Resenha Vou lhe mostrar o Medo

em 24 de setembro de 2013


Vou lhe mostrar o medo 
Nikolaj Frobenius - 296 páginas - Geração Editorial 

Edgar Allan Poe (1809-1849), o célebre poeta e autor de histórias de terror, bem como criador do gênero policial na literatura, é o protagonista deste romance de suspense psicológico, que discute os limites da criação literária e a responsabilidade moral da arte. Nele vemos o jovem escritor norte-americano afligido pela pobreza, angustiado com a enfermidade da sua frágil esposa e assombrado por um maníaco que comete assassinatos inspirados nos seus escritos, além de sabotado em sua carreira pelo crítico literário Griswold, que lhe dedica um misto de admiração e ódio. Publicado em toda a Europa, traduzido em dez idiomas e plagiado por Hollywood, este romance premiado marca a estreia, no Brasil, de Nikolaj Frobenius, um dos grandes expoentes da moderna literatura norueguesa.





Primeiro conhecemos um pouco da infância de Edgar, a triste morte de sua mãe Eliza, o carinho e o medo que Eliza compartilhava de seus filhos perderem o rumo, de ficarem separados. Mais, infelizmente seu desejo de que todos os irmãos ficassem juntos não se concretizou e Edgar e seus irmãos acabaram em lares distintos, um trecho que Eliza explica para Edgar o porquê de sua tosse vir com sangue, é fenomenal.


Edgar passa a morar com um casal com boas condições financeiras, nesta nova fase de sua vida, podemos acompanhar sua adaptação com a nova família, seu padrasto só quer impor comportamentos, mostrando como deve ser sua atitude perante convidados e varias outras recomendações.

E entre passado e futuro, deslumbramos um Edgar diferente de sua juventude, um homem que decidiu que seria escritor, busca reconhecimento por seus textos, quer ser famoso, e está quase passando fome.

Edgar conhece Griswold e vê nele sua chance de ser um escritor reconhecido, famoso, tenta marcar um encontro para que Griswold o ajude a chegar ao estrelato, mais Griswold vê nos poemas algo terrível, atmosfera mórbida, seus textos o escandalizava com tamanha falta de moral, só que ao mesmo tempo ele se sentia fascinado e não conseguia parar de ler.

“ – O senhor precisa abrir-se para a beleza e a desgraça do mundo quando lê poesia, meu amigo. Tem isto dentro de si.- Que quer dizer...?- O talento. Talento para ler poesia. É o que vejo no senhor.
O olhar de Griswold passeia pelo soalho.- Vou tentar.”

Achei a narrativa um pouco carregada, um pouco cansativa, já a diagramação está de dar inveja, detalhes perfeitos, folhas negras e ainda tem retrato de Poe e Griswold.

Acredito que os fãs de Edgar Allan Poe irão adorar este livro, pois temos partes de sua obra, e fatos de sua vida. Como eu não conheço quase nada de Poe foi tudo novidade. Gostei muito do livro, mais talvez tenha ido com muita sede ao pote e minhas expectativas não foram superadas.


“-Dói? – ele quis saber.Ela não conseguiu reprimir uma risada chocha, mais parecendo um soluço.- Não, filhinho – Assegurou.- Que barulho é esse no seu peito?Ela apertou um pouco mais a mão dele.- É o vento vermelho – disse -  o vento que sopra através dos seres humanos.”

Beijos Mila

10 comentários

  1. Oi Mila

    Eu ainda não sei se vou gostar, eu já li os livros do Poe e adorei todos que li, mas da vida do autor mesmo eu tbm não sabia nada. Vamos ver, imaginei q era mesmo meio cansativo.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Estou iniciando um blog literário (Giral de Leitura) e gostaria de firmar parceria com o seu blog para divulgação, troca de banners.

    Aguardo.
    Abraços!

    http://giraldeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Mila, eu não consegui gostar do livro. Não é ruim, mas achei cansativo e uma narrativa meio arrastada. Acho que é o tipo de livro feito para os fãs. Adorei sua resenha.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Mila, eu não consegui gostar do livro. Não é ruim, mas achei cansativo e uma narrativa meio arrastada. Acho que é o tipo de livro feito para os fãs. Adorei sua resenha.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. A capa é de dar medos, mas bem chamativa. Uma pena não conhecer Edgar,
    não sei se gostaria de me aventurar nessa leitura, um livro bem triste,
    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie Mila
    adoro o autor, já li os contos, e é um dos meus autores preferidos, e não sei como não li esse livro ainda. Pela sua resenha ele seria um prato cheio para mim!!
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi Mila,
    Não sou muito fã de contos, então geralmente não me arrisco nesses livros.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, Mila :)
    Como vai?

    Este livro eu não li mas esta na minha lista.
    Tenho uma amiga que ama Poe e sempre me indica livros dele :)

    Beijos e se cuida
    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir
  9. Allan Poe é um dos motivos por eu ter começado a escrever poesias sombrias. Sempre admirei suas obras, e imaginei como teria sido viver naquela época. Quando li que este livro tratava da vida deste autor, logo me animei. Eu esperava uma biografia, mas o fato de ser mesclado com fatos fictícios pode torná-la interessante. Confesso que queria um pouco de mistério e ação, mas como esperava uma biografia, os elementos fictícios são um bônus bem vindo.

    ResponderExcluir
  10. Oi,

    não conhecia esse livro, mas agora estou louca para lê-lo! Nunca conheci nada propriamente dito do Poe, mas vejo tantas referencias sobre suas obras em outras que já o adoro! Adorei a resenha, me fez ficar louca pelo livro! Parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir

Ola!
Agradeço pelo comentário!
Beijinhos Carinhosos!