FÉRIAS!!!

em 23 de dezembro de 2014

















Oi Pessoal! Estamos de Férias, mais não fique triste, daqui uns dias estaremos de volta!!






Resenha: Melhores Poemas - Paulo Leminski

em 22 de dezembro de 2014
Sinopse:

Paulo Leminski foi uma das grandes surpresas da poesia brasileira nos últimos trinta anos. Pertencendo a uma geração de insatisfeitos e irreverentes levou a insatisfação e a irreverência àquele ponto extremo para o qual só há uma saída: renovar ou se retirar. Renovou. Teve o dom mágico de mostrar ao país uma voz inconfundível, personalíssima, fluente e cheia de sonoridades misteriosas, como os rios. E como os rios, enriquecida por muitos afluentes: dos hai-kais de Bashô às experiências concretistas.









Coleção: Melhores Poemas
Título: Melhores Poemas Paulo Leminski
Organizador: Fred Góes , Álvaro Martins
Autor: Paulo Leminski
Prefácio: Fred Góes , Álvaro Martins
Editora: Global
Edição: 6
Ano: 1999
Idioma: Português
224 páginas

Esta é minha 5ª e última leitura do ano da Maratona Literária #EuToDeFérias.



Escolhi um livro de poemas para conseguir encerrar a maratona senão ficaria muito corrido e difícil terminar em tempo, tínhamos quinze dias para a conclusão, e cinco livros para ler, portanto um de poesias foi um momento para respirar em meio a outros mais complexos.


Bom, nesta seleção, Fred Góes e Álvaro Martins iniciam o livro com uma breve exposição acerca da vida e obra de Leminski, ilustrando com alguns poemas e versos que poderão ser encontrados ao longo da leitura, com base em Haikais e no concretismo, Leminski constrói e desconstrói as palavras, dando a elas novos sentidos e também novos significados.


A seleção é impecável e deveria ser lida por todos que gostam ou não de poesia, este livro foi dado aos alunos das escolas públicas, do Ensino Médio se não me engano, espero que a maioria tenha lido e feito bom proveito pois é excelente.


Escritor, crítico literário e tradutor, Paulo Leminski foi um dos mais expressivos poetas de sua geração. Influenciado pelos dos irmãos Augusto e Haroldo de Campos deixou uma obra vasta que, passados 25 anos de sua morte, continua exercendo forte influência nas novas gerações de poetas brasileiros. Seu livro “Metamorfose” foi o ganhador do Prêmio Jabuti de Poesia, em 1995. Entre suas traduções estão obras de James Joyce, John Fante, Samuel Beckett e Yukio Mishima. Na música teve poemas gravados por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Guilherme Arantes; e parcerias com Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik e Wally Salomão.


Paulo Leminski morreu no dia 7 de junho de 1989, em consequência de uma cirrose hepática que o acompanhou por vários anos.


Abaixo deixo algumas poesias, devido aos direitos autorais não podemos postar muitas:


Razão de ser


Escrevo. E pronto.


Escrevo porque preciso,


preciso porque estou tonto.


Ninguém tem nada com isso.


Escrevo porque amanhece,


E as estrelas lá no céu


Lembram letras no papel,


Quando o poema me anoitece.


A aranha tece teias.


O peixe beija e morde o que vê.


Eu escrevo apenas.


Tem que ter por quê?


