Resenha O Diário de Litat

em 25 de outubro de 2013




O Diário de Litat
Claudemir de Oliveira - 272 páginas - Novo Século

Bnus e Qeb cresceram no mesmo vilarejo, brincando entre pedras e ruínas e, quando jovens, prometeram ficar juntos sempre. Suas vidas estavam entrelaçadas pelo sentimento mais puro do ser humano: o amor. No entanto, seus sonhos foram ceifados por divindades que os colocaram em caminhos opostos. Os olhos de Bnus, que antes brilhavam de felicidade, se tornam obscurecidos pelo Mal. Qeb, por sua vez, passa a lutar para manter e propagar o Bem pelos vilarejos. Mas embora tenham que se enfrentar por um propósito divino, o amor que os unia prevalece… Litat é o descendente desta história, e nasce com dons herdados desde o tempo de seus avós. Ele terá o livre arbítrio de usá-los, porém, sua omissão poderá acarretar danos ao seu povo.





Em Diário de Litat, primeiro conhecemos Bnus e Qeb, Bnus tem coração puro, é uma mulher alegre, gosta de ajudar a que precisar, ama demais Bnus, são namorados e pretendem se casar assim que Qeb completar 21 anos. 

Logo no inicio temos uma prévia do Amor de Qeb por Bnus, um amor grande, Qeb faz declarações lindas para Bnus e senti que ele gosta muito mais dela do que Bnus sente por Qeb. 

Ele diz que sem Bnus não poderia viver, e nessa entrega de dois corações puros, o impensável acontece. Pois a divindade do bem, o Deus Rum está procurando um representante para o bem e quando vê o casal, sabe que encontrou seu representante do bem.

O Deus Rum pede ao casal que escolham quem será o representante do bem, enquanto Bnus aceitou a situação em que os dois se encontra, Qeb se vê negando sua sina, afinal não poderia viver sem seu grande amor, chegando até a desafiar a escolha, então Bnus aceita ser a representante do bem, Qeb se sente angustiado, triste, amargurado e se afasta de todos, procurando na solidão algum conforto, em certo ponto ele faz esculturas de sua amada, mais se desespera quando nenhuma das esculturas ganha vida. 

Para resumir, Qeb acaba por virar a divindade do mal, seu pensamento era de que quando se entregasse ao mal iria esquecer seu amor, porém não é isto que acontece.

Um ótimo livro, narrativa poética, como em um diário, quem narra é Litat, que é parente das divindades do bem e do mal, Qeb e Bnus geram Xofe que tem uma relação com Fudi e é desta relação que conhecemos Litat. Fiz uma confusão danada, mais então Litat é neto das divindades, RS.

Litat tem bom coração, ele tem dons maravilhosos, como trazer a vida alguém que morreu ou mesmo curar uma pessoa de uma doença aos enfermos.

Não vou contar muito, já senti que contei demais, posso dizer que no inicio a narrativa poética não agradou muito, mais conforme avançava na leitura seus personagens me conquistaram. 

Como boa amante de fantasia, este livro tem alguns elementos fantásticos que além de entreter também nos dá algumas lições de vida, como o amor é capas de vencer o mal.

Beijos e leiam!!

10 comentários

  1. Oi Mila,
    confesso que não curti a capinha, mas a história parece ser bem legal apesar de um pouco confusa

    bjos

    http://blog.vanessauseroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser bom!

    Amei o blog, seguindo, retribui?
    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Confesso que pela capa é um livro que acho que eu não leria, mas gostei da premissa dele, se tiver oportunidade vou ler :)

    ResponderExcluir
  4. Olá! Tudo bem?
    Já vi outras resenhas desse livro também super positivas, igual a sua. E minha curiosidade só aumentando em relação a ele.
    Adorei!
    Beijos!

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Mila!
    Já ouvi falarem muito bem desse livro, assim como sua resenha!
    A capa também é maravilhosa <3
    E só de saber que é narrado em primeira pessoa, dá mais vontade ainda de lê-lo, rs.
    Ótima resenha!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Mila, tudo bem?
    Já ouvi falar desse livro, mas nunca tive curiosidade e tal... Mas como sou fã assumida de literatura nacional, provavelmente eu leria sem pensar duas vezes hahaha Eu também não gostaria do começo, narrativa poética me cansa :(

    Beijocas
    Estante das Fadas

    ResponderExcluir
  7. Primeira vez que ouço falar no livro e que vejo uma resenha dele. Fiquei bastante curiosa porque sou fã de história que tenham fantasia envolvida.
    A capa é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  8. Não leio mitos livros de narrativa poética, mas é algo que me chamou atenção por ser também em formato de diário. Gosto muito de livro com esse tipo de divindades.
    Fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir
  9. Sou uma grande fã de fantasia e este livro já esta na minha lista de desejados por este motivo!!
    E lendo sua resenha fiquei ainda mais animada!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Mila! ^^
    Bom, eu amo fantasia, então com certeza darei uma olhada. A princípio não chamou muito minha atenção não, mas fiquei curiosa pra saber como essa história vai se desenrolar.

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!