Resenha Quem Teme a Morte - | @geracaoeditorial

em 26 de maio de 2014

"Numa terra devastada por uma hecatombe nuclear, uma jovem e misteriosa mulher com o incomum nome de Onyesonwu – que pode ser traduzido como Quem Teme a Morte – descobre que tem superpoderes e foi escolhida para salvar a humanidade. Este seria um romance distópico como qualquer outro se não transcorresse na África e sua autora não fosse a surpreendente Nnedi Okorafor, elogiada pelo prêmio Nobel nigeriano Woyle Soyinka. Fantasias, batalhas, tradições e alta tecnologia, sonhos, visões, discriminação racial e sexual, tudo se mistura numa narrativa tensa e poética que confere uma nova linguagem para os romances do gênero".







Na África do futuro, Onye, uma garota com superpoderes, luta heroicamente para salvar um mundo hostil e devastado.



Muito bom ler coisas diferentes das habituadas, eu nunca tinha lido nada oriundo da África, não tinha conhecimento de alguns costumes ou terminologia, e foi bem interessante adentrar-me nesta história criada pela escritora Nnedi Okorafor, que foi comparada a J.K. Rowling, criadora de Harry Potter, devido a seus romances cheios de aventuras mirabolantes, por assim dizer.

Eu poderia me transformar num abutre e voar para longe agora – sussurrei. Mas se eu permanecesse como um animal muito tempo, ficaria louca. “E será que isso seria tão ruim?”, pensei. “Mwita estava certo. Sou perigosa demais.”- pág 118


A história é sobre uma garota, Onyesowu, que significa Quem teme a morte, título do livro, que descobre que sua origem é derivada de um estupro e é por isso que as pessoas tem preconceito contra ela, devido a ser filha de um rapaz do povo Nuru, e sua mãe sendo uma Okeke, ela é uma mestiça, uma Ewu, termo para “nascido da dor”, uma pária, sendo discriminada e mal vista perante a aldeia em que vive. Seu pai biológico volta para tentar matá-la e é principalmente contra ele sua luta nesta história.


O livro é dividido em três partes, na primeira: “Tornando-se”, ela conta em primeira pessoa, a vida com seus pais, na aldeia em que vive desde sua infância, dando ênfase ao pai adotivo e sua relação com a família. Tem uma parte, onde explicam-se a circuncisão feminina, que ainda é realizada em alguns países africanos (com inúmeras campanhas contra), e dá um desespero só de imaginar a agonia dessas meninas submetidas a tal ato, isso com apenas onze anos de idade – abominável!


A segunda parte do livro, “Estudante”, foca-se em seu treinamento e conhecimento de suas habilidades até então desconhecidas, são vivências desgastantes, mas ela conta com o apoio de um amigo especial, Mwita, um outro rapaz que também é Ewu, dando início a um companheirismo que a ajuda a passar pelas duras provas que terá pela frente.


Na terceira e última parte, “Guerreiro”, nos leva a um desfecho mesclando realismo com muito misticismo e lendas.


Eu conhecia meios de me defender usando os Pontos Místicos. Podia me transformar num animal dez vezes mais forte que Mwita. Poderia ir para a natureza selvagem, onde ele mal poderia me tocar. Poderia atacá-lo e dilacerar seu espírito, como tinha feito com Aro aos dezesseis anos. Mas eu não iria usar nada disso essa noite. Mwita era tudo o que eu tinha. - Pág 195

O conteúdo do livro é denso, com muita descrição de violência, então não recomendo ao público mais jovem, é para adultos mesmo!

Não sou habituada com leituras distópicas, e achei esse bem legal e marcante, com personagens que se transformam em criaturas aladas, que curam e fazem renascer os mortos, “Quem teme a morte” certamente agradará aos já acostumados com esse tipo de leitura e ao público ansioso por novas descobertas.


Até a próxima,





18 comentários

  1. Nossa, adorei a resenha. Eu tampouco li alguma história que se passasse na África. Gostei muito do fato do livro ser dividido em partes, sempre me chama a atenção.

    Beijos, parabéns pelo blog.

    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que livro incrível! Tomara que eu tenha a oportunidade de lê-lo. Gostei muito da proposta e gostaria muito de conhecer algo diferente. Também nunca li nada que tivesse essa ambientação.
    ótima indicação.

    Bjs!
    Zilda Peixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  3. Achei o enredo desse livro muito interessante, é uma distopia bem diferente das que estamos acostumados. Eu adoro essa capa.

    ResponderExcluir
  4. Pelo que li em sua resenha, este livro é super diferente!
    Eu não me lembro se já li algum livro que se passasse na África. Este livro parece ser uma distopia e daquelas mais fortes. Confesso que eu não sei se leria neste momento, mas vou anotar a dica para qualquer hora dessas, conferir esta leitura...
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ja vi um livro que a historia é passada na frica mais nunca quis le-lo!!! Esse é totalmente diferente.
    Nossa ela tem uma historia é tanto desde o nascimento ate... sempre sofrendo com a origem dela
    Gostei de sua resenha Nanda, achei interessante o tema que aborda a africa e a propia historia da garota *-*

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nanda
    Gostei muito da sua resenha. Não li nenhum livro que seja ambientado na África, achei super interessante. A história parece ser muito boa. Gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mila,
    posso não set tão jovem, mas tb achei esse livro tenso demais para mim rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oii.

    Não li o livro ainda, mas sua resenha fez minha curiosidade aumentar e logo o lerei.
    Parabéns pela ótima resenha.

    Beijos Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi flor,
    Nossa nunca tinha ouvido falar nesse livro mas achei bem interessante pela história, pelo ambiente e pelos personagens, Adoro distopias e com certeza vou procurar saber mais sobre ele e quem sabe adquiri-lo.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Fer, parece ser um ótimo livro.

    Em algumas partes fortes da resenha, o livro me lembrou bastante o livro Cruzando o caminho do sol que é um dos meus livros preferidos.

    Adorei, vou colocar entre os meus desejados.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. eu gosto de distopias, mas tipo tem mt coisa q envolve violência na leitura? pq se for algo mt tenso eu nem vou ler, sem contar q já não curti muito a capa.

    ResponderExcluir
  12. O livro tem cenas violentas sim e pode incomodar os que não estão acostumados e os que não gostam desse tipo de leitura, não chega a ser um dramalhão porém é um livro forte, como falei na resenha, é para um público mais adulto...

    ResponderExcluir
  13. O livro parece ser muito diferente do que a gente costuma ler e super me interessei por ele,eu também nunca li nada ambientado na África e essa deve ser uma distopia bem legal!!

    bjsss

    Bianca

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  14. Oie
    Não conhecia o livro e até gosto da temática, mais o enredo do livro, sei lá alguma coisa não em chamou atenção, vou dar mais uma pesquisada ver se acho outras resenhas pra ter uma ideia melhor ^^
    Brubs
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oie Nanda
    eu não tinha me interessado muito pelo livro a princípio, mas como sou chegada em histórias ricas sobre misticismo e lendas, fiquei curiosa. Ainda mais por ser um livro forte.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  16. Também não tenho o hábito de ler distopias, então acho que esta obra eu não farei questão de ler.
    Mas é sempre bom conhecer um pouco sobre as novidades.

    ResponderExcluir
  17. Também nunca li coisas da África. Li uma vez um romance alemão e gostei demais, é bom sair um pouco da zona de conforto literária e ler coisas que ninguém imagina. Acho que vou procurar esse livro ^^

    ResponderExcluir
  18. Gente esse livro de ser lindo não sabia do que se tratava a história, gostei muito da resenha.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!