Não discuto


não discuto


com o destino


o que pintar


eu assino



Fontes: Revista Bula

Espero que gostem, até a próxima,


Resenha: Seda - Alessandro Barico

em 21 de dezembro de 2014





É no caráter híbrido, irredutível a classificações imediatas, que reside a riqueza de Seda. A história se desenvolve sobre a trajetória de Hervé Joncour, numa cidade francesa cuja economia floresce, em meados do século XIX, com o incipiente negócio da seda. Nas viagens que faz ao Japão para comprar o produto, descortina-se para ele um mundo a um tempo arcaico e novo, no qual a estranheza se mistura ao fascínio e à paixão.
Seda é um relato de sensações, de como a realidade objetiva se transmuda na visão, na memória e na linguagem. O texto se desenvolve sobre as imagens possíveis do que é puro mistério para Joncour: o "fim do mundo", definido como "invisível", cores "mais leves que o nada", ideogramas que são como "cinzas de uma voz queimada".
É em tal poder evocativo das palavras que o protagonista acaba encontrando, já velho e reconciliado com as lembranças, um sentido para a existência. Nesse tempo pouco definível, entre o passado ainda ardente e a melancolia de um futuro pacífico, ele encontra "um modo exato de estar no mundo".
"Na manhã em que escreveu Seda, Baricco imaginou que toda a literatura do mundo desaparecera [...] Como Flaubert, queria escrever 'um livro feito de nada'." - Pietro Citati, La Repubblica.








Seda

Autor: Alessandro Baricco
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 128


Esta é minha 4º leitura da Maratona Literária #EuTôDeFérias.



Consegui este livro numa troca num grupo de uma rede social, mas achei que seriam mais páginas, me surpreendi por ele ter apenas 128 páginas.



O livro conta a história do subtenente Hervè Joncour que peregrina por uma cidade francesa chamada Lavilledieu até um pequeno povoado escondido no Japão, ele abre mão da carreira militar para empreender uma longa jornada atrás de bichos-da-seda, se tornando assim um contrabandista a serviço de empresas de fiação em sua cidade.



“No começo de maio os ovos se abriam, liberando uma larva que, depois de trinta dias de enlouquecida alimentação à base de folhas de amora, procedia a recluir-se novamente em um casulo, para evadir- se depois do mesmo definitivamente duas semanas mais tarde, deixando trás de si um patrimônio que, em seda, podia- se calcular em mil metros de fio cru e, em dinheiro, em uma boa quantidade de francos franceses.”


A saga se passa em meados do século 19, onde os bichos-da-seda foram dizimados na Europa, e é isso que torna o livro uma aventura, quase uma poesia de tão bem escrito, nosso protagonista corre o mundo em busca do melhor produtor da seda, para o comércio. Uma aventura ora descrita em solo siberiano, noutras em viagens de navio, então quem gostar do estilo enxuto em literatura pode ler sem medo de errar.


Tem a adaptação para o cinema produzida em 2007 com o nome Silk, no Brasil é chamado de Paixão Proibida, do diretor François Girard, com Keira Knightley num dos papéis, ainda não vi mas vou procurar, já estou ansiosa para assistir.








O Autor



Alessandro Baricco é um dos nomes fortes da moderna literatura italiana. Recebeu o prêmio Médicis Étranger, na França, e Selezione Campiello Viareggio e Palazzo al Bosco, na Itália. Sua narrativa é escorregadia, exige atenção e cuidado, está marcadamente influenciada pela narração oral e também pela literatura oriental.

Nascido em Turim em 1958, Baricco parece inclinado a narrar histórias de empreitadas. Foi assim com "Esta História" (tradução de Roberta Barni, também lançado pela Companhia das Letras), seu romance anterior e que o tornou mais conhecido no Brasil. O livro narra a vida do italiano Ultimo Parri, pelo ponto de vista de diferentes narradores.


Baricco tem uma produção extensa, e boa parte de sua obra tem tradução no português. "Seda", no entanto, é o livro com maior repercussão do autor. Foi traduzido para 16 idiomas e virou filme pelas mãos de François Girard, com Michael Pitt como Hervè.









Fontes: Companhia das Letras, UOL Entretenimento, Wikipédia






Até a próxima,








Séries | Downton Abbey |

em 19 de dezembro de 2014







Sou uma aficcionada por séries televisivas, e sempre busco por novidades, as que mais gosto são as de cunho sobrenatural e os dramas históricos como também são os mesmos gostos na literatura.


Esta é minha série preferida desde que estreou, e não escondo de ninguém minha paixão, tenho os livros O mundo de Downton Abbey que inclusive ganhei numa promoção da editora Intrínseca no Facebook, e Lady Almina e a verdadeira Downton Abbey, que comprei na Bienal do Livro de São Paulo.








