Resenha: O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

em 19 de setembro de 2014





Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade. O desfecho da história é surpreendente, cujo segredo está n’O RETRATO DE DORIAN GRAY. O clássico despertou grande polêmica na Inglaterra vitoriana pelo comportamento indiferente, pelo Esteticismo como principal tema e pela dualidade do personagem principal, hedonista e conservador, que freqüenta tranquilamente reuniões da alta sociedade inglesa após cometer inúmeros crimes e assassinatos.













O Retrato de Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Edição: 1
Editora: Landmark
ISBN: 9788588781429
Ano: 2009
Páginas: 240
Tradutor: Marcella Furtado








“A alma nasce velha, mas rejuvenesce. Esta é a comédia da vida. 
O corpo nasce jovem e envelhece. Esta é a tragédia da vida.”




Falar o quê de um grande clássico?

Um dos melhores livros já publicados e, claro, está entre meus favoritos. 

Oscar Wilde, em minha opinião, é um gênio, incrível ler algo que parece ter sido feito para os dias de hoje, filosoficamente se encaixa perfeitamente em nossas vidas, é extremamente poético e tocante.

Dorian é um rapaz órfão, de uma geração dândi, adolescente, muito bonito e sabe disso, cobiçado por mulheres e também por homens, é rico e desfruta de sua juventude da melhor forma possível, divertindo-se com mulheres sem pensar nas consequências como todo jovem sem a supervisão de adultos faria.

Um dia conhece Basil que resolve pintar seu retrato com a intenção de torná-lo imortal para a posteridade, porém, isso o torna preso a ele, justamente pelo fato de todos superestimá-lo, e isso traz consequências trágicas em sua vida.

É um rapaz inteligente, mas muito influenciável, como não tem família, se apega a pessoas erradas, se deixa levar pelo cínico Lord Henry, amigo de Basil, que se mostra seu amigo no começo, mas no fundo, gostaria de ter toda a jovialidade de Dorian, sente uma espécie de admiração e inveja, e por incentivar seus erros e vaidade extrema, acaba sendo o culpado pela sua degradação ao longo da história. 


"Mas e o retrato?! Que pensar daquilo? Possuía o segredo da sua vida e revelava a sua historia. Ensinara-o a amar sua própria beleza. Iria também ensiná-lo a odiar sua própria alma?"


Cheio de frases belíssimas e de efeito, é um livro poético, filosófico e obrigatório a todos que adoram os grandes clássicos.



O filme baseado na obra, lançado em 2009, apesar de eu ter gostado muito, é um tanto diferente e inferior ao clássico de Wilde, mas também acho impossível ser fiel a uma obra tão complexa e bela, vale ver o filme como um complemento ao livro. Não achei mal feito nem que desmerecesse o livro, só achei que faltou muito da poesia da história, mesmo assim é um bom filme, ao menos o ator (Ben Barnes) é tão lindo quanto imaginei Dorian, pena que não é fiel, na história ele é loiro e no filme é moreno, mas foi uma boa escolha, o ator nos passa a imagem da ingenuidade perversa do personagem, nisso ganha muitos pontos positivos.

A capa do livro que eu li, desta edição belíssima da Landmark vem com a capa deste filme.


"Eu irei ficando velho, feio, horrível. Mas este retrato se conservará eternamente jovem. Nele, nunca serei mais idoso do que neste dia de junho... Se fosse o contrário! Se eu pudesse ser sempre moço, se o quadro envelhecesse!... Por isso, por esse milagre eu daria tudo! Sim, não há no mundo o que eu não estivesse pronto a dar em troca. Daria até a alma!".


Na série de TV da HBO, Penny Dreadfull também há um personagem baseado em Dorian Gray, e nos traz sua imortalidade, futilidade, toda a juventude admirada e sedutora, é uma personagem que tende a crescer ainda durante as exibições, na primeira temporada não teve grande destaque, e novamente temos um rapaz moreno...

Mas acredito que na próxima temporada, veremos mais, pois ele é muito interessante, e certamente acrescentará mais aos contos sombrios desta que é das melhores séries sobrenaturais da atualidade.

É um livro que faz pensar, traz ensinamentos devido ao tom filosófico de Oscar Wilde, e sua maior reflexão: a juventude é efêmera, nem todos que se aproximam te paparicando, e geralmente por interesse, são seus verdadeiros amigos, e que o que fazemos hoje, se bem ou mal, teremos consequências no futuro!



Espero que tenham gostado, até a próxima,


Nanda





7 comentários

  1. Ainda não tinha visto falar deste livro pra falar a verdade
    e primeira vez em seu blog. A historia gira em volta de Doria, certo?
    Achei ele muuuito interessante e historia cai super bem.
    A personalidade dele e bastante relatada no livro isso e achei super
    importante no livro, pois faz a gente conhecer e imaginar o personagem
    como ser tivesse ao nosso lado


    b-maluco.tk

    ResponderExcluir
  2. Oi Nanda,
    Vim te desejar um otimo final de semana e me deparei com essa resenha não posso deixar de comentar. Sabe que essa história me fascina, acho ela muito interessante porém ainda não tive o prazer de ler tampouco assistir, espero fazer isso em breve.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olha eu sinceramente nunca ouvi falar desse filme, mas achei bastante interessante tudo que você contou sobre ele. Vou procurar assistir pra ver se gosto, porque eu estou precisando conhecer alguns filmes novos que ainda não vi. Sempre assisto os mesmos hahahahaa
    Mas olha, parabens, eu adorei a resenha que vc fez dele. Sem contar que as imagens são belissimas =]

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. oie Fer
    eu já li o livro, e assisti ao filme, e amei! Também é um dos meus favoritos, e clássico que irei reler sempre.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  5. Pra mim este livro é um dos melhores. Tem uma história cativante e envolvente. Não larguei até que acabei. Já o filme sobre ele, não foi tão bom assim. O livro foi bem mais impactante. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi Nanda, tudo bem linda?

    Eu morro de interesse por esse livro e pela história de Dorian Gray! Eu não li muitos livros com esse tipo de linguagem, mas adoraria começar com a obra de Oscar Wilder, que eu admiro muito. Eu quero muito ver o filme, tanto quanto ver a série Penny, que já li várias resenhas positivas :)

    Adorei sua resenha, flor.
    Beijocas
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Nanda, já ouvi falar muito deste livro, mas ainda não o li. Não tenho muito interesse neste momento.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!