Resenha Cidades de Papel John Green

em 27 de março de 2014









Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.

Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.

Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.











Cidades de papel
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 316


Depois de ser quase agredida fisicamente por uma amiga, por nunca ter vontade de ler algum trabalho de um dos autores mais queridos, John Green,por seu livro "A culpa é das Estrelas", tomei coragem e decidi ler Cidades de Papel, que narra a história do jovem Quentin, mais conhecido como Q, que é apaixonado pela sua vizinha Margo - que na minha opinião, tem algum problema sério de crise de personalidade - que cultiva uma paixão por mistérios.


"Conversar com um bêbado era o mesmo que conversar com uma criança de três anos extremamente feliz e com dano cerebral" - Pág. 206

Então, numa noite Margo aparece surrateiramente na janela de seu velho amigo de infância, Q, para uma noite de vingança e alguns delitos. Até que, Margo desaparece! Quentin se apega a todas as pistas que ela deixou pra trás, enquanto lê repetidamente um livro de poesias, que aparentemente aponta traços da personalidade da garota que é um "milagre", no ponto de vista do protagonista, que pode ter fugido pra cometer suicídio. A busca incessante por Margo, faz com que Quentin, acabe por descobrir mais de si mesmo, e percebe que a amizade é algo importante, os personagens Radar e Ben, que são amigos que toda pessoa deveria ter o prazer de conhecer.


"O erro fundamental que sempre cometi - e ao qual,sejamos justos, ela sempre me conduziu - era este: Margo não era um milagre. Não era uma aventura. Nem uma coisa sofisticada e preciosa. Ela era uma garota."- pág. 228


A história é cansativa, apesar de os personagens secundários serem mais interessantes do que os protagonistas, porém tem o seu valor; não me despertou o desejo de ler outros livros do autor, principalmente A Culpa é das Estrelas - eu sei, podem me julgar, mas a escrita do autor é trivial, não é algo que me agrade. Contudo, a obra possui lições de valor que levarei comigo sempre, dentre elas: Não importa como a pessoa seja por fora, nunca a conhecerá se não conviver com ela diariamente, e acima de tudo, as aparências enganam.


Beijos Silvia...


11 comentários

  1. Estou com esse livro aqui pra ler e não me animo. Não sei porque, quando o comprei estava super a fim de ler, entende? Eu não me entendo. Agora lendo sua resenha ele foi mais um bocadinho para o fim da lista, estou evitando histórias lentas. Contudo sempre que leio resenhas sobre, inclusive a sua, dizem que é um livro no qual se tiram lições de vida importantes, nesse quesito o livro me ganhará, gosto muito dessa prerrogativa.
    Enfim... quando o ler te chamo e te conto o que achei. Parabéns pela resenha honesta.
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  2. Gente ainda não li nada do autor, mas quero ler.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Mila.

    A Culpa é das Estrelas é muito bom, você realmente deveria dar uma chance. Eu tenho Cidades de Papel mas não li, e pretendo muito... Ouviu falar do filme que vão lançar? Pois é, preciso ler antes de lançarem o filme haha A história não me agrada muito, mas tenho curiosidade.

    Beijos
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Mila,
    se a história é cansativa nem me atrevo.
    Já achei o autor muito dramático e melódico, então só arriscaria a leitura se o livro parecesse realmente bom rs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi! ^^
    Estou para postar a resenha desse livro também. Acabei de lê-lo recentemente. Foi meu primeiro livro do autor e não estou pensando em ler outro. Principalmente "A Culpa é das Estrelas" por ter muito drama. Me recuso a ler livros que irão me emocionar ou me deixar triste, afinal, é pra isso que a vida real serve e ela desempenha muito bem esse papel.
    Não me encantei muito com esse livro, apesar de ter dado boas risadas na última parte e ter ficado ansiosa para descobrir se Margo estava viva ou morta e onde ela estava. A história é boa, mas não virou meu livro preferido não...

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir
  6. Oiii Mila, tudo bem ?
    Adorei a sua resenha e a sua sinceridade. John Green virou meio que uma febre né e todo mundo parece que venera os livros dele, eu também estou com Cidades de Papel aqui pra ler, mas confesso que depois de ler a sua resenha e mais algumas outras perdi um pouco a coragem, porque acho que vou concordar com vcs. A culpa é das estrelas então nem me interessei de ter porque sinceramente to fora de histórias tristes e penso que deve ser meio cansativo também.
    Obrigada pela sua opinião Mila, é bom saber que nem tudo que agrada um monte pode agradar a gente e mais ainda, foi ótimo vc dar as razões de porquê, assim já sei como vai ser pra mim....
    Amo esse blog, vc escreve super bem. Parabens

    Beijos, Ivana

    http://omundinhoderebecca.blogspot..com.br

    ResponderExcluir
  7. Ouvi dizer tb que esse livro não é tão bom, espero não me decepcionar quando for ler A culpa é das estrelas, quem é vc alaska? e teorema Katherine. :b
    Gostei da resenhas, mas esse livro do John Green já não vou comprar.
    Resenha #137 - UM NOVO AMOR À VISTA - Cláudio Quirino.
    Confere lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Oi,Mila!
    Noossa! Eu pensei que fosse a única mortal que ainda não tinha lido A culpa é das estrelas..hahaha
    Obviamente que ainda não li esse livro também, mas confesso que gosto de outros trabalhos do autor. Gostei muito de Will & Will e Deixe a neve cair. Mesmo ele não sendo o autor principal das obras. Já li muitas resenhas negativas sobre este livro e, talvez por esse motivo me sinto bem desanimada para encará-lo. Por enquanto ele não está na lista de prioridades.
    Ótima resenha!

    Tem resenha nova no blog!
    Bjs e um ótimo fim de semana!
    Zilda Peixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br/2014/03/resenha-me-liga-sarah-mlynowski.html

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto de A culpa é das estrelas, li antes de virar modinha, porque se fosse agora ia ficar meio assim para ler, eu gosto do livro, mas não vou reler.
    Quanto a Cidades de Papel, não me atraiu em nada, nunca tive vontade de ler e você acabou de afirmar minha decisão rs

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Eu prometi que não ia ler mais nenhum livro do John depois que li "A culpa é das estrelas", todo mundo dizia que era lindo, mas não é tanto assim. A história é tão cansativa quando deve ser esta que você mencionou que é cansativa também. Então nem me atrevo a ler!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Mila, só li ACEDE do autor, mas tenho curiosidade em conhecer outros trabalhos dele.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!