Downton Abbey é uma série de televisão britânica produzida pela companhia Carnival Films para o canal ITV. A série se passa em sua maior parte em uma propriedade fictícia, localizada em Yorkshire, chamada Downton Abbey e segue os Crawley, uma família aristocrática inglesa, e os seus criados, no início do século XX, a partir de 1912. Ela foi criada por Julian Fellowes, também seu principal roteirista, e estreou em 26 de setembro de 2010.






Conta a vida dos Crawleys, com suas alegrias e tristezas, começando com o naufrágio do Titanic em 1912, onde o herdeiro da mansão acaba falecendo iniciando assim os conflitos que permeiam toda a série. Os criados são tão protagonistas nesta série quanto seus patrões, o mais legal é mostrar a evolução muito rápida de uma geração, início do século onde a aristocracia não está mais em ascensão e aos poucos a tecnologia vai adentrando na vida de todos, e mudando hábitos: luz elétrica, telefone, rádio.


Os relacionamentos também vão mudando rapidamente, a mulher ganhando maior espaço, os empregados tendo visões de seu próprio futuro fora da mansão, que até pouco tempo eram praticamente condenados a ficarem até se aposentarem.





É uma série que, por ser muito elegante, uma espécie de novelão inglês, ganhou seu espaço em meio a tantas outras fantasiosas e cheias de efeitos especiais, ou até escrachadas e vulgares que fazem sucesso entre o público talvez mais jovem, Downton Abbey é de um primor ímpar, de muito bom gosto, agrada até os mais exigentes e é voltada ao público em geral. Ganhou inúmeros prêmios importantes e entrou no Guinness Book de 2011 como o programa de TV em língua inglesa mais aclamado pela crítica, recebeu o Emmy e o Globo de Ouro de melhor série e já foi renovada para sua 6ª Temporada.






A todos que indiquei esta série, se apaixonaram e são ávidos apaixonados hoje, então, continuo recomendando a todas as famílias, até para termos mais conhecimento da nossa própria história, a evolução de tudo o que hoje nos parece tão trivial.


Vocês podem acompanhá-la pela Netfix, no canal por assinatura GNT ou alugando em video-locadoras.



Até a próxima,




O Sal da Vida - Françoise Héritier

em 18 de dezembro de 2014














Existe uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações, além dos sentimentos poderosos e dos engajamentos políticos. É sobre isso que este livro fala. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: “O Sal da Vida”. Nesta meditação, nesta espécie de poema em prosa em homenagem à vida, totalmente íntimo e sensorial, a renomada antropóloga Françoise Héritier vai atrás das pequenas coisas agradáveis (às vezes nem tanto) às quais aspira o mais profundo do nosso ser: as imagens e as emoções, os momentos marcados de recordações que dão sabor à vida, que a tornam mais rica e mais interessante do que muitas vezes acreditamos que ela seja, e que nada nem ninguém poderá nos tirar, nunca, jamais!










Título: O Sal da Vida — O que faz a vida... Valer a pena!
Autora: Françoise Héritier 
Editora: Valentina
Número de páginas: 112



Tateando livros pela livraria Saraiva de um grande shopping da minha cidade, eis que me deparo com esta preciosidade! Que livro mais gracioso, uma leitura reflexiva, dessas que precisamos ler de vez em sempre para nos dar ânimo à vida. 


Este é meu terceiro livro da Maratona Literária #EuTôDeFérias.


Demorei a perceber o que era o sal da vida, é o tempero, o que dá gosto a nossas vidas, e cada um tem a sua concepção. A autora simplesmente foi fantástica em dar vários toques do sal de sua vida, descrevendo linha por linha o que era o tempero da própria: água de coco, tomar banho de chuva, banho de mar, catar conchinhas, rir a beça, passear com os amigos que não via a muito tempo, brincar com crianças, tomar um sorvete e assim por diante.


