretendo assistir o filme.
    Gosto de distopias e me parece que aqui, a adaptação ficou ótima.
    “Os homens não desejam aquilo que fazem, mas os objetivos que os levam a fazer aquilo que fazem.”(Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti este filme com meu irmão, sinceramente não gostei, eu não sei se é porque não gosto de histórias assim, mas a sua resenha sobre o filme está muito legal!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não ter lido o livro e nem visto o filme eu tenho uma curiosidade enorme. Tua critica foi muito boa. Ela conseguiu despertar minha curiosidade. Dica anotada.

    beijos

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!