Lolita - Vladimir Nabokov

em 15 de dezembro de 2013











Lolita é um dos mais importantes romances do século XX. Polêmico, irônico, tocante, narra o amor obsessivo de Humbert Humbert, um cínico intelectual de meia-idade, por Dolores Haze, Lolita, 12 anos, uma ninfeta que inflama suas loucuras e seus desejos mais agudos.
A obra-prima de Nabokov, agora em nova tradução, não é apenas uma assombrosa história de paixão e ruína. É também uma viagem de redescoberta pela América; é a exploração da linguagem e de seus matizes; é uma mostra da arte narrativa em seu auge. Através da voz de Humbert Humbert, o leitor nunca sabe ao certo quem é a caça, quem é o caçador.










Autor: Vladimir Nabokov
Editora: Objetiva
Número de Paginas : 392
Categoria: Literatura Estrangeira / Romance




“Pela manhã ela era Lô, não mais que Lô, com seu metro e quarenta e sete de altura e calçando uma única meia soquete. Era Lola ao vestir os jeans desbotados. Era Dolly na escola. Era Dolores sobre a linha pontilhada. Mas em meus braços sempre foi Lolita.”
- Página 11



Adoro livros clássicos, e por mais que a proposta de Lolita seja polemica eu queria muito conhecer, e não me arrependi. Não nego que por vezes é uma leitura indigesta e meio chocante e não é de forma alguma de mal gosto ou até mal escrita.

O livro foi escrito em 1955 pelo escritor russo Vladimir Nabokov e o filme recebeu indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado em 1962 pelo mestre Stanley Kubrick.

Lolita é uma menina de 14 anos, filha da esposa do protagonista que logo no inicio falece, então ele acaba nutrindo por ela um amor bem diferente de um relacionamento entre pais e filhos, ele acaba se apaixonando obsessivamente por ela.

A menina ainda saindo da pré-adolescência acaba provocando essa obsessão de todas as formas de uma maneira bem diabólica, apesar de controverso, não explora a pedofilia gratuitamente, é um livro adulto e feito para reflexão. Principalmente entre os limites saudáveis entre adultos e crianças, e mesmo adolescentes nós,  como adultos, temos a obrigação por zelar por eles!

“O que me leva à loucura é a natureza dupla desta ninfeta – talvez de todas as ninfetas; essa mistura, em minha Lolita, de  uma infantilidade terna e sonhadora com uma espécie de estranha vulgaridade, derivada dos rostinhos atrevidos que aparecem nos anúncios e nas fotos de revista, das rosadas imagens de criadinhas adolescentes na Inglaterra “[...] – Página 46

O professor Humbert, apesar de pedófilo pervertido, ama Dolores, sua Lolita, e tenta fazer a relação dar certo, mas ela faz o que bem entende e se aproveita de todas as formas de seu protetor, fazendo gato e sapato muitas vezes maleficamente e proposital. Lolita não é uma menina ingênua, ela é bem amadurecida na historia, já tendo vivenciado outros relacionamentos como ela mesma descreve ao seu então guardião e amante.

O vocabulário e maneira de escrita do autor são os pontos positivos, mesmo querendo parar por diversas vezes devido a temática, eu insisti e como disse anteriormente não me arrependo, não é a toa que é um considerado um clássico, pois é atemporal. O livro pode ser pesado e triste, mas compensa pela qualidade do autor e principalmente pela sua visão, que de forma alguma é ofensiva.

Assisti os dois filmes baseados no livro, e são bons também, valem a conferida para aprofundar o conhecimento na leitura, como um complemento mesmo. Mas não recomendo ver com preconceitos e mente fechada, é necessária certa maturidade e maior conhecimento das obras do autor para conseguir sua compreensão.

”Eu te amei. Era um monstruoso pentápode, mas como te amava. Era desprezível, brutal, torpe – tudo isso e muito mais, mais je t’aimais, je t’aimai! E houve momentos em que sabia como você se sentia, e era um inferno sabê-lo, minha menina querida. Minha pequena Lolita, minha corajosa Dolly Schiller!” – Página 288


Espero que gostem, até a próxima,



Bjus,



Fernanda


7 comentários

  1. Gente do céu, estou desejando loucamente ler esse livro. Já ande pesquisando uns preços e com certeza irei compra-lo.
    Só vejo elogios a obra e necessito ler ele. Gostei da resenha, espero que em breve eu possa ler e me surpreender com a história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Já vi o filme, mas nunca havia lido o livro. e pelo que pude notar ele tem muito mais detalhes do que no filme. Adorei ler a resenha e ver o quanto a história é marcante e forte. Espero ainda conseguir ler este romance. beijos.

    ResponderExcluir
  3. Lolita foi um livro que me marcou muito, porque por ser tão bem escrito dá para entender o sentimento de Humbert, por mais repulsivo que seja. Grande resenha!

    Paola
    uma-leitora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi,

    já ouvi falar desse livro e agora, com sua resenha, fiquei louca para lê-lo! A temática dele é mesmo bem inusitada e polemica, coisa que gosto, por isso acho que essa é uma ótima história! Vou procurar o filme também, Kubrick é O CARA! ;D

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa! Agora meu deu vontade de ler este livro!

    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  6. Não vi nenhum dos filmes, li o livro a pouco tempo, mas não gostei. Não foi pelo enredo em si, mas não me envolvi com a estória.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. Bem eu so assisti ao filme, tenho vontade de ler o livro mas nunca consigo inspiração para ler.


    xx

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!