O sal da vida é desses livros que são bons de ter por perto, na cabeceira, e são excelentes opções para presentear, fica a dica para este Natal.




“Chorar com um livro , suspirar por mocinhos fofos, ter uma imaginação fértil, aguardar o carteiro, cheirar um livro novo, ser fangirl com as suas amigas, receber um abraço (mesmo virtual), fazer coleção de marcadores, ir a eventos literários, receber um comentário dizendo que alguém amou o livro que você recomendou, esperar para sempre a minha carta de Hogwarts, ser respondida por um autor no twitter, todas as amizades feitas, abraçar a Meg Cabot, rir com Adrian Ivashkov, escrever resenhas, começar a ler um livro no dia em que ele foi lançado, receber comentários nas resenhas, reclamar quando um livro não for bem adaptado…”




Coisas simples, que geralmente nos passam despercebidas, mas que sem elas nossa vida seria totalmente sem graça, já pararam para pensar em não termos o pôr do sol, a lua e as estrelas, o mar, a delícia das risadas dos bebês, o vento, a inocência das crianças e tudo mais que é corriqueiro, mas maravilhoso pois é a bênção da própria existência. 


Poético, inspirador e comovente, tem uma capa belíssima que praticamente entrega o que vamos ler e além de leve é fininho, lemos numa tarde.


No final, traz páginas pautadas para a gente escrever sobre o sal que move a nossa vida.


Adorei esse livro e comprei mais um para presentear num Amigo Secreto!


Espero que tenham gostado.



Até a próxima,




Resultado Promoção de Aniversário

em 17 de dezembro de 2014




Ola meus amores, vamos conhecer a Sortuda que levou Breakable de Tammara Webber?



Foram dois sorteios;


A primeira Colocada levou o Livro Breakable.


A Segunda Colocada levou 1 Kit de Marcadores!







Parabéns Meninas! Mandem e-mail para camilapalm@gmail com seus dados.


Beijos Mila




Resenha: O Presente - Cecelia Ahern

em 16 de dezembro de 2014



Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos… Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber… Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.








"Às vezes é preciso se entregar a alguém para perceber quem você realmente é."


Titulo Nacional: O Presente

Titulo Original: The Gift
Autor(a): Cecelia Ahern
Tradução: Ivar Panazollo Júnior
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
ISBN: 978-85-8163-314-5
Número de páginas: 320


Adoro esta época do ano, o mês de dezembro, e toda a sua magia que envolve o Natal, com seus filmes e livros, chocolate quente, panetones, guloseimas, amigos secretos e confraternizações!

Sempre procuro leituras e películas para entrar no clima, dos lançamentos da editora Novo Conceito de 2013 para o período, li Anjos à Mesa - Debbie Macomber, e faltava deste, O Presente, que tive oportunidade agora para esta maratona literária, é minha segunda leitura, e adianto que gostei bastante.



Nunca li nada desta autora, e já li críticas muito positivas de seus livros, tinha curiosidade e resolvi arriscar, este livro conta a história de Lou Suffern, um executivo que só pensa em si mesmo, mesquinho e arrogante, um dia conhece Gabriel, um engraxate, que é muito observador, sabe dizer com destreza de poucos sobre a vestimenta e sapatos de pessoas que entram e saem de prédios perto de onde atende, e Lou se intriga com as informações dadas por Gabe (o apelido do engraxate), e na primeira chance já oferece um emprego visando vigiar e desmascarar seus inimigos dentro da empresa.


"Entre 35 e 40 anos; terno elegante; o rosto cuidadosamente barbeado, liso como o bumbum de um bebê; o cabelo bem penteado, com toques de grisalho espalhados de maneira uniforme, como se alguém o houvesse salpicado com um saleiro; e além do grisalho, o saleiro também tinha espalhado charme sobre aquele homem que lembrava um astro do cinema dos velhos tempos. Suavidade e sofisticação, tudo embrulhado num sobretudo preto de casimira.”


