Resenha: Seda - Alessandro Barico

em 21 de dezembro de 2014





É no caráter híbrido, irredutível a classificações imediatas, que reside a riqueza de Seda. A história se desenvolve sobre a trajetória de Hervé Joncour, numa cidade francesa cuja economia floresce, em meados do século XIX, com o incipiente negócio da seda. Nas viagens que faz ao Japão para comprar o produto, descortina-se para ele um mundo a um tempo arcaico e novo, no qual a estranheza se mistura ao fascínio e à paixão.
Seda é um relato de sensações, de como a realidade objetiva se transmuda na visão, na memória e na linguagem. O texto se desenvolve sobre as imagens possíveis do que é puro mistério para Joncour: o "fim do mundo", definido como "invisível", cores "mais leves que o nada", ideogramas que são como "cinzas de uma voz queimada".
É em tal poder evocativo das palavras que o protagonista acaba encontrando, já velho e reconciliado com as lembranças, um sentido para a existência. Nesse tempo pouco definível, entre o passado ainda ardente e a melancolia de um futuro pacífico, ele encontra "um modo exato de estar no mundo".
"Na manhã em que escreveu Seda, Baricco imaginou que toda a literatura do mundo desaparecera [...] Como Flaubert, queria escrever 'um livro feito de nada'." - Pietro Citati, La Repubblica.








Seda

Autor: Alessandro Baricco
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 128


Esta é minha 4º leitura da Maratona Literária #EuTôDeFérias.



Consegui este livro numa troca num grupo de uma rede social, mas achei que seriam mais páginas, me surpreendi por ele ter apenas 128 páginas.



O livro conta a história do subtenente Hervè Joncour que peregrina por uma cidade francesa chamada Lavilledieu até um pequeno povoado escondido no Japão, ele abre mão da carreira militar para empreender uma longa jornada atrás de bichos-da-seda, se tornando assim um contrabandista a serviço de empresas de fiação em sua cidade.



“No começo de maio os ovos se abriam, liberando uma larva que, depois de trinta dias de enlouquecida alimentação à base de folhas de amora, procedia a recluir-se novamente em um casulo, para evadir- se depois do mesmo definitivamente duas semanas mais tarde, deixando trás de si um patrimônio que, em seda, podia- se calcular em mil metros de fio cru e, em dinheiro, em uma boa quantidade de francos franceses.”


A saga se passa em meados do século 19, onde os bichos-da-seda foram dizimados na Europa, e é isso que torna o livro uma aventura, quase uma poesia de tão bem escrito, nosso protagonista corre o mundo em busca do melhor produtor da seda, para o comércio. Uma aventura ora descrita em solo siberiano, noutras em viagens de navio, então quem gostar do estilo enxuto em literatura pode ler sem medo de errar.


Tem a adaptação para o cinema produzida em 2007 com o nome Silk, no Brasil é chamado de Paixão Proibida, do diretor François Girard, com Keira Knightley num dos papéis, ainda não vi mas vou procurar, já estou ansiosa para assistir.








O Autor



Alessandro Baricco é um dos nomes fortes da moderna literatura italiana. Recebeu o prêmio Médicis Étranger, na França, e Selezione Campiello Viareggio e Palazzo al Bosco, na Itália. Sua narrativa é escorregadia, exige atenção e cuidado, está marcadamente influenciada pela narração oral e também pela literatura oriental.

Nascido em Turim em 1958, Baricco parece inclinado a narrar histórias de empreitadas. Foi assim com "Esta História" (tradução de Roberta Barni, também lançado pela Companhia das Letras), seu romance anterior e que o tornou mais conhecido no Brasil. O livro narra a vida do italiano Ultimo Parri, pelo ponto de vista de diferentes narradores.


Baricco tem uma produção extensa, e boa parte de sua obra tem tradução no português. "Seda", no entanto, é o livro com maior repercussão do autor. Foi traduzido para 16 idiomas e virou filme pelas mãos de François Girard, com Michael Pitt como Hervè.









Fontes: Companhia das Letras, UOL Entretenimento, Wikipédia






Até a próxima,








7 comentários

  1. Oi Nanda, tudo bem?

    Adoro livros de época *-* Não conhecia esse, parece ser interessante. Achei curioso o romance histórico ser escrito por um homem...

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  2. :p nossa já a 4° leitura e eu ainda não sai da segunda da maratona literária...
    rsrsrsrs não conhecia esse livro e achei bem interessante a sinopse... vou catar depois talvez ou ele ou a adaptação para o cinema :a beijokas

    ResponderExcluir
  3. Nossa '-', poucas páginas mesmo. Não curti tanto o enredo, talvez porque é de época, e não me dou muito bem. Mas as 2 capas são bem bonitas. E sobre o filme, eu assistiria :)
    Abraços Nanda,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nunca ouvi falar desse livro e nem desse autor. Parece ser uma leitura bem rápida, pela quantidade de páginas. Mas a história em si não me interessou nem um pouco :/

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha escutado falar desse livro nem do autor, gostei da capa, bem simples, mas confesso que eu nao leria nao :b a historia nao me prendeu

    ResponderExcluir
  6. Oi Nanda...
    Ainda não tinha visto nenhuma resenha desse livro, mas gostei de conhecer!!
    E ele é curtinho né, deve ser uma leitura gostosa!

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Bom pela resenha acho que não leria, não é o tipo de leitura que gosto. Beijos

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!