Claro que há muito mais mistérios em Gabe do que somente essa capacidade nata de observação, ele consegue, por exemplo, estar em vários lugares ao mesmo tempo, e sempre que Lou precisa de sua ajuda, lá está ele para auxiliar prontamente.

O que mais intriga é se Gabe guarda algum segredo ou Lou está ficando maluco, e então, é o que nos move essa leitura, o fato também do empresário bem sucedido nunca estar disponível a sua família, e sempre preferir seu trabalho, e o rapaz misterioso sempre estar por perto aparentemente tentando abrir seus olhos.

Uma clássica história natalina, que envolve e nos traz reflexões sobre valores, vale a pena!

O livro veio numa embalagem linda para o Natal, assim como Anjos à Mesa, e neste ano a editora Novo Conceito lançou mais dois especialmente para a época: Uma chance para recomeçar e Minta que me ama, que também estão em minha meta de leitura, mas não para esta maratona.


Espero que gostem e até a próxima,




Dicas de Leitura para este Natal

em 15 de dezembro de 2014





Está chegando a época mais mágica do ano e não poderia deixar de fazer uma postagem sugerindo algumas leituras agradáveis para este período tão especial!


Eu adoro o Natal, sempre vejo os filmes, desenhos e leio o que posso para entrar no clima, amo presentear e participar dos Amigos Secretos, é tão gostoso, tudo é válido para sairmos da rotina que o ano estressante já nos impõe.




“O Natal é um tempo de benevolência, perdão, generosidade e alegria. A única época que conheço, no calendário do ano, em que homens e mulheres parecem, de comum acordo, abrir livremente seus corações.” - Charles Dickens







Um Conto de Natal – Charles Dickens

Este livro escrito em 1843 por Charles Dickens se tornou um verdadeiro clássico da literatura inglesa. Já foi relançado ao longo dos anos com diversos títulos diferentes, entre os quais: “Um Cântico de Natal”, “ O Natal do Avarento” , “Os Fantasmas de Scrooge”, entre outros.


Deu origem a maioria dos desenhos e filmes como: Os fantasmas de Scrooge, Um conto de Natal do Mickey, Os fantasmas se divertem entre outros.


Este livro é obrigatório nesta época, o verdadeiro clássico do Natal, onde três fantasmas visitam um senhor já idoso, relembrando o que fez no passado, presente e como será seu futuro se não mudar, ou seja, é um homem avarento e mal, o final a maioria já sabe mas é bom sempre relembrar, um tapa na cara da sociedade!






Anjos à Mesa – Debbie Macomber

Shirley, Goodness e Mercy sabem que o trabalho de um anjo é interminável — especialmente na véspera do Ano-novo. Ao lado de seu novo aprendiz, o anjo Will, elas se preparam para entrar em ação na festa de fim de ano da Times Square. Quando Will identifica dois solitários no meio da multidão, ele decide que a meia-noite será o momento perfeito para dar aquele empurrãozinho divino de que eles precisam para acabar com a solidão. Então, por “acidente”, Lucie Ferrara e Aren Fairchild esbarram-se no meio da alegria da festa, mas, assim como se aproximam, acabam se perdendo: um encontro marcado que não acontece os afasta pelo resto da vida. Ou será que não? Um ano depois, Lucie é a chef de um novo e aclamado restaurante, e Aren é um colunista de sucesso em um grande jornal de Nova York. Durante todo o ano que passou, os dois não se esqueceram daquela noite. Shirley, Goodness, Mercy e Will também não se esqueceram do casal... Para uni-los novamente, os anjos vão usar uma receita antiga e certeira: amor verdadeiro mais uma segunda chance (e uma boa dose de confusão), para criar um inesquecível milagre de Natal.


Este é um livro gracioso, fofo mesmo, que vale a pena ser lido nesta época, é bem feminino portanto mais mulheres irão gostar.









O Presente – Cecelia Ahern

Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos... Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber... Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.


Muito lindo, uma história inspiradora e muito positiva, este é mais um para se tornar um novo clássico do Natal contemporâneo.







Cartas do Papai Noel – J.R.R. Tolkien


Todo mês de dezembro, um envelope com um selo do Polo Norte chegava para os filhos de J. R. R. Tolkien. Dentro dele, uma carta escrita à mão com letra trêmula e estranha e um lindo desenho colorido. Isso tudo era do Papai Noel, narrando histórias incríveis sobre a vida no Polo Norte. Desde a primeira carta para o filho mais velho, em 1920, até a comovente última carta para a caçula, em 1943, este livro reúne todas as memoráveis cartas e desenhos que Tolkien fez para os filhos em uma edição primorosa.


Que coisa mais linda esse livro, Tolkien escrevia para seus filhos se fazendo de Papai Noel, me emociona ver tamanha dedicação, pudera todos terem pais assim, tão criativos e amorosos, é por leituras assim, que amo o Natal.








O Homem que Inventou o Natal – Les Standiford


Tão reconfortante quanto o conto de Scrooge, esta é a história de como um escritor e seu livro renovaram a data festiva mais importante do mundo ocidental. Pouco antes do Natal de 1843, um Charles Dickens desanimado e cheio de dívidas escreveu um pequeno livro com a esperança de acalmar seus credores. Os editores recusaram a obra e, por isso, Dickens usou o pouco dinheiro que tinha para lançar ele mesmo Um Conto de Natal, com medo que o livro representasse o fim de sua carreira como romancista. A obra imediatamente causou sensação e insuflou nova vida a uma data que caíra em desgraça, minado pelo persistente Puritanismo e pela fria modernidade da Revolução Industrial. Era uma época dura e lúgubre, em que havia uma necessidade desesperada de renovação espiritual. Uma época pronta para abraçar um livro que espalhava bênçãos para todo mundo. Les Standiford nos leva de volta à Inglaterra Vitoriana com afeto, inteligência e uma infusão de alegria natalina para revisitar o autor mais amado da época e acompanhar o nascimento do Natal como o que conhecemos hoje. O homem que inventou o Natal é uma leitura rica e proveitosa para Scrooges e afins.





O Natal de Marley – John Grogan


Com a proximidade do Natal, não é de se estranhar que Marley, o adorável cachorrinho com faro para encrencas, queira entrar em ação. Ansioso por ver a neve e a chegada do Papai Noel pela primeira vez, Marley acaba se metendo em confusões. Ele ataca os pisca-piscas e usa a árvore de Natal como banheiro. Será que Marley irá arruinar o Natal, ou será que ele conseguirá compartilhar esses momentos mágicos com a sua família sem criar tantas encrencas?


É um livro delicioso para crianças, sobre o cão encrenqueiro que todos conhecemos do livro Marley e Eu, para os fãs, vale a conferida pois é uma edição belíssima em capa dura, com imagens coloridas e grande.






O Natal de Poirot – Agatha Christie


“Poirot solucionou alguns intrincados mistérios, mas sua extraordinária inteligência nunca funcionou de maneira tão brilhante como em O Natal de Poirot" (The New York Times)


Mais uma Agatha Christie na Coleção L&PM POCKET. Dessa vez, Simeon, o patriarca dos Lee, resolve convidar todos os filhos para comemorar o Natal na luxuosa mansão da família. É hora de eles deixarem os ressentimentos de lado e visitarem o velho pai. Mas aparentemente as intenções de Simeon não são nobres. Ele quer se divertir às custas do ganancioso grupo de familiares. Tudo começa com algumas alterações em seu testamento... e termina com um assassinato, em um quarto trancado por dentro. Quando Hercule Poirot oferece ajuda para solucionar o caso, encontra uma atmosfera que não é de luto, mas de supeitas mútuas.






Deixe a neve cair – John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para insuspeitos encontros românticos. Em Deixe a neve cair, bem-sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. Comédia romântica com a assinatura de um dos maiores bestsellers da atualidade, o livro é o presente de Natal perfeito para os fãs de John Green e de histórias de amor e aventura.



Uma leitura leve, agradável e fofa. São três contos que se intercalam e deixam uma mensagem bonita no final.




Como o Grinch roubou o Natal – Dr Seuss

Encarnado por Jim Carrey no cinema, o Grinch é um dos personagens mais conhecidos de Dr. Seuss. Nervoso e emburrado, esse monstrinho não quer deixar as festas de fim de ano acontecerem: "O Grinch odiava o Natal! A véspera e toda aquela função!Por favor, não pergunte por quê. Ninguém sabe a razão.Talvez porque ele tivesse um parafuso a menos.Talvez, quem sabe, seus sapatos fossem muito pequenos.Mas eu acho que o motivo mais corretoÉ que ele não tinha o coração do tamanho certo.Mas,Qualquer que fosse a razão,Os sapatos ou o coração,Ele ficava, na noite natalina, odiando a Quem-fusão,Olhando de sua caverna, com uma careta grinchenta e azeda,Lá embaixo, na aldeia, as janelas acesas.Pois ele sabia que cada Quem daquele povinhoEstava ocupado, pendurando enfeites de azevinho."Título de Acervo Básico segundo a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - FNLIJ 2000, categoria tradução/criança.







Em Casa para o Natal – Cally Taylor


Beth Prince sempre adorou contos de fadas e acredita que está prestes a viver um final feliz: tem o emprego dos sonhos em um charmoso cinema independente e um namorado maravilhoso chamado Aiden. Ela faz parte de um grupo privilegiado de pessoas que trabalha com o que ama, e o entusiasmo pelos filmes intensifica a busca por seu próprio “felizes para sempre”. Só há um problema: nenhum homem jamais declarou seu amor por ela. E, apesar de acreditar que Aiden é o príncipe encantado, a protagonista desconfia de que ele tem medo de dizer “eu amo você”. Desesperada para escutar essas palavras mágicas pela primeira vez, ela resolve assumir as rédeas do destino — e acaba se arrependendo. 



Com Em casa para o Natal, Cally Taylor brinda o leitor com uma deliciosa comédia romântica que tem como pano de fundo o espetacular universo do cinema e os tempos festivos do Natal.






Ângela e o Menino Jesus – Frank Maccourt


'Ângela e o Menino Jesus', de Frank McCourt, é uma fábula natalina.Traz lições de ternura, a partir de uma preocupação de Ângela- uma garotinha de seis anos que fica com pena do Menino Jesus ao vê-lo no altar da igreja de São José na cidade de Limerick, na Irlanda, onde mora. As noites de dezembro são úmidas e frias, e a igreja é escura. A mãe do Menino Jesus não tem nem um cobertor para cobri-lo. O bebê precisa da ajuda de Ângela, mesmo que ela não tenha autorização para chegar perto do altar, muito menos sozinha.


Este livro é muito fofo e delicado, pequeno e em capa dura, bom para presentear, agradará todas as idades.




E vocês, tem mais dicas de leituras para o Natal? 


Procurei deixar livros para todas as idades e gostos diferentes.


Espero que gostem das minhas dicas, até a próxima,





Resenha: A Escolha do Coração - Amanda Brooke

em 12 de dezembro de 2014




Sinopse

"Recém-casados, Holly e Tom se mudam para uma casa grande e confortável, onde ela espera esquecer de vez os fantasmas de sua infância problemática. O destino, contudo, lhe preparou uma surpresa, que se revela depois que Holly encontra um relógio lunar enterrado no jardim. O relógio oferece a imagem de um futuro que é ao mesmo tempo animador e preocupante: a visão de um lindo bebê nos braços de Tom... mas Holly, estranhamente, não aparece na visão. Em pânico diante da previsão, ela teme que um dia precise fazer uma escolha terrível: dar um filho ao marido, sacrificando sua própria vida... ou salvar-se e se esquecer para sempre da filha não nascida – a quem Holly já aprendeu a amar".









Título Original: Yesterday's Sun
Autores: Amanda Brooke
Editora: Novo Conceito
Páginas: 360
Gênero: Romance, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788581633169



O que fazer quando a única maneira de 

salvar a vida da sua filha é sacrificar a sua?





Minha primeira resenha da Maratona Literária #EuTôDeFérias concluída com sucesso!


Este livro me surpreendeu, pois eu li a sinopse, imaginei uma história, até mesmo pela sua capa...mas na verdade no decorrer da leitura, não tinha nada a ver com o que eu tinha pensado. É uma história com fundo místico e fantástico.


Neste livro temos a protagonista, Holly, que teve uma infância difícil ao lado se sua mãe, onde não guarda boas lembranças, então não se acha capaz também de se tornar uma boa mãe no futuro. Ela e o marido se mudam para uma casa, em meio às reformas descobrem um antigo relógio no jardim, o que era para ser apenas uma antiga relíquia se torna algo bem intrigante, ele pode fazer as pessoas verem seu futuro.


Uma noite de lua cheia, toca nesse relógio e consegue visualizar que terá uma linda garotinha chamada Libby, vê Tom, seu marido, mas entende nessa previsão, que não sobreviverá para ver sua filha crescer, então a partir daí, precisa decidir como será esse futuro, e terá de fazer uma escolha, que é a premissa do livro.


"Holly relembrou o momento em que olhara nos olhos de Libby e sentira uma conexão imediata. Seria assim o tão falado instinto maternal, ela se perguntou, ou estaria apenas desesperada para justificar a fé que Tom depositava nela?''


A história deste livro é tocante, emociona, e confesso que prende até o final, que é arrebatador, fiquei de queixo caído, literalmente.


Geralmente dramas são meus livros preferidos mesmo, este não foi diferente, a luta da Holly para decidir seu futuro, é envolvente e comove qualquer pessoa, principalmente quem já é mãe ou está tentando.


Este livro foi o primeiro escrito pela Amanda Brooke, a capa condiz com sua história, todo o cuidado da editora Novo Conceito está magnífico, então recomendo!


"O reflexo é a chave para a viagem no tempo."




Espero que gostem da resenha, até a próxima,







Autor Parceiro | Breno Melo |

em 11 de dezembro de 2014


Ola meus amores, o Daily of books Mila conquistou mais uma parceria, conheci o livro de Breno Melo ao ler uma resenha no Blog da Zilda, fiquei encantada com o tema e doida para ler. Conheçam um pouco mais do autor e sua obra!


Sobre o Livro:


Autor: Breno Melo
Data de publicação: Dezembro de 2014
Número de páginas: 280
ISBN: 978-989-51-2331-5
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Ficção

Marina é uma jovem que faz tratamento para a síndrome do pânico. Às voltas com o ingresso na universidade, um novo romance e novas experiências, Marina tem seu primeiro ataque de pânico. Sua vida vira de cabeça para baixo no momento mais inapropriado possível e então psiquiatras e psicólogos entram em cena. Acompanhamos suas idas ao psiquiatra e ao psicólogo, o tratamento farmacológico e a psicoterapia. Ao mesmo tempo, conhecemos detalhes de sua vida amorosa e sexual, universitária e profissional, social e familiar na medida em que elas são marcadas pela síndrome. Um tema atual. Uma excelente obra tanto para conhecimento do quadro clínico como entretenimento, narrada com maestria e de uma sensibilidade notável.

Visitem o Site da Chiado Editora.


Sobre o Autor

Breno Melo

Breno Melo nasceu em 1980, na cidade do Rio de Janeiro. Foi indicado para Poeta do Ano pela Sociedade Internacional de Poetas mais de uma vez, em 2002, 2003 e 2004. Participou da antologia "The Best Poems and Poets of 2003", com o poema "Hazel Eyes", e da antologia "The Best Poems and Poets of 2004", com a composição "That Girl". Também foi selecionado para "The International Who's Who in Poetry", incrível obra mundial que conta com participantes de vinte e cinco nações ao redor do globo e reúne, segundo a Sociedade, os poetas mais interessantes que ela encontrou ao longo dos catorze anos anteriores.

E aí, curtiram?

